FOTO CAPA

NÃO MARCA GOL

Publicado às 22h43 deste domingo, 20 de agosto de 2017.
Pela terceira vez seguida no Campeonato Brasileiro, o Santos deixa o gramado com um empate em 0 a 0. Esse foi o resultado, na noite deste domingo (20), no Paraná, pela segunda rodada do returno do Campeonato Brasileiro, diante do Coritiba. 

Se a defesa santista é a segunda melhor do campeonato (atrás apenas do líder SCCP), o ataque desaprendeu a balançar a rede. Se levarmos em conta, o jogo da Libertadores, o Peixe marcou apenas um gol nos últimos quatro jogos, pois, venceu o Atlético-PR, pela competição continental, na Vila Belmiro.

Sem Ricardo Oliveira que sofreu uma pancada nas costas no treino do sábado (19), Levir Culpi colocou Kayke na vaga do camisa nove, como titular. Nilmar, que não atuava há 15 meses, ficou como opção, no banco.

O primeiro tempo começou com o time da casa em cima do alvinegro e o time paulista com dificuldades de sair do seu campo. Quando a etapa inicial se aproximava da metade, o Santos começou a chegar no ataque, mas esbarrava no principal problema do time nas últimas apresentações - a pontaria. O ataque errou tudo que tentou. A maior prova disso foi o chute de Kayke, quase nos acréscimos, de pé esquerdo, que parou quase na bandeirinha de escanteio.

Vieram os 45 minutos finais, Levir não mexeu no intervalo e os mesmos problemas. Lucas Lima até tinha interesse em armar o jogo, a defesa se comportava bem, cascuda e quando não dava conta, o melhor goleiro do campeonato - Vanderlei, livrava a cara, mas e o ataque? Permanecia inofensivo. 

Nilmar estreou pelo Santos e fez seu primeiro jogo na temporada
Aos 21 minutos, Nilmar estreou com a camisa santista. Ainda sem ritmo de jogo, foi bem mais participativo do que o antecessor Kayke, que foi direto para os vestiários ao ser substituído.

E a situação poderia ficar pior, pois, quando o cronometro marcou 10 minutos para o final, Alan Santos, revelado na Vila, acertou a trave do goleiro santista. 

O Santos segue invicto, agora já são 14 partidas, mas nos últimos três jogos, só conquistou empates. Fica o sinal de alerta ligado, porque além dos principais times da competição patinarem e o time de Levir não aproveitar a situação, o jogo diante do Barcelona de Guayaquil, no Equador, se aproxima e a tão sonhada melhora no futebol alvinegro, não acontece. São apenas mais dois jogos até la. Semana que vem em Belo Horizonte, diante do Cruzeiro e o SCCP, quinze dias depois no clássico antes do embarque. Entrar nos cascos para a partida mais importante do ano até o momento, dia 13 de agosto, é mais do que necessário. 

Fica a esperança de que Nilmar entre em forma e colabore, pois diante do que tem se visto, se ele conseguir atuar com 50% de sua capacidade, vai ajudar bastante.




FICHA TÉCNICA

CORITIBA 0 x 0 SANTOS
Local: Couto Pereira, em Curitiba (PR)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (FIFA-SC)
Público/renda: 9.262 pagantes/R$ 186.685,00
Cartões amarelos: Márcio, Matheus Galdezani, Neto Berola (COR), Lucas Lima (SfFC)
CORITIBA: Wilson; Léo, Márcio, Walisson Maia e William Matheus; João Paulo, Matheus Galdezani (Neto Berola, aos 23/2ºT), Alan Santos e Carleto (Filigrana, aos 33/2ºT); Iago Dias (Anderson, aos 19/2ºT) e Alecsandro. Técnico: Marcelo Oliveira.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Alison, Léo Cittadini e Lucas Lima; Copete, Bruno Henrique e Kayke (Nilmar, aos 21/2ºT). Técnico: Levir Culpi.


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Duas maravilhosas e importantes defesas. O melhor do país, há muito tempo, menos para o técnico da seleção brasileira Tite, que ainda tem coragem em falar em meritocracia. - 7,0
Victor Ferraz: Na marcação não comprometeu, porém, no apoio, não acertou os cruzamentos. - 5,5
Lucas Veríssimo: Vive ótimo momento. Bem colocado e preciso nas antecipações. Maduro. - 6,5
David Braz: Tão bem quanto o seu companheiro do setor, tanto no desarme, como nas vezes que avançou e curtiu uma de volante. - 6,5
Zeca: Limitou-se a marcação. Ainda não readquiriu a confiança do futebol que o levou a Seleção Brasileira e conquistou o ouro olímpico. Compreensível pelo tempo parado, inclusive com intervenção cirúrgica. - 6,0
Alison: Bem na marcação e na proteção a ala-direita. Não apareceu como surpresa a frente, como atuam os volantes mais modernos. - 6,0
Cittadini: Participativo, teve uma chance que caiu no pé direito que não é o que mais usa na finalização. Vem conquistando seu espaço - 6,0
Lucas Lima: Quis jogo, mas os atacantes do Santos não estavam em suas melhores jornadas. - 6,0
Copete: Todos sabemos de sua capacidade de finalização e participativo em cumprir funções táticas, mas tecnicamente, não vive um bom momento. - 4,5
Bruno Henrique: O Santos depende muito da sua velocidade e capacidade de assistências. Neste domingo, não aconteceu. O melhor atacante do futebol paulista, ao lado de Jô não fez boa apresentação. - 4,5
Kayke: Mal nas finalizações, sua principal função. - 4,0
(Nilmar): Visivelmente fora de ritmo, demonstrou vontade, sofreu falta perigosa de Neto Berola. Vai precisar de tempo. Ainda assim, foi o atacante mais perigoso do time, nesta noite. - 5,5
Técnico: Levir Culpi: Acertou ao colocar Nilmar em campo. O Santos vai precisar do jogador para o restante da temporada. Poderia ter queimado as outras duas alterações, mas preferiu não fazer isso. - 5,5

VANDERLEI HOMENAGEADO

O goleiro Vanderlei, do Santos, antes do embarque para Curitiba, neste sábado (19), na saída do CT Rei Pelé, foi homenageado por torcedores da Associação Família 1912. O camisa 1 santista recebeu uma placa de conselheiros da Entidade.

Segundo o presidente da Associação, Rodrigo Fidalgo, a ideia, surgiu em razão de tudo o que o goleiro que desembarcou na Vila, em 2015, tem feito.
"O propósito foi agradecer o goleiro por ele ser responsável pelos serviços prestados com excelência a toda coletividade alvinegra. Merece estar na Seleção e se ainda não está na do Brasil, está no coração de todos os santistas." disse Fidalgo.
Vanderlei, o preparador de goleiros Arzul e sócios da 1912
O arqueiro recebeu a placa das mãos de Leandro Alberto Paixão, que representou o presidente Rodrigo Fidalgo e o vice Marcelo. Estiveram ao seu lado, o conselheiro Renato Ramirez e os associados Arnaldo Junior, Lucas Alan Morais, Humberto Alves e Murillo Sobrinho.


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by