FOTO CAPA

INVICTO HÁ 15 JOGOS, MAS SEM VENCER NO RETURNO

Publicado às 04h44 desta segunda-feira, 28 de agosto de 2017.
O Santos voltou a empatar no Campeonato Brasileiro. Dessa vez não foi em 0 a 0, como nas três rodadas anteriores. O time de Levir Culpi largou na frente, teve chance de ampliar, porém, após um segundo tempo irreconhecível, permitiu a igualdade. Na noite deste domingo (27), no Mineirão, o alvinegro conheceu seu quarto empate seguido - 1 a 1. O gol de Peixe foi de Bruno Henrique. O time da Vila está há 15 jogos invictos na temporada (12 no Brasileirão), entretanto, perdeu nova oportunidade de se aproximar do líder SCCP.

O meia Renato e o atacante Ricardo Oliveira foram as novidades na escalação inicial do time paulista. O camisa 8 se recuperou de dores musculares e o centroavante de uma pancada nas costas.  

O Santos fez um primeiro tempo extremamente inteligente. Não recuou tanto, mas dava a bola ao adversário e explorava o contra-ataque. Aos 21 minutos, após boas troca de bola, Lucas Lima encontrou Copete nas costas de Diogo Brabosa. O colombiano cruzou e Bruno Henrique abriu o marcador. O Peixe voltava marcar gols após três jogos sem balançar as redes adversárias.

Poucos minutos depois, Bruno Henrique novamente, após maravilhoso passe de cabeça de Ricardo Oliveira, ficou frente a frente com o goleiro Fábio do Cruzeiro, porém, o atacante dono da camisa 27 chutou por cima e perdeu gol incrível. O futebol não tolera desaforo. 

Veio a segunda etapa e o alvinegro praiano foi engolido pelo Cruzeiro. Em determinado momento dos 45 minutos finais, o Santos teve apenas 30% da posse da bola, tamanha a superioridade do time de Minas Gerais que chegou ao empate com Rafinha. 

Daí em diante virou ataque do time de Belo Horizonte contra a defesa da Baixada. Lucas Veríssimo chegou a tirar uma bola em cima da linha.

Apesar do Santos dominar o primeiro tempo e o Cruzeiro, o segundo, se teve um time que teve mais próximo da conquista dos três pontos, foram os donos da casa. A virada cruzeirense só não aconteceu por um aborto da natureza.

Para não dizer que não falei das flores, os 45 minutos iniciais do Santos deixaram a esperança ao torcedor alvinegro que o time pode crescer, mesmo com apenas mais um jogo por fazer, antes da batalha de Guayaquil, pelas quartas de finais da Libertadores, diante do Barcelona. 

Como não venceu o Cruzeiro, o Peixe não igualou o número de pontos do vice-líder Grêmio, que só vai jogar pela terceira rodada do returno, no próximo sábado (2), diante do Vitória-BA.

Neste segundo turno, parece que nenhum clube está disposto a ganhar o campeonato. Santos e SCCP, que se enfrentam na próxima rodada, dia 10, na Vila Belmiro, por exemplo, só fizeram três pontos nos três jogos do returno. 

Para o clássico, na Vila, David Braz recebeu o terceiro amarelo e vai cumprir suspensão automática. Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Fábian Noguera são as opções.

O Campeonato Brasileiro dá uma pausa de 15 dias, em razão das datas FIFA para as eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia. Com isso, a comissão técnica santista deu três dias de folga e os atletas se reapresentarão apenas na próxima quinta-feira (31). 


FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 1 X 1 SANTOS
Estádio do Mineirão - Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa-RS)
Público/renda: 11.028 pagantes/R$ 171.127,00
Cartões amarelos: (CRU), David Braz e Lucas Veríssimo (SFC)
GOLS: Bruno Henrique (21'/1ºT) (0-1), Rafinha (9'/2ºT) (1-1)
CRUZEIRO: Fábio; Ezequiel, Murilo, Digão e Diogo Barbosa; Hudson, Lucas Silva (Nonoca, aos 37'/2ºT), Rafinha (Élber, aos 40'/2ºT) e Thiago Neves (Arrascaeta, aos 12'/2ºT); Rafael Sóbis e Sassá. Técnico: Mano Menezes.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Renato (Léo Cittadini, aos 40'/2ºT), Alison e Lucas Lima; Copete (Nilmar, aos 29'/2ºT), Bruno Henrique e Ricardo Oliveira (Kayke, aos 25'/2ºT). Técnico: Levir Culpi.

Peixe não vence no Brasileiro desde a penúltima rodada do primeiro turno.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: O melhor goleiro da América do Sul, na atualidade, fez três ótimas intervenções. Sem culpa no gol que levou. - 7,0
Victor Ferraz: No lance do gol cruzeirense, estava no meio-campo (o Santos é o único time que os alas apoiam por dentro, como meio-campistas). Não apareceu com a eficiência nas tabelas no apoio. - 5,5 
Lucas Veríssimo: Seria o melhor em campo, se não tivesse mal colocado no lance do gol adversário. Deu espaço para a finalização de Rafinha ao não interceptar a bola no alto. Salvou o time da derrota ao tirar uma bola em cima da linha. - 6,5
David Braz: Bem na saída de jogo e em alguns momentos foi o rebatedor que a zaga precisava. Levou o terceiro amarelo e não enfrenta o SCCP, no clássico do dia 10. - 6,5
Zeca: Teve problemas no começo do jogo, quando o Cruzeiro explorava seu setor, mas não comprometeu na marcação. No apoio foi tímido. - 6,0
Renato: Sentiu a falta de ritmo com a ausência nas duas últimas rodadas. Cansou na segunda etapa e foi substituído. - 5,5
(Cittadini): Jogou apenas oito minutos, incluindo os acréscimos. - SEM NOTA
Alison: Melhorou demais seu comportamento dentro do campo. Não é mais aquele volante vigoroso do começo do carreira que entrava de qualquer jeito e levava muitos cartões. Correu por todos os lados. Voluntarioso. - 7,0
Lucas Lima: Ditou o ritmo no primeiro tempo e deu ótimo lançamento para Copete no lance do gol santista. Foi discreto e sucumbiu com o time no segundo tempo. - 6,5
Copete: Perfeito taticamente na ajuda a Victor Ferraz na marcação. Ótima assistência para Bruno Henrique no gol. Melhor atuação nos últimos jogos. - 6,5
(Nilmar): Correu bastante e queria jogo. Deu azar em razão da postura mais defensiva do time. Precisa de uma sequência para ganhar ritmo. - 5,5
Bruno Henrique: Bem colocado para marcar o primeiro gol, teve tudo para fazer mais um, mas pecou na tomada de decisão e preferiu bater por cima, quando deveria ter batido rasteiro em um dos cantos. - 6,5
Ricardo Oliveira: Longe do Ricardo Oliveira de 2015 e primeiro semestre de 2016, entretanto, a exemplo de Copete, fez sua melhor apresentação nos últimos jogos. Deu uma maravilhosa assistência de cabeça para Bruno Henrique definir o jogo, mas o camisa 27 desperdiçou. - 6,5
(Kayke): Jogou 20 minutos, mais os acréscimos e foi pouco participativo, ao contrário de Nilmar que se não foi eficiente, demonstrou que queria jogo. Não finalizou e não conseguiu ajudar o time a sair da defesa. - 4,5
Técnico: Levir Culpi: Com exceção de Vecchio, teve o Santos que deseja para o restante da temporada e conseguiu segurar os donos da casa com um futebol convincente no primeiro tempo. Fez as três alterações, mas não surtiram efeito. Não conseguiu fazer com que o time saísse de trás na etapa complementar. - 5,5


Sub-15 do Santos embarcou neste domingo para o Rio
EM BUSCA DO BI DA COPA ZICO

Começa nesta segunda-feira (28), no Rio de Janeiro, a Copa da Amizade infantil Brasil - Japão, popularmente conhecida como Copa Zico. Os jogos serão realizados no CF Zico, no bairro do Recreio, no Rio de Janeiro.

O Santos atual campeão, enfrenta hoje às 16h, os japoneses do Kashima Tsukuba. Na terça-feira, no mesmo horário, o CF Zico e na quarta-feira, o Grêmio-RS. Classificam-se duas equipes para a próxima fase que acontece de quinta-feira a sábado em caráter eliminatório.

Na madrugada desta segunda-feira, estou me deslocando para a cidade maravilhosa, a fim de acompanhar a competição. Sendo assim, estarei ausente dos próximos programas Mais 90 do Esporte Interativo, por estar fora do Estado. Não vou a trabalho e sim por conta própria para assistir e torcer para os "Meninos da Vila" nascidos em 2002 e 2003. 

Todavia, "soldado de folga no quartel, quer serviço" e sem rodada no Campeonato Brasileiro, vou dar destaque aqui no Blog e nas minhas redes sociais nas próximas postagens, a essa competição, que conta com outros gigantes do futebol brasileiro.

O torneio é considerado uma dos melhores no país e diversos jogadores foram revelados após se destacarem nesta competição. Boa sorte ao time santista comandado por Gustavo Roma.



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by