FOTO CAPA

FESTA NO PACAEMBU

Publicado às 20h32 deste domingo, 23 de julho de 2017.
O torcedor deu show nas arquibancadas e o Santos venceu o Bahia por 3 a 0, na manhã deste domingo (23), no Pacaembu. O time mantém 22 partidas de invencibilidade no estádio mais charmoso da capital paulistana. Definitivamente, ficou provado que o Santos precisa ir mais ao Pacaembu e o Pacaembu precisa muito do Santos. Os três gols do Peixe foram de Bruno Henrique. O alvinegro está a apenas um ponto do vice-líder Grêmio, que nesta segunda-feira (24), enfrenta o São Paulo, no Morumbi.

Apesar do placar dilatado, o Santos permanece com dificuldades de propor o jogo como mandante. Até abrir o placar, o goleiro Jean, do Bahia, não tinha trabalhado. O resultado em si, foi melhor e maior que o desempenho santista.

Porém, bastou o camisa 1 do time da boa terra "bater roupa" e no rebote, o decisivo Bruno Henrique, abrir o marcador, para o jogo ser outro. Daí para frente, o Santos administrou e em toques rápidos, com o contra-ataque à disposição, a característica mais forte do time comandado por Levir e os gols foram saindo naturalmente.

Muito disso se deve ao melhor jogador em campo. Emiliano Vecchio, que compensa a falta de intensidade com muita técnica, deu as cartas no meio-campo alvinegro. No segundo gol, por exemplo, ele começou a jogada com um chapéu, que teve a assistência maravilhosa de Lucas Lima para novo gol do camisa 27 santista no fim da primeira tempo.

Na segunda etapa, o treinador santista sacou Kayke e colocou Thiago Ribeiro. Pensei que Levir iria colocar Copete "espetado" entre os defensores, o que não aconteceu.

Numa cobrança de Lucas Lima rápida para Daniel Guedes, o ala que tem um dos melhores cruzamentos do futebol do país, achou Fábian Noguera no segundo pau. O argentino, tem como seu forte - o jogo aéreo e ele disputou com o zagueiro do Bahia e a bola sobrou para Bruno Henrique que marcava o terceiro dele e do Santos, para o delírio de mais de pelo menos 34 mil santistas entre os mais de 35 mil presentes ao Paulo Machado de Carvalho. A festa estava completa.

Com o resultado, o alvinegro pulou para 30 pontos e repito, sem barulho e badalação da imprensa, o time está vivo nas competições e mesmo com dificuldades, vai crescendo.

Quarta-feira (27), o Peixe enfrenta o Flamengo pela Copa do Brasil. O alvinegro precisa devolver o resultado do jogo de ida (0-2) para levar para os pênaltis ou vencer por três gols de diferença. Lucas Veríssimo que cumpriu suspensão neste fim de semana, retorna. Alison e Serginho que não estão inscritos nesta competição não ficam à disposição. Pelo Brasileiro, o Glorioso da Baixada só volta a campo, no fim de semana seguinte diante do Grêmio (RS).


FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 X 0 BAHIA
Estádio do Pacaembu, São Paulo
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (FIFA/RJ)
Público/renda: 32.869 pagantes (35.769 presentes) / R$ 1.282.430,00
Cartões amarelos: Daniel Guedes (SFC), Eduardo (ECB)
Gols: Bruno Henrique (29'/1ºT) (1-0), Bruno Henrique (46'/1ºT) (2-0), Bruno Henrique (31'/2ºT) (3-0)
SANTOS: Vanderlei, Daniel Guedes, Fabian Noguera, David Braz e Jean Mota; Yuri, Vecchio (Rafael Longuine, 36'/2ºT) e Lucas Lima; Bruno Henrique, Kayke (Thiago Ribeiro, intervalo) e Copete (Alison, 29'/2ºT). Técnico: Levir Culpi.
BAHIA: Jean, Eduardo (Eder, intervalo), Tiago, Lucas Fonseca e Matheus Reis; Renê Júnior e Juninho; Zé Rafael, Vinícius e Allione (Júnior Brumado, 19'/2ºT); João Paulo (Mendoza, intervalo). Técnico: Jorginho.

Vecchio fez apenas a sexta partida na temporada, mas foi um dos destaques na vitória por 3-0.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Não canso de dizer. O melhor goleiro em atividade no país. O clube tem a segunda melhor defesa do campeonato, muito em razão da sua performance. Fez duas defesas muito difíceis. - 7,0
Daniel Guedes: Errou um cruzamento no primeiro tempo, que não costuma. Compensou no segundo, quando deu inicio a jogada do terceiro gol. Teve altos e baixos no jogo, mas foi apenas o seu quinto jogo na temporada. - 6,5 
Fabian Noguera: Na sua principal característica, o jogo aéreo, foi bem e participou do terceiro gol. Não comprometeu defensivamente. - 6,5
David Braz: Começou mal, errando alguns passes. Depois se recuperou na partida. - 6,5
Jean Mota: Está confiante. Melhorou na marcação. - 6,5
Yuri: Foi bem na marcação e mesmo não sendo tão rápido para alguns, roubou várias bolas. - 6,5
Vecchio: Dá velocidade no jogo com apenas um toque. Compensa a falta de velocidade como muita inteligência e qualidade técnica. Os números são irrefutáveis. Em 16 partidas, são 14 vitórias, um empate e uma derrota com a camisa santista. Cavou seu lugar no time. - 8,0 
(Longuine): Jogou pouco mais de 10 minutos com os acréscimos. - SEM NOTA
Lucas Lima: Participou do segundo gol (finta de quem sabe jogar) e do terceiro ao cobrar rápido a falta. - 8,0
Bruno Henrique: Antes de marcar o primeiro gol, não estava bem na partida. Bem colocado para marcar os três gols do jogo. - 8,5
Kayke: Participou do primeiro gol ao chutar a bola que Jean espalmou. No mais, foi discreto. Substituído no intervalo. - 5,5
(Thiago Ribeiro): Primeiro entrou como centroavante. Pouco foi acionado. Depois foi jogar pela extrema direita do ataque com a saída de Copete. Recompôs o meio. Tem boa leitura tática. - 6,0
CopeteTecnicamente, não apareceu. Mas ajuda muito na marcação e é de uma entrega imensa no jogo. - 6,5
(Alison): Ajudou a recompor o sistema de marcação. Como Vecchio e Lucas não tem tanto poder de marcação, creio que num futuro próximo Levir terá de rever essa composição no meio-campo. Talvez tenha de abrir mão do terceiro atacante. - 6,0
Técnico: Levir Culpi: Acertou em manter Vecchio no meio-campo. Deu mais qualidade ao setor. O Bahia não levou gols nos dois últimos jogos como visitante e não perdia há cinco jogos. - 7,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by