FOTO CAPA

VITÓRIA NO APAGAR DAS LUZES

Publicado às 23h59 desta quarta-feira, 7 de junho de 2017.
O Santos conseguiu se reabilitar no Campeonato Brasileiro. No último lance, o lateral-direito Victor Ferraz fez o único gol do jogo em uma cobrança de falta e o alvinegro sai do Pacaembu vitorioso pela 20a. vez seguida.

Sem Lucas Lima, Zeca e Ricardo Oliveira lesionados e Bruno Henrique -suspenso, entre outros, o Santos começou em cima do Botafogo, cheio de dificuldades e teve em Vecchio, apesar de nove meses sem jogar, o jogador mais inspirado na primeira etapa. A última partida do argentino tinha acontecido em 5 de outubro do ano passado, na vitória santista sobre o Fluminense, na Vila. Ele ditava o ritmo da equipe. O menino e insinuante Arthur também levou perigo em alguns lances pela esquerda do campo.

O Botafogo por sua vez, bem organizado pelo promissor e ótimo Jair Ventura, levava perigo nos contra-golpes. Teve duas chances seguidas no primeiro tempo. Em uma delas, Pimpão, cara a cara com Vanderlei, se atrapalhou.

Na segunda etapa, já era de esperar que Vecchio não aguentaria, em razão da falta de ritmo. O camisa 20 precisa de uma sequência para readquirir a melhor forma. Ele deu lugar a Rodrigão. Com isso, Vitor Bueno veio ser armador, lembrando os tempos de Botafogo de Ribeirão Preto e Kayke foi deslocado aberto pela direita com Rodrigão espetado e centralizado. 

Depois das alterações, em diante, apesar de ter a posse de bola, o Peixe não chegava ao gol adversário. O Botafogo, dentro de suas pretensões, apesar de não finalizar, fazia partida melhor que o time praiano nos 45 minutos finais.

Mas no futebol, o que vale é bola na rede. Aos cinquenta minutos da segunda etapa, ou seja, nos acréscimos, em uma falta duvidosa, Victor Ferraz cobrou no canto do goleiro Helton Leite, que aceitou e a bola morreu no fundo da rede para o delírio de pouco mais de 12 mil pagantes (14,5 mil presentes). O Peixe volta a vencer após duas derrotas seguidas.

Valeu pela insistência de acreditar até o fim. Pelos três pontos principalmente, pois, independente de que forma ele chegaria, foram fundamentais para a busca da recuperação da confiança, para começar a defenestrar a fase que não é boa e o time começar a encaixar para as quartas de finais da Copa do Brasil diante do Flamengo e as oitavas da Libertadores.

O Santos fez uma bela apresentação? Não, longe disso. O time tem problemas de cobertura na defesa, por exemplo, tem pouca velocidade na transição, porém, conquistou o seu objetivo nessa noite e o torcedor que foi ao "próprio da municipalidade paulistana" merecia ir para casa aliviado, o que efetivamente aconteceu.

No próximo domingo (11), ainda sem Levir Culpi (o novo comandante só assume na segunda-feira, mesmo tendo acompanhado a partida das tribunas do Pacaembu), o Santos pega o Atlético-PR, na Arena da Baixada, às 19h, ainda sob o comando do auxiliar Elano. 

Zeca, Ricardo Oliveira e Bruno Henrique devem estar à disposição do interino e podem ser as novidades em Curitiba, no fim de semana. 

Vecchio voltou após nove meses e era o jogador mais lúcido do time. Cansou no começo da segunda etapa.
FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 0 BOTAFOGO-RJ
Estádio do Pacaembu
Data-hora: 7/6/2017 - 21h
Árbitro:Jaison Macedo Freitas (BA)
Público e renda: 12.190 pagantes (14.186 presentes) / R$ 349.190,00
Cartões amarelos: Lucas Veríssimo, Thiago Maia e Vitor Bueno (SFC). 
GOL: Victor Ferraz (50', 1-0)
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Matheus Ribeiro (Jean Mota, intervalo); Renato, Thiago Maia e Vecchio (Rodrigão, 11'/2ºT); Vitor Bueno (Vladimir Hernández, 28'/2ºT), Arthur Gomes e Kayke. Técnico: Elano
BOTAFOGO-RJ: Helton Leite; Arnaldo, Joel Carli, Igor Rabello e Gilson; Lindoso, Fernandes (Montillo, 26/2ºT), Matheus Fernandes e João Paulo; Rodrigo Pimpão (Pachu, 34'/2ºT) e Roger. Técnico: Jair Ventura

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Seguro. Transmite confiança para a defesa. - 6,5
Victor Ferraz: Era um dos poucos que tentava construir. Não fazia uma grande partida no apoio, mas indubitavelmente foi o mais decisivo jogador para a vitória ao marcar na última bola. - 7,0
Lucas Veríssimo: Tem demonstrado evolução. Ficou receoso após o cartão amarelo que recebeu, mas não comprometeu. - 6,0
David Braz: Em alguns posicionamentos em bolas cruzadas na área não esteve tão bem posicionado. - 5,5
Matheus Ribeiro: Um passe errado no primeiro tempo que quase proporcionou um gol do adversário. Parece que precisa readquirir a confiança dos tempos de Atlético-GO. - 4,5
(Jean Mota): Deu menos espaços que seu antecessor. Foi em alguns lances a frente. - 5,5
Renato: Bem na distribuição e saída na primeira bola. Não foi a frente como elemento surpresa. - 5,5
Thiago Maia: Extremamente participativo, como de costume. Tentou ir a frente e até finalizou. Bem na cobertura das laterais. - 6,5
Vecchio: O mais lúcido da equipe. Ditou o ritmo do time no primeiro tempo. Tem boa visão de jogo. Não aguentou permanecer em campo, pois não atuava há nove meses. Jogou 55 minutos. Precisa de uma sequência para readquirir o ritmo.  - 6,5
(Rodrigão): Muito voluntarioso, mas teve pouca eficácia. - 4,5 
Vitor Bueno: Tentou tabelar e funcionou melhor aberto do que como meia. - 5,5
(Hernández): O "chaveirinho" da Vila, aberto pelo lado dessa vez não repetiu as boas atuações de outros jogos. Discreto. - 5,0
Arthur Gomes: Foi melhor no primeiro tempo. Tem intensidade e velocidade. Ainda peca por ser jovem em algumas tomadas de decisões. Outra que precisa de uma sequência para se firmar. - 6,0
Kayke: Quase não finalizou. Também não é menos verdade, que a bola pouco chegou para isso. Quando foi colocado pelo lado, que não é a sua, desapareceu. - 4,5
Técnico (Interino): Elano: Demonstrou convicção em não querer improvisar. Porém, durante o jogo, teve que colocar jogadores que não são da posição, primeiro por necessidade- Jean na vaga de Matheus (não tinha lateral de ofício no banco) e eu particularmente, não gostei, quando tentou Vitor Bueno de meia, com Kaike pelo lado. Quando colocou Hernandez no último terço do segundo tempo, refez (um pouco) dessa improvisação - 5,5


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by