FOTO CAPA

CONTRA-ATAQUE MORTAL

Publicado às 22h49 desta quarta-feira, 21 de junho de 2017.
O Santos venceu pela segunda vez fora de casa, neste Brasileirão. Na noite desta quarta-feira (21), a equipe dirigida por Levir Culpi, no Barradão em Salvador, derrotou o Vitória-BA, por 2 a 0, com dois gols de Copete. O resultado deixou o time, antes do término da rodada, na terceira colocação, atrás apenas de SCCP e Grêmio.

Para recuperar os pontos perdidos no Pacaembu, no último sábado diante da Ponte, o Santos voltou a explorar a mesma velocidade utilizada diante do Atlético-PR, em Curitiba há dez dias. E Bruno Henrique, novamente, em ótimo momento, foi a melhor e a grande arma. Ele puxou os dois contra-ataques que resultaram nos gols de Copete.

No primeiro tempo, o Santos teve problemas no começo da partida, depois conseguiu se impôr, principalmente nos erros do adversário. 


Para não dizer que não falei das flores, a meia cancha santista, sem Lucas Lima, teve dificuldades na construção das jogadas. Exceção a um passe de Vitor Bueno que o zagueiro dividiu com Copete, os lances perigosos do Peixe foram todos em velocidade no contra-ataque sempre com Bruno Henrique e normalmente após passes errados do time soteropolitano.

No segundo tempo, com a entrada do "menino revelado na Vila" - Neílton, no time da "boa terra", deu um trabalho para a defesa santista do lado esquerdo. Foi a quinta partida que o alvinegro não sofreu gols de forma consecutiva. 

E no final do jogo, teve um pênalti que Kiesa mandou no travessão de Vanderlei, que tinha feito dois milagres, no mesmo lance, ainda no primeiro tempo.

No próximo sábado (24), na Vila Belmiro, o Peixe volta a campo, às 19h, diante do Sport. Thiago Maia que cumpriu suspensão é retorno garantido. Lucas Lima, gripado, vai ser reavaliado. Em compensação, David Braz recebeu o terceiro amarelo e está fora do duelo. 

FICHA TÉCNICA
VITÓRIA-BA 0 X 2 SANTOS
Estádio do Barradão - Salvador (BA) 
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Público e renda: 8.179 pagantes/ R$ 112.189,00
Cartões amarelos: Neílton e Geferson (VIT); David Braz (SFC)
Gols: Copete 33' 1ºT (0-1) e 31' 2ºT (0-2)
VITÓRIA-BA: Fernando Miguel; Leandro Salino (Neilton - intervalo), Kanu, Fred e Geferson; Willian Farias, Uillian Correia, Patric e Gabriel Xavier (Todinho 30' 2ºT); David (André Lima 20' 2ºT) e Kieza. Técnico: Alexandre Gallo
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Lucas Veríssimo e Alison (Cittadini 16' 2ºT); Renato, Jean Mota e Vitor Bueno (Longuine 24' 2ºT); Kayke, Copete (Arthur 35' 2ºT) e Bruno Henrique. Técnico: Levir Culpi.

Copete marcou os dois gols do Santos em Salvador. Ele já marcou cinco vezes em três jogos diante do Vitória-BA.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Fez duas defesas no mesmo lance no primeiro tempo, dignas do melhor goleiro do país na atualidade. Goleiro bom tem de ter sorte também.  Viu a bola explodir o travessão no pênalti cobrado por Kieza. - 7,5
Victor Ferraz: Sem problemas para defender, foi a frente, mas não conseguiu ser o "armador" pelo lado direito que sempre troca de passes no ataque. - 6,0
David Braz: Partida segura, com poucos sustos. - 6,5
Lucas Veríssimo: Defensor que critiquei bastante, principalmente o ano passado, cresceu muito. Vem atuando de forma segura há alguns jogos. - 6,5
Alison: Desde que voltou de empréstimo do Red Bull, no fim da participação do clube do interior no Estadual, não tinha jogado. Sentiu a falta de ritmo. No primeiro tempo, falhou num lance. Foi substituído na segunda etapa. - 5,0
(Cittadini): Mesmo sem ser marcador, participou mais na troca de passes. - 6,0
Renato: Não se aventurou a frente. Ficou na cabeça da área a frente da defesa com a responsabilidade do primeiro passe. - 6,0
Jean Mota: Sofreu no segundo tempo para conter a velocidade de Neílton. Bem na distribuição da bola. - 6,5
Vitor Bueno: Deu ótima assistência para COpete no começo do jogo, mas o colombiano não conseguiu finalizar. Depois tive dificuldades na armação. Rende mais pelo lado direito do campo. - 6,0 
(Longuine): Discreto. Pouco apareceu. - 5,5
Kayke: Poucas finalizações. Saiu bastante da área. - 6,0
Copete: Ao lado de Bruno Henrique, os grandes responsáveis pela vitória santista em Salvador. O primeiro gol foi com o pé direito. - 8,0
(Arthur): Jogou apenas 10 minutos, mais os acréscimos. - SEM NOTA
Bruno Henrique: No contra-ataque é covardia contra . Ele "voa" em cima dos defensores. Só precisava ter uma tomada de decisão um pouco mais precisa. Dos 9 gols do Santos no campeonato, seis foram assistências dele, duas neste noite. - 8,0
Técnico: Levir Culpi: Segue invicto a frente do time em seu terceiro jogo no comando. Eu particularmente, quando retirou Vitor Bueno, prefiro Vecchio, mesmo sem a mesma velocidade de Longuine, que é mais vertical. O argentino voltou a ser relacionado diante do Botafogo-RJ e depois não jogou mais um minuto sequer. Santos voltou a ter o contra-ataque bem forte. O meio-campo teve muitas dificuldades em reter a bola e construir jogadas. O alvinegro chegou muito no contra-golpe e sempre proporcionado por toques errados do time da casa. - 6,5


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by