FOTO CAPA

RESERVAS GOLEIAM NO ABC

Publicado às 22h20 deste domingo, 12 de março de 2017.
Neste domingo (12), no Estádio Primeiro de Maio, no ABC paulista, Dorival poupou nove titulares, mas o Peixe deu show e goleou o São Bernardo por 4 a 1, em partida válida pela oitava rodada do estadual. Destaques para Bruno Henrique que marcou três gols e o colombiano Vladimir Hernandez que fez sua primeira partida no campeonato e participou de três dos quatro gols da equipe. O Peixe enfim, deu uma resposta no Paulistão e mantém vivas as esperanças de classificação em busca do tri-campeonato.

No último sábado (11), o Blog do ADEMIR QUINTINO publicou que o treinador Dorival Junior só definiria o time momentos antes da partida e que titulares importantes poderiam ficar de fora. De fato, foi o que aconteceu. O comandante técnico, em razão do desgaste que a delegação sofreu no retorno de Lima, no Peru, quando desembarcaram na Baixada, apenas no fim da noite de sexta-feira (10), achou por bem manter apenas o goleiro Vladimir e o zagueiro David Braz como titulares para partida decisiva deste fim de semana. Uma derrota comprometeria as possibilidades de classificação na competição.

Mas a escolha deu certo. Os reservas do Peixe, após um começo difícil, encaixaram o jogo e deram uma aula de contra-ataque. Com Bruno Henrique "correndo mais que notícia ruim" e com a pontaria afiada, além de Vladimir Hernandez que se não vai aparecer tanto para o público, pois dá apenas um toque na bola, entretanto é extremamente objetivo, o alvinegro fez a sua segunda melhor partida na temporada, abaixo apenas da estréia diante do Linense, na vitória por 6 a 2.

No começo do jogo, Dorival pedia para o Santos marcar pressão e forçar a defesa do time do ABC paulista a "rifar a bola". Com isso, a defesa também se adiantava e o ex-santista Walterson, dava trabalho nas costas de Matheus Ribeiro e Lucas Veríssimo. 

Mas a noite era de Bruno Henrique que aproveitou o rebote no chute na trave de Longuine e abriu o marcador. Logo em seguida, a defesa santista levou o terceiro gol seguido de bola aérea (já havia levado em Itaquera e no Peru). Ainda no primeiro tempo, Bruno Henrique, o melhor do jogo, recebeu assistência de Leandro Donizete (quem diria) e sofreu penalidade máxima que ele mesmo bateu (o goleiro pegou e no rebote) e converteu - 2 a 1.

No começo da segunda etapa, Bruno Henrique novamente, após nova assistência de Vladimir Hernandez que atuou aberto pela direita, ampliava - 3 a 1. Ainda deu tempo para mais uma nova assistência do Colombiano para Longuine definir a goleada - 4 a 1.

A vitória deu demonstrações que o clube tem ótimas opções entre os suplentes, principalmente pela beirada de campo, onde além dos titulares Vitor Bueno e Copete, tem Bruno Henrique e Hernandez. Para não dizer que não falei das flores, a equipe ainda demonstra problemas na marcação e no sistema defensivo, porém, o torcedor santista vai dormir mais tranquilo com o que viu nesta noite. O time demonstrou atitude e foi brioso. 

Eu mesmo, que elogiei as contratações que a equipe realizou para 2017 (em sua grande maioria), me preocupei, porque a maioria ainda não tinha sido utilizada. Entretanto, em São Bernardo do Campo, demonstraram que são capazes. Claro, não venceram um clássico, mas tiveram uma apresentação convincente e dão alternativas ao comandante técnico que se algum jogador até então intocável deixar de render, tem outros pedindo passagem para entrar e poder render.

Na próxima quinta-feira (16), o Santos volta a campo, desta vez pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores da América. O alvinegro enfrenta o The Strongest-BOL, líder da chave, às 21h45, na Vila Belmiro. 

Pelo Paulistão, o próximo duelo é o clássico do próximo domingo (19), diante do Palmeiras, também em Urbano Caldeira, às 18h30.

Antes tarde do que nunca. Não pode se empolgar com essa vitória e achar que é a "oitava maravilha do mundo", mas a "maré pessimista", aos poucos, parece que vai se afastar. 

Hernandez participou de três dos quatro gols.

FICHA TÉCNICA
SÃO BERNARDO 1 X 4 SANTOS
Estádio Primeiro de Maio - São Bernardo do Campo (SP) 
Árbitro: Vinicius Furlan
Público/renda: 5.702 pagantes/R$ 157.735,00
Cartões amarelos: Felipe Mateus (SBR), Yuri (SAN)
Gols: Bruno Henrique (24'/1ºT) (0-1), Geandro (36'/1ºT) (1-1), Bruno Henrique (46'/1ºT) (1-2), Bruno Henrique (2'/2ºT) (1-3), Longuine (30'/2ºT) (1-4)
SÃO BERNARDO: Daniel; Braga (Rafael Costa, aos 4'/2ºT), João Francisco, Edimar e Eduardo; Geandro (Rodolfo, aos 26'/2ºT), Vinícius Kiss, Felipe Mateus e Marcinho (Patrick Vieira, aos 19'/2º); Walterson e Edno. Técnico: Sergio Vieira.
SANTOS: Vladimir; Matheus Ribeiro, David Braz, Lucas Veríssimo e Jean Mota (Zeca, aos 17'/2ºT); Leandro Donizete, Yuri e Longuine; Vladimir Hernández (Thiago Ribeiro, aos 32'/2ºT), Bruno Henrique (Rodrigão, aos 37'/2ºT) e Kayke. Técnico: Dorival Junior.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Vladimir: Maduro, vive ótimo momento. Não fez defesas tão difíceis como no Peru, mas tá com "o corpo fechado" pois, quando ele não pega, a trave salva. - 6,5
Matheus Ribeiro: Precoce fazer uma análise definitiva. Foi apenas o primeiro jogo, mas na marcação tomou um vareio de Walterson. Com a bola no pé até que demonstrou qualidade. - 5,0
David Braz: O mais seguro da defesa. Não canso de afirmar. Em forma e quando faz o "arroz com feijão bem temperado", o camisa 14 vai muito bem. Está readquirindo ritmo de jogo. - 6,5
Lucas Veríssimo: Quando saiu na caça a Edno, perdeu a maioria. Rebatedor. No primeiro tempo, não tinha cobertura e deu espaços. Melhorou no segundo tempo. - 5,5
Jean Mota: Antes de ser meia, atuou na ala esquerda no Fortaleza e na Portuguesa de Desportos. Não comprometeu. Pediu para ser substituído após sentir cãibras. Há muito tempo sem jogar. - 6,0
(Zeca): Mais acostumado na posição, além de acabar com a farra de Walterson (no segundo tempo, o ex-santista saiu da esquerda para a direita do seu ataque), apareceu mais para o jogo e deu uma qualidade um pouco melhor na saída de bola. - 6,5
Leandro Donizete: Não sou muito fã de seu futebol, confesso, mas também não posso ser injusto e não dizer que o camisa 30 fez sua melhor apresentação desde que chegou ao clube. Os 30 últimos minutos do primeiro tempo foi quase perfeito na marcação, com direito a um lançamento a Bruno Henrique que sofreu pênalti. - 7,0
Yuri: Errou passes demais, principalmente no primeiro tempo, algo incomum, já que é a sua melhor qualidade. Cometeu faltas que não costuma fazer. Tem muito mais bola do que apresentou neste domingo. - 5,5
Longuine: Outro jogador que sinceramente, não me empolga, porém, fez uma apresentação satisfatória, muito boa. Participou do primeiro gol e ainda fez o último. Foi extremamente participativo. - 7,5 
Vladimir Hernández: Gosto do estilo desse jogador. Não carrega a bola, mas é objetivo em apenas dar um toque na bola e proporcionar assistências perfeitas. Participou de três dos quatro gols. Merecidamente foi aplaudido ao ser substituído. Colocou um "trevo" na cabeça de Dorival. Joga tanto pelo lado, mas pode desafogar Lucas Lima, quando o meia tiver bem marcado. - 8,0
(Thiago Ribeiro): Entrou no final. Ajudou Matheus Ribeiro que tinha problemas na marcação. - SEM NOTA.
Bruno Henrique: A noite era dele. Marcou três gols. Demonstrou velocidade no melhor estilo "Bolt", dribles longos e bom posicionamento para finalização. Parece não ser tão habilidoso com dribles curtos, mas sua força e seu jogo aéreo (que ainda não pode ser constatado) podem ajudar e muito na temporada. - 9,0
(Rodrigão): Entrou há menos de 10 minutos do fim. - SEM NOTA
Kayke: Do ataque avassalador, foi quem menos apareceu. A única exceção foi a abertura das pernas para o terceiro gol de Bruno Henrique. - 5,0
Técnico: Dorival Junior: Fez a escolha correta ao tirar a maioria dos titulares. Pode testar alternativas que pouco foram utilizados na temporada, até então. Acertou ao colocar pela primeira vez Bruno Henrique na esquerda, onde atuava pelo Goiás em 2015 e Hernandez pela direita. Ganhou alguns problemas para escalar a equipe futuramente. Como sou chato e cobro de quem tem potencial e eu acredito no trabalho de Dorival, eu tenho a convicção que era jogo para o menino Arthur entrar. Com o técnico português do time do ABC mandando a sua equipe a frente; a velocidade e a habilidade do jovem revelado na Vila, podiam ser fundamentais para uma goleada ainda maior. - 7,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by