FOTO CAPA

TERCEIRO JOGO SEM VITÓRIA

Publicado às 00h05 desta quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017.
Santos e Ituano fizeram uma partida tecnicamente muito fraca. Foi o terceiro jogo seguido do alvinegro sem vitória. Em Itu, o Peixe só empatou com os donos da casa em 0 a 0. Já são 260 minutos sem marcar gols. O último foi de Copete, aos 10 minutos do primeiro tempo, no clássico diante do São Paulo. 


Não será necessário muitas linhas para descrever o que foi a partida. No primeiro tempo, o alvinegro teve a posse de bola, mas só finalizou uma vez, após os 40 minutos do jogo, enquanto o Ituano chutou cinco vezes.

Na etapa complementar, mais do mesmo, porém com o time de Dorival Junior finalizando um pouco mais, mas sem perigo contra a meta de Fábio. 

O Santos não teve inspiração e criatividade. Repito o que escrevi no sábado passado - Me dá a impressão de que alguns jogadores perderam a confiança. 

O time foi recheado de desfalques para o interior paulista - Vanderlei, Renato, Ricardo Oliveira, Lucas Lima, Caju e Jean Mota, todos no departamento médico, exceção ao camisa 9, que foi poupado. Além deles, Cléber suspenso e Vladimir Hernandez com problemas na documentação não enviada pelo Junior Barranquilla, completaram a lista de ausentes. 

E como escrevo algumas vezes, infelizmente, não existe nada tão ruim, que não possa fica pior. O meia Léo Cittadini deixou o gramado ainda no primeiro tempo, após um choque no meio campo e vai realizar exames no joelho para ser melhor avaliado, se teve problemas nos ligamentos, ainda nesta quarta-feira (22).

Independente dos jogadores que não puderam atuar, não tem como justificar o futebol burocrático apresentado no segundo tempo do clássico da semana passada e dos dois últimos jogos, diante de Ferroviária e Ituano.

No próximo sábado (25), na Vila Belmiro, o alvinegro enfrenta o Botafogo-SP, pela sexta rodada da competição. O time recuperou momentaneamente a segunda colocação do grupo D, entretanto, a Ponte Preta que tem o mesmo número de pontos do Peixe (7), tem um jogo a menos. A Macaca joga hoje.

Sem desmerecer o estadual, onde a equipe é finalista de forma consecutiva desde 2009, o que mais preocupa é a estréia na Libertadores, dia 9. Faltam apenas 16 dias para o Santos ir até o Peru, enfrentar o Sporting Cristal. São mais duas partidas até lá. A do próximo fim de semana e o clássico, em Itaquera, diante do rival, dia 5 de Março. 

Para não dizer que não falei das flores, foi o primeiro jogo do ano em que o clube não sofreu gols e como é apenas o incio da temporada, fica a esperança de que o time reaja logo. 

FICHA TÉCNICA
ITUANO 0 X 0 SANTOS
Estádio Novelli Júnior, em Itu
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira
Cartões amarelos: Claudinho, Mateus (ITU); Lucas Veríssimo, Leandro Donizete (SFC)
Público/Renda: 3.564 pagantes/ R$153.120,00.
ITUANO: Fábio; Arnaldo, Mateus, Lima e Peri; Walfrido, Simião, Igor e Guilherme (Romarinho, aos 6'/1T); Morato (Bassani, aos 39'/2T) e Claudinho (Lucas Crispim, aos 8'/2T). Técnico: Tarcisio Pugliese.
SANTOS: Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Yuri e Zeca; Thiago Maia, Leandro Donizete e Cittadini (Thiago Ribeiro, aos 22'/1T); Vitor Bueno, Copete e Kayke (Bruno Henrique, aos 36'/2T). Técnico: Dorival Júnior.

Cittadini deixa o gramado de maca e preocupa o Departamento médico.



NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vladimir: Evitou o pior. Fez no mínimo duas grandes defesas. A última de Lucas Crispim - decisiva. - 7,0
Victor Ferraz: O ala mesmo com dores na região da cintura que quase o tiraram do duelo, errou muitos passes, algo incomum. Não conseguiu apoiar com eficácia, sua grande qualidade nas tabelas pela direita. - 5,0
Veríssimo: Dificuldade na saída de bola. Em uma delas, Vladimir evitou o gol do adversário. - 5,0
Yuri: Dessa vez não foi muito ao meio-campo para ajudar no passe. Preferiu guardar posição. - 5,5
Zeca: Joga muito mais do que apresentou nos últimos jogos. Também pouco apoiou e preferiu priorizar a marcação. - 5,5
Thiago Maia: Um dos poucos que individualmente agradaram. Roubou bolas e tentou ir a frente, colaborar na construção das jogadas. - 6,5
L.Donizete: Burocrático. Não comprometeu, mas não se expôs, como disse na sua apresentação no CT Rei Pelé e na oportunidade, afirmou que tinha bom passe, digno de elogios de Ronaldinho Gaúcho. Levou um amarelo que um jogador com a sua experiência, não pode levar. - 5,0
Cittadini: Apenas 15 minutos em campo. Saiu lesionado e preocupa. - SEM NOTA
(T.Ribeiro): Entrou aberto pela direita. Teve uma chance para decretar a vitória e desperdiçou. - 5,0
Vitor Bueno: Não repetiu o ótimo futebol do clássico. Discreto. - 5,0
Copete: Melhor do que na rodada passada, porém, bem abaixo do que já produziu com a camisa alvinegra. - 5,0
Kayke: Pouco pegou na bola para finalizar. Prejudicado pelo fato do meio-campo não ter criado. - 5,0
(B.Henrique): A exemplo dos últimos dois jogos, entrou nos minutos finais. Muita correria, mas pouca produtividade. Também serei injusto se for mais exigente, pois ficou pouco em campo. - 5,0
Técnico: Dorival Júnior: Mesmo com maior posse de bola e pouca finalização, preferiu mexer no time apenas aos 36 minutos da etapa complementar. Sem Lucas Lima e Jean Mota e até mesmo Caju que quebra o galho no setor, não tinha meias com características de criação. Como o gramado era pesado e o clube lançou muitas bolas longas e alçadas, podia ter colocado Rodrigão, que tem mais este estilo brigador. - 5,0



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by