FOTO CAPA

SAI ZICA

Publicado às 23h00 deste domingo, 18 de setembro de 2016.
O Santos conseguiu a sua terceira vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro ao bater o Santa Cruz no Pacaembu, neste domingo (18) por 3 a 2. O resultado manteve a equipe na quarta colocação (e zona da Libertadores), agora com 45 pontos e abriu quatro pontos do quinto colocado, o SCCP. Os gols do Peixe foram de Copete, Jean Mota e Vitor Bueno. 

O Peixe largou na frente logo no começo da partida. Copete aproveitou o rebote após a cabeçada de Ricardo Oliveira bater no zagueiro e com 4 minutos, o alvinegro já vencia por 1 a 0. Foi a primeira partida de Copete no próprio da municipalidade paulistana e logo de cara fez seu primeiro gol no estádio.

Daí, em diante, o time de Dorival parou de agredir e o ótimo atacante de beirada Keno, começava a fazer um estrago na defesa santista. Ainda assim, os times foram para o intervalo com a vantagem mínima do Santos.

Quando as equipes voltavam para o gramado, faltou luz no estádio e o jogo ficou paralisado pouco mais de 20 minutos. Muitos torcedores foram embora, em razão da forte chuva e raios na região. 

Quando a energia voltou, Keno aproveitou rebote da zaga santista e empatou o jogo para os nordestinos. A justiça estava sendo feito, pois os pernambucanos jogavam melhor e parecia até que iram virar o jogo. Porém, a torre a esquerda do tobogã, apagou novamente. Nova paralisação. Para o Peixe foi melhor. O time sentiu demais o gol.

Logo após o jogo ser reiniciado, Copete, um leão ganhou na raça, pela esquerda e cruzou. Ricardo Oliveira com muita inteligência ajeitou para o eficiente Jean Mota que havia entrado há pouco tempo na vaga de Thiago Maia, desempatar a partida novamente - 2 a 1.

Quando tudo parecia que ficaria mais fácil, Copete finalizou e o goleiro do time nordestino, Thiago Cardoso, fez um milagre, entretanto, no contra-ataque imediato a esta jogada, Keno, ele novamente, empatou a partida e calou o Pacaembu há menos de dez minutos do fim. A igualdade e o tropeço diante de mais um time na zona do rebaixamento parecia que seria consumado.

Mas a partida ainda estava aberta e Vitor Bueno, após receber passe de Jean Mota, recebeu na diagonal do lado direito, arrumou para canhota e fez um golaço, decretando números finais. - 3 a 2.

Dizer que o Santos fez uma partida maravilhosa? Não, absolutamente, era para ter uma vitória tranquila, porém, as sinas de ceder o resultado para o adversários nos minutos finais estão ficando para trás. Foi assim, nos três últimos jogos. O time ainda não reeditou as excelentes apresentações do fim do primeiro turno, mas a doce rotina de vitórias vão colaborar para reencontrar esse equilíbrio.

O alvinegro dá uma pausa no Brasileirão e pensa na Copa do Brasil, na próxima quarta-feira, às 21h45. Em São Januário, o time santista pode até perder por um gol de diferença que ainda assim, estará nas quartas de final da competição. Ricardo Oliveira que saiu com dores na parte posterior da coxa direta, deve passar por exames e passa a ser a maior dúvida. No Campeonato Brasileiro, o próximo adversário é o Sport, na Ilha do Retiro, no próximo sábado (24).

E para finalizar, mais de 24 mil pagantes (acima de 28 mil presentes) fizeram uma linda festa no próprio da municipalidade paulistana.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 X 2 SANTA CRUZ
Pacaembu
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL) 
Público/renda: 24.586 pagantes/R$ 884.560,00
Cartões amarelos: Luiz Felipe (SAN), Wellington Cézar (STA)
Gols: Copete 4' 1ºT (1-0); Keno 10' 2ºT (1-1); Jean Mota 27' 2ºT (2-1); Keno 40' 2ºT (2-2); Vitor Bueno 41' 2ºT (3-2)
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia (Jean Mota 18' 2ºT), Lucas Lima (Yuri 42' 2ºT) e Vitor Bueno; Copete e Ricardo Oliveira (Rodrigão 34' 2ºT). Técnico: Dorival Junior
SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Léo Moura, Neris, Danny Morais e Allan Vieira (Luan Peres 5' 2ºT); Jadson (Wellington Cézar 20' 2ºT), Derley, Pisano e João Paulo; Keno e Bruno Moraes (Grafite 23' 2ºT). Técnico: Doriva

Copete abriu o marcador. FOi a primeira vez dele no Pacaembu e já deixou sua marca.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Bela defesa em cabeçada de Grafite. No primeiro gol, tocou na bola. - 6,5
Victor Ferraz: Começou apoiando. Depois teve que guardar posição em razão da ótima performance do ponta Keno. - 5,5
Luiz Felipe: Vinha bem, mas foi envolvido no lance do primeiro gol dos pernambucanos. Tem bola para se manter titular. - 5,0
Gustavo Henrique: RebatedorNo segundo gol, tava sem cobertura. - 6,0
Zeca: Muito bem na defesa. No primeiro tempo saiu da esquerda para fazer cobertura. Não conseguiu apoiar. - 6,5
Renato: Homem da transição da defesa para o meio-campo e da inversão de jogo. - 6,5
Thiago Maia: Bem na marcação. Não foi a frente para ser elemento surpresa. Substituído. - 6,0
(Jean Mota): Longe de ser diferenciado, mas entrou bem nas três partidas. Divide com Lucas Lima a responsabilidade de coordenação de jogadas. Lindo chute no segundo gol. E dos seus pés saiu o lançamento para o terceiro. - 7,0
Lucas Lima: Está aos poucos retomando a sua normalidade. Foi mais participativo. - 6,5
(Yuri): Jogou apenas seis minutos. Entrou para proteger a defesa. - SEM NOTA
Vitor Bueno: Fazia apenas uma partida discreta, mas sua individualidade tirou um "coelho da cartola" e marcou um golaço no apagar das luzes. - 7,5
Copete: Um Leão. Raçudo, velocista, o colombiano marcou um gol e participou do segundo. - 7,5 
Ricardo Oliveira: Na finalização, por ironia do destino, seu forte, não foi bem. Entretanto participou do primeiro e segundo gol. O marcado por Jean Mota, com uma linda assistência. - 7,0
(Rodrigão): Apesar de pouco tempo, não entrou bem. Perdeu uma bola boba na defesa e não conseguiu finalizar. - 5,0
Técnico: Dorival Junior: Novamente tirou Thiago Maia e colocou um novo armador - Jean Mota. A exemplo da semana passada deu certo. O time deu muito espaço, principalmente na segunda etapa. - 6,5


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by