FOTO CAPA

NÃO DEIXA DE SER UMA VANTAGEM

Publicado às 23h25 desta quarta-feira, 28 de setembro de 2016.
O Santos largou na frente nas quartas de finais da Copa do Brasil. Na Vila Belmiro, o time da casa venceu o Internacional-RS, pela primeira vez no ano, por 2 a 1, com gols de Copete e Rodrigão. Como levou um gol, se perder por 1 a 0, na partida de volta, marcada para o dia 19 de outubro, o alvinegro estará eliminado. O empate é o suficiente.

O time de Dorival Junior teve muitas dificuldades para penetrar na defesa bem armada por Celso Roth. Aliás, o treinador gaúcho só monta times para se defender, sempre foi assim, ao longo de sua carreira. Sem Vitor Bueno, lesionado, o comandante santista escalou Vecchio. O argentino é mais habilidoso e tem ótimo passe, porém, não tem a mesma velocidade do ausente. Quando o camisa 20 sai da posição onde jogou no sacrifício, para o meio com ótimas tabelas com Lucas Lima, a jogada saiu. Entretanto, quando o argentino ficava aberto pelo lado, o time tinha dificuldade.

No segundo tempo, os laterais santistas, que até então, tinham apoiado pouco, resolveram se soltar. Assim nasceu o primeiro gol santista. Zeca foi na linha de fundo e cruzou para o colombiano Copete abrir o placar. Logo em seguida (tudo em menos de 11 minutos), Victor Ferraz foi quem deu a assistência para o gol de Rodrigão, que não marcava há quase 90 dias. Festa na Vila que recebeu um público pequeno demais (apenas 6,5 mil pagantes).

Quando parecia que o time da baixada ampliaria ainda mais a vantagem, numa falta na lateral direita da defesa, o Inter marcou o seu único gol no jogo com Seijas.

Apesar da vitória pela diferença mínima, o Peixe tem condições de sair classificado no Sul do país, até pelo qualidade duvidosa do time gaúcho, porém, poderia ter saído com um placar mais elástico e com gordura neste primeiro duelo. O empate é o suficiente para o time de Dorival Junior chegar pela terceira vez consecutiva em mais uma semifinal da Copa do Brasil.

No sábado (1), às 16h00, o Peixe volta as atenções para o Campeonato Brasileiro diante do Atlético-PR. Para este duelo, Jean Mota fica à disposição. Já, Ricardo Oliveira ainda é duvida. O alvinegro está no G-4, na quarta colocação da competição.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 2 X 1 INTERNACIONAL
Estádio da Vila Belmiro
​Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior - PE (ASP-FIFA)
Público/renda: 6.592 pagantes / R$ 239.880,00
Cartões amarelos: Artur e Fernando Bob (Internacional); Paulinho (Santos)
Gols: Copete, 3'/2ºT (1-0); Rodrigão, 10'/2ºT (2-0); Seijas, 26'/2ºT (2-1)
SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Luiz Felipe, David Braz e Zeca; Thiago Maia (Rafael Longuine - 43'/2ºT), Renato, Lucas Lima e Vecchio (Paulinho - 30'/2ºT); Copete e Rodrigão (Joel - 35'/2ºT). Técnico: Dorival Júnior.
INTERNACIONAL-RS: Danilo Fernandes, Fabinho, Eduardo, Ernando e Artur; Fernando Henrique, Eduardo Henrique, Valdívia e Seijas (Ceará - 39'/2ºT); Marquinhos (Vitinho - 18'/2ºT) e Nico López (Rodrigo Dourado - 28'/2ºT). Técnico: Celso Roth.


Quando foi pro meio Vecchio foi muito bem.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
VanderleI: Trabalhou pouco. No gol colorado, nada podia fazer. - 6,0
Victor Ferraz: Ótima assistência no gol de Rodrigão. Cometeu falta desnecessária no único gol dos gaúchos. - 6,0
Luiz Felipe: A falta cometida por Victor Ferraz foi de um rebote do camisa 2. Teve altos e baixos na partida. - 5,5
David Braz: Não comprometeu. Fez o arroz com feijão. - 6,0
Zeca: Discreto na primeira etapa. Muito melhor nos 45 minutos finais. Foi dele a assistência para o gol de Copete. - 6,5
Thiago Maia: Perdeu uma bola no começo da partida para Nico Lopez que não costuma e não pode perder. - 5,5
(Rafael Longuine): Apenas cinco minutos no gramado. - SEM NOTA
Renato: Também teve dificuldade no primeiro passe da transição para furar a retranca do Internacional-RS. - 5,5
Lucas Lima: Começou as duas jogadas que terminaram nos gols do Santos. Ainda não é o Lucas do ano passado e do primeiro semestre, mas aos poucos vai melhorando sua condição física - 7,0
Vecchio: Prejudicado por estar sem ritmo, tem ótima leitura de jogo. No primeiro tempo quando percebeu que na ponta-direita não iria funcionar, veio para o meio e fez ótimas tabelas com Lucas Lima. Não teve pré-temporada. Veio do mundo árabe e após alguns dias, já estava jogando, por isso cansou. Merece uma sequência de titular. - 6,5
(Paulinho): Discreto. Não apareceu. - 5,0
Copete: Um primeiro tempo discreto. No segundo, fez o gol que abriu o caminho para a vitória. - 6,5
Rodrigão: Quando saiu para buscar jogo, mostrou que não tem qualidade de meia para tabelar. Dentro da área foi fatal e tirou uma caminhão de ansiedade ao voltar a marcar gol. - 6,5
(Joel): Deu um pouco mais de mobilidade e velocidade. mas nenhuma finalização. - 5,5
Técnico: Dorival Júnior: Está se virando com o que tem. O time não tem sido regular, como o ano passado. Sofre pelos desfalques - 5,5


  

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by