FOTO CAPA

SUPERAÇÃO E VICE-LIDERANÇA

Publicado às 21h50 deste domingo, 14 de agosto de 2016.
O Santos conseguiu um importante resultado neste domingo (14), mesmo sem cinco titulares. O Peixe venceu e convenceu na bela vitória de 3 a 0 sobre o Atlético-MG. O alvinegro quebrou uma sequência de cinco vitórias do Galo que teve Robinho no ataque, pela primeira vez contra o time praiano. Os pouco mais de 10 mil pagantes vibraram com os gols de Gustavo Henrique e dois de Ricardo Oliveira.

Os primeiros 15 minutos mostrou um Santos "amassando" o time mineiro no seu campo de defesa. Aos 12 minutos, cruzamento perfeito de Jean Mota, Gustavo Henrique se antecipou e marcou o primeiro gol da partida. 

Após esse gol, o adversário adiantou as linhas e tinha maior posse de bola, porém, foi numa bola parada que o time das Alterosas levou perigo com Lucas Prato cabeceando a bola no travessão de Vladimir. O Peixe foi para o vestiário com a justa vitória parcial.

No começo do segundo tempo, a equipe de Dorival Junior recuou um pouco mais, para tentar matar o jogo no contra-ataque. O Galo teve duas ótimas oportunidades. Ambas com ótimas defesas do reserva Vladimir. Na primeira, Fred cara a cara chutou em cima do camisa 12, entretanto, na segunda, o arqueiro titular no título Paulista de 2015, voou para uma cabeçada que tinha endereço certo efetuada por Robinho.

Como o futebol não tolera desaforo, logo em seguida, novo escanteio e Ricardo Oliveira, que tinha perdido duas oportunidades no primeiro tempo, ampliava o placar de peixinho na pequena área. Já nos acréscimos, novamente o "pastor da Vila" fuzilou contra a meta de Victor, após um rápido contra-ataque e deu números finais - 3 a 0. 

Foi uma vitória da superação e de um time bem organizado, apesar das suas limitações, em razão de inúmeros desfalques. Além disso, o Peixe demonstrou poder de reação após a "tragédia" da derrota diante do lanterna América-MG, na semana passada. 

E para não dizer que não falei das flores, parabéns a torcida santista que entendeu o apelo de não jogar nada no gramado, em protesto a Robinho, que fez uma partida apenas discreta e tanto pela esquerda, como pela direita levou a pior. O rei das pedaladas foi bastante vaiado pelos torcedores presentes ao estádio.

Com os resultados, o Santos voltou ao G-4 e está na vice-liderança, atrás apenas do Palmeiras (39-36). No domingo (21) que vem, às 18h00, o alvinegro vai a capital paranaense e enfrenta o Coritiba. Vanderlei e Lucas Lima que cumpriram suspensão fica à disposição.   

Gustavo Henrique fez uma partida perfeita e marcou o gol que abriu o marcador.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 X 0 ATLÉTICO-MG 
Local: Vila Belmiro, Santos (SP)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Público/renda: 10.250 pagantes / R$ 410.170,00
Cartões amarelos: Luiz Felipe, Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Yuri (SAN) / Fred, Victor, Fábio Santos, Rafael Carioca (ATL)
GOLS: Gustavo Henrique 12'1ºT (1-0); Ricardo Oliveira 23'2ºT (2-0) e 48'2ºT (3-0)
SANTOS: Vladimir; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Caju; Renato (David Braz 37'2ºT), Léo Cittadini (Rafael Longuine 46'2ºT) e Jean Mota (Yuri 30'2ºT); Vitor Bueno, Copete e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.
ATLÉTICO-MG: Victor; Carlos César, Erazo, Leonardo Silva e Fábio Santos; Rafael Carioca, Leonardo Donizete e Maicosuel (Carlos 30'2ºT); Lucas Pratto, Robinho (Clayton 40'2ºT) e Fred (Otero 18'2ºT). Técnico: Marcelo Oliveira.


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vladimir: Fez duas grandes intervenções. A segunda foi fantástica, num voo sensacional em uma cabeçada de Robinho. - 7,5
Victor Ferraz: Jogador extremamente regular. Apoiou como meio-campista, algo que só os laterais do Santos fazem. - 6,5
Luiz Felipe: Não brinca em serviço. Cresceu e merece a titularidade. Só não conseguiu parar Fred em um lance. - 7,0
Gustavo Henrique: No alto não tem pra ninguém, só deu ele. E além de defender bem, teve tempo de ir a frente e se antecipar a zaga lenta do Atlético. - 7,5
Caju: "Jantou" Robinho. Ganhou todas as jogadas e divididas contra o Rei das Pedaladas. - 7,0
Renato: Qualidade no passe e fez bem o papel na cobertura de Victor Ferraz. - 6,5
(David Braz): Só jogou 13 minutos (incluindo os acréscimos) - SEM NOTA
Léo Cittadini: Defensivamente bem, se antecipou em alguns lances. Na construção das jogadas ao ataque, pouco apareceu. - 6,5
(Rafael Longuine): Entrou para "ganhar o bicho" já nos acréscimos. - SEM NOTA.
Jean Mota: Extremamente participativo. Apareceu em todos os lados do campo. Ainda foi o cobrador de dois dos escanteios que terminaram em gols. - 7,5
(Yuri): Um "gentleman" não erra um passe. Tem personalidade. Vai crescer. Aposto muito no futuro desse jovem como um substituto a altura de Renato, já digo isso e não é de hoje. - 6,5
Vitor Bueno: Se doou muito. Deixou Ricardo frente a frente com Victor, duas vezes. Na segunda, o matador guardou. - 7,0
Copete: Taticamente perfeito. Outro que se doou mais do que o normal. O que o colombiano ajudou a defesa pela esquerda foi uma grandeza. Deu um calor no lateral Carlos César no primeiro tempo. Não brilhou tanto na segunda etapa. - 7,0
Ricardo Oliveira: Decisivo como de costume. Perdeu duas na primeira etapa, tratou de marcar outros dois na segunda etapa. Ainda ressente a falta de ritmo. Carrasco do time mineiro. - 7,5
Técnico: Dorival Júnior: Conseguiu extrair mais do que o normal dos jogadores, após a derrota diante do América-MG, semana passada. Armou o time sem cinco jogadores e não deixou de ser competitivo diante do favorito ao título da competição. - 7,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by