FOTO CAPA

REABILITADO

Publicado às 14h14 deste domingo, 5 de junho de 2016.
O Santos voltou a vencer após três rodadas. O time de Dorival Junior goleou o Botafogo-RJ por 3 a 0, no estádio do Pacaembu. Com gols de Vitor Bueno, Paulinho e Bruno Silva (contra). Com o resultado, o Peixe pulou pra sete pontos na classificação. Foi a décima-segunda vitória seguida como mandante no estádio municipal.


O Santos foi muito superior na primeira etapa e chegou fácil pra marcar dois gols. Um lindo lançamento de Thiago Maia e conclusão melhor ainda de Vitor Bueno, lembrando o gol que Ricardo Oliveira havia marcado no mesmo Pacaembu, o ano passado, diante do Audax, com um lençol sobre o goleiro. E no outro gol, bela troca de passes e Paulinho finalizou e contou com a colaboração do goleiro Elton Leite.

No segundo tempo, o alvinegro voltou meio acomodado. Neílton caiu na área e o juiz deu pênalti pros cariocas. O ex-santista, com uma marra danada, partiu para a bola e chutou para fora. 

Após as entradas de Diogo Vitor e Serginho, o Santos retomou o controle, pois ambos entraram bem. Cruzamento da esquerda e o zagueiro botafoguense empurrou para dentro das redes, ampliando o resultado que seria final 3 a 0.
"É um garoto ainda, estamos preparando. É um menino que poderia estar em um estágio superior se não tivéssemos tido alguns problemas. Ele consciente e focado pode ser uma jovem promessa, um jogador que o torcedor possa acreditar." falou o técnico Dorival Junior, sobre Diogo, jogador de 19 anos, na entrevista coletiva após a vitória.
O público que compareceu ao Pacaembu, mais de 16,5 mil pagantes (17.033 presentes) em razão do clube vir de derrotas seguidas, muita chuva esse fim de semana na capital não foi de todo ruim. Aproveito para informar ao torcedor que o alvinegro precisa de presenças boas quando joga no próprio da municipalidade paulistana, em razão do aluguel. Quando a partida é durante o dia, o clube paga 12% de renda bruta e a noite aumenta para 15% esse percentual. Muitos chegaram com a bola rolando, mas mesmo com o mal tempo, prestigiaram o time. O Peixe precisa sim, jogar mais vezes em São Paulo.

O adversário era fraco? Sim, era, mas de toda maneira, o time de Dorival Junior fez o seu papel e agora terá uma semana para preparar a equipe para enfrentar o Santa Cruz, no próximo domingo (12) às 19h00 no estádio do Arruda. A vitória foi boa, mas não pode se iludir, achar que tudo está bom novamente. 

Vitor Bueno é o artilheiro do Santos no Campeonato Brasileiro. Nesta manhã marcou seu terceiro gol.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 X 0 BOTAFOGO
Pacaembu 
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-SC)
Público: 16.530 pagantes.
Renda: R$ 419.950,00.
GOLS:Vitor Bueno, aos 10, e Paulinho, aos 35 minutos do 1T. Bruno Silva (contra), aos 24 minutos do 2T.
Cartões amarelos: Thiago Maia (SAN) e Leandrinho (BOT)
SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia, Serginho, Léo Cittadini (Léo Cittadini) e Vitor Bueno (Valencia); Paulinho e Joel (Diogo Vitor) Técnico: Dorival Júnior.
BOTAFOGO: Helton Leite, Diego, Emerson Silva, Emerson Santos e Victor Luis; Dudu Cearense, Bruno Silva, Leandrinho e Gegê; Anderson Aquino (Neilton) e Ribamar (Sasá). Técnico: Ricardo Gomes


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Vanderlei: Pouco trabalhou - 6,0
Victor Ferraz: Bem na troca de passes. Não precisou apoiar tanto, em razão da fragilidade adversária. - 6,0
David Braz: Admitiu que cometeu pênalti em Neílton. No mais, fez o arroz com feijão. - 5,5
Gustavo Henrique: Bem posicionado. Exceção ao começo do segundo tempo, Botafogo não atacou. - 6,0
Zeca: A exemplo de Ferraz, trocou bons passes com meio-campistas, mas não teve que subir tanto. Participou do segundo gol. - 6,5
Thiago Maia: Joga demais e deve ter três pulmões, pois corre muito, mais que qualquer um durante o jogo. O lançamento para o gol de Vitor Bueno, lembrou o campeão paulista de 78 - Pita. - 7,5
Renato: Técnica refinada. Distribui bem o primeiro passe. - 7,0
Léo Cittadini: Recuperando o ritmo de jogo, após contusão. Não apareceu em jogadas individuais, mas bem nos passes. - 6,5
(Serginho): Jogou apenas 15 minutos mais os acréscimos, mas na sua verdadeira posição - meia de criação, oque cobro muito não só aqui, como nas minhas redes sociais. Entrou bem, com boas trocas de bolas com Diogo Vitor. A fase para o camisa 41 não anda tão boa, pois, ele fez um lançamento no melhor estilo Gerson da Copa de 70 para Diogo Vitor, que não estava impedido e fatalmente o gol sairia, mas o bandeira marcou e errado. Se jogar na meia pode crescer. Não pode atuar de centroavante - 6,5
Vitor Bueno: O melhor da partida. Entre os jovens em 2016 (esqueçam Zeca e Thiago Maia, que já apareceram em 2015) foi o que mais cresceu. Ganha confiança rodada após rodada e tem idade olímpica. Marcou um golaço e quase não errou passes. - 8,0
(Valencia): Lembram dele? O colombiano que o mundo sabia que vivia no DM do Fluminense e ainda assim o contrataram? Reapareceu, de contrato renovado, após um ano se recuperando de intervenção cirúrgica no joelho quando defendia a seleção de seu país na Copa América do ano passado. Entrou no final. - SEM NOTA
Paulinho: Taticamente é muito responsável. Dedicado para fazer o quarto ou quinto homem do meio e acompanha as subidas dos laterais. Marcou um gol. - 7,0
Joel: Foi vaiado quando substituído. Nem parece o jogador que chegou ao clube no começo do ano e agradou bastante nas primeiras apresentações. Com exeção do passe de calcanhar na jogada bem trabalhada no segundo gol, teve apagado.   - 5,0
(Diogo Vitor): Outro, a exemplo de Serginho, que entrou bem. Demonstrou muita vontade. Repito, o que disse na postagem do Blog ontem. É o jogador mais monitorado por olheiros internacionais dos grandes times do Mundo, por tudo que já apresentou na base do Santos. Precisa de orientação psicológica, porque futebol tem e muito. - 6,5
Técnico Dorival Junior: Retornou com a formação de dois atacantes. Acertou em colocar Diogo Vitor, que demostrou que pode ajudar e Serginho, como meia, algo que eu particularmente não lembro de o menino ter jogado nessa posição (só de centroavante e quarto homem). Ambos entraram bem. -  6,5




 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by