FOTO CAPA

O G-4 É LOGO ALI?

Publicado às 21h57 deste domingo, 12 de junho de 2016.
Após quase um ano, o torcedor santista pode comemorar uma vitória de seu time fora de casa no Campeonato Brasileiro. Mesmo sem seu ataque titular, o Santos foi melhor e merecidamente volta de Recife com os três pontos. O Peixe bateu o Santa Cruz por 2 a 0, com gols de Zeca e Joel, no "Mundão" do Arruda. O resultado, além de quebrar o incomodo jejum de não vencer como visitante, levou o time para quinta colocação da competição com 10 pontos, a primeira fora do G-4, a zona da Libertadores.

Sem os "selecionáveis" Lucas Lima, Gabriel e Ricardo Oliveira que foi cortado da Copa América em razão de lesão no joelho e o recém chegado Rodrigão, Dorival Junior manteve o time que havia vencido o Botafogo, com uma única alteração - Luiz Felipe atuou na vaga de David Braz que se recupera de dores nos músculos adutores.

O Glorioso praiano tocou bem a bola, mas sofria com a definição da última bola. Nem Paulinho, muito menos Joel conseguiam finalizar e a superioridade parecia que não seria traduzida em números, em razão da falta de agressividade santista nos 45 minutos iniciais. Entretanto, justamente Joel, que não vive um bom momento técnico, fez aquilo que sabe fazer de melhor - o papel de pivô. No fim do primeiro tempo, fez 1-2 com Zeca e o lateral esquerdo santista foi de uma rara felicidade e mandou um "foguete" e abriu o placar.

Na segunda etapa, o time santista recuou e sofreu uma pressão dos donos da casa na volta do intervalo por 18 minutos. No primeiro contra-ataque organizado, Vitor Bueno correu como ponta pela esquerda e Joel definiu o placar. Ótima vitória santista que tem condições, mesmo com problemas na qualidade do elenco, que não tem substitutos a altura dos ausentes, porém tem possibilidades de crescer na tabela nas próximas rodadas. Retomou a confiança após duas vitórias.

Na próxima quarta-feira (15), às 21h, na Vila Belmiro, o alvinegro recebe o Sport-PE, sem o lateral Zeca, suspenso. No sábado (18), mesmo fora de casa novamente, dá pra buscar um bom resultado perante o Atlético-PR. 

A hora para abandonar a zona intermediária da tabela é agora e lutar mesmo com limitações por algo maior na competição.

FICHA TÉCNICA
SANTA CRUZ 0 x 2 SANTOS
Estádio José do Rego Maciel (Arruda), Recife-PE
Público: 16.464 pagantes
Renda: R$ 182.805,00
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Cartões Amarelos: Wallyson (Santa Cruz); Paulinho e Zeca (Santos)
GOLS: Zeca aos 45 minutos do primeiro tempo. Joel aos 19 minutos do segundo tempo
SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; Léo Moura, Neris, Danny Morais e Tiago Costa; Alex Bolaño (Leandrinho), João Paulo, Lelê e Fernando Gabriel (Daniel Costa); Arthur e Bruno Moraes (Wallyson). Treinador: Milton Mendes.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Luiz Felipe e Zeca; Thiago Maia, Renato, Léo Cittadini (Serginho) e Vitor Bueno; Paulinho (Ronaldo Mendes) e Joel (Elano). Treinador: Dorival Júnior.

Santos não vencia fora de casa no Brasileiro desde agosto do ano passado, quando bateu o Cruzeiro.
NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Vanderlei: Quando o Santos foi pressionado fez boas defesas. - 6,5
Victor Ferraz: Bem na lateral, tanto no apoio, como na marcação. Um dos mais regulares do time. Como tem muita qualidade, há alguns jogos vai pro meio, com um dos volantes ou Paulinho fazendo a sua cobertura. - 6,5
Gustavo Henrique: Deu um pequeno susto ao rebater uma bola e quase se atrapalhou. Mas em seu 100o. jogo, fez ótimas intervenções, principalmente de cabeça, quando o time levou sufoco. - 6,5
Luiz Felipe: A exemplo de seu companheiro de setor, partida bastante segura. - 6,5
Zeca: Deu um trabalho danado para a defesa do Santa Cruz em ótimas tabelas com Vitor Bueno. Marcou um golaço, num chute maravilhoso de fora da área.Está suspenso e não joga quarta-feira, diante do Sport-PE - 7,5
Thiago Maia: Desculpe se for repetitivo, mas parece que tem três pulmões, já que corre demais. Caiu exausto no fim da partida, cansado. Joga muita bola. Seleção principal é questão de tempo. - 7,0
Renato: A classe de sempre. Mesmo a frente dos zagueiros, se lançou em alguns momentos a frente para auxiliar o meio e ao ataque. - 6,5
Léo Cittadini: Outro que saiu exausto. O que roubou de bola na primeira etapa sem cometer faltas foi uma grandeza. No segundo tempo, muito provavelmente em razão de estar exausto, não apareceu tanto e foi substituído. Parece ter válido a insistência e não a desistência pelo jogador que começa a ganhar confiança e pode ser útil durante a temporada. - 7,0
(Serginho): A exemplo de "Citta", tem de ter novas oportunidades. Entrou bem contra o Botafogo na semana passada. Nem todos os jovens amadurecem tão rapidamente. A torcida tem de ter um pouco mais de paciência, antes de "rotular" um jogador. Neste jogo, especificamente, entrou já nos 10 minutos finais e ainda assim deu bela assistência para Elano que quase marcou o terceiro. - SEM NOTA
Vitor Bueno: Outro que vem amadurecendo. Bem no meio e ainda puxou o contra-ataque que determinou a vitória no segundo gol de Joel. - 7,0
Paulinho: Taticamente é excelente e lembra o "disciplinado" Thiago Ribeiro. Recompõe no meio, faz cobertura de lateral, mas deixou a desejar na parte técnica novamente. - 5,5 
(Ronaldo Mendes): Reapareceu após um período sem ser aproveitado pelo técnico Dorival. Discreto nos vinte minutos que esteve em campo. - 5,5
Joel: Tecnicamente, não vem bem há algum tempo. Entretanto, faz um pivô como poucos. Tem muita capacidade de prender a bola jogando de costas. Vi poucos zagueiros se anteciparem ao camisa 30. E nesse quesito foi importante no resultado. Deu a assistência no gol de Zeca e definiu ao placar ao marcar o segundo gol. - 6,5
(Elano): Entrou para ganhar o "bicho". A partida já estava nos acréscimos. Ainda assim recebeu um bom passe de Serginho e quase ampliou o placar. - SEM NOTA
Treinador: Dorival Júnior: Aos poucos vai conseguindo reorganizar a equipe mesmo com peças importantes fora do time, em razão de seleção brasileira e contusão. A jogada trabalhada no primeiro gol com apoio e inversão de lado tem o dedo do treinador. Esse trabalho realizado merece um elenco melhor. A posse de bola santista, principalmente no primeiro tempo, fez com que fosse determinante para a vitória e que mandasse no panorama de 3/4 do jogo. - 7,0



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by