FOTO CAPA

DAMIÃO CONTINUA NO PASSIVO DO CLUBE

Publicado às 12h30 desta segunda-feira, 23 de Maio de 2016.
O Santos conseguiu uma vitória na longa batalha jurídica com o estafe do atacante Leandro Damião e o fundo de investimento. A ação de execução movida pela Doyen contra o clube, referente ao valor correspondente a aquisição do atleta foi extinta em primeiro grau. 

Sendo assim, o juiz que proferiu a sentença da decisão, Carlos Aleksander Goldman, da 12ª Vara Cível de São Paulo, alegou que a dívida que o clube tem com o fundo maltês se encontra no passivo, ou seja, quando terminar o contrato em dezembro de 2018 terá que realizar o pagamento. A Doyen exigia 18 milhões de euros (R$ 73,5 milhões) de indenização do clube de forma imediata.

O Santos se manifestou em nota oficial afirmando que "de que nada deve aquele fundo, no momento, pela aquisição do mencionado atleta, que ainda continua vinculado ao clube, porém, com empréstimo para outras agremiações".

Para contratar Damião, a gestão passada dirigida pelo ex-presidente Odílio Rodrigues, pegou emprestado com a Doyen os valores para contratar em definitivo o centroavante que estava em baixa no Sul do país. No acordo, o clube se comprometia a devolver o dinheiro ao fundo de investimentos maltês em 2018, com correção de 10% de juros (em euros). O salário do jogador, gira na casa de R$ 650 mil, com direito a auxilio moradia. 

O Blog do ADEMIR QUINTINO procurou um advogado especialista na área e segundo o causídico, apesar da extinção do processo, cabe recurso  em segunda instância. O bacharel em direito afirma que a sentença pode ser modificada.


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by