FOTO CAPA

CONTAS DE 2015 REPROVADAS NO CONSELHO

Publicado as 02h39 desta quinta-feira, 28 de abril de 2016.
Por dois votos de diferença - 83 a 81, o parecer do Conselho Fiscal foi aprovado e as contas de 2015, primeiro ano da gestão Modesto Roma, foram rejeitadas na noite desta quarta-feira (27), pelo Conselho Deliberativo do Santos. 

Com a reprovação, a atual administração do Santos vai ter de se virar com a Comissão de Inquérito e Sindicância do clube.


Wladimir Mattos foi o último a votar.
O conselheiro Wladimir Mattos, curiosamente o último a votar, pois a chamada foi por ordem alfabética, falou sobre a votação. Se o empresário fosse a favor das contas, empataria em 82 a 82 e o voto de minerva seria do presidente do Conselho, entretanto, ele votou pela rejeição
"Tive a impressão que boa parte dos que votaram contra o parecer, em certa medida, buscavam uma solução intermediária ou seja a aprovação com ressalvas. Apesar de todas as justificativas apresentadas pela Diretoria Executiva, o cenário de terra arrasada por ela encontrada, não poderia garantir-lhe um salvo conduto para atropelar o Estatuto do clube. Caberá agora a CIS encaminhar de forma serena, legal e isenta o processo de esclarecimentos dos fatos mencionados pela Comissão Fiscal, garantindo aos gestores o mais amplo direito de defesa. O associado do Santos pode hoje orgulhar-se de seu Conselho Deliberativo, plural e atuante, e que acima de tudo posiciona-se como guardião do Estatuto do Clube. A régua usada ha duas semanas (em relação ao ex-presidente) foi a mesma utilizada nessa noite."
Os ânimos durante a concorrida reunião estiveram bastante acirrados. Membros da mesa se manifestaram com o desejo de votar. Entretanto, a decisão causou desagrado e queixas de dezenas de conselheiros e o presidente da mesa Fernando Bonavides, encerrou a a sessão no começo da madrugada desta quinta-feira.

O Artigo 68 do Estatuto Social do alvinegro prevê como motivos  para  pedir  o impeachment  do  presidente e do vice do Comitê de Gestão, se os mesmos não tiverem aprovadas as contas da sua gestão. Há aproximadamente 15 dias, o ex-presidente Odílio Rodrigues, o seu vice Luiz Cláudio Aquino e outros sete membros do antigo CG foram expulsos do quadro associativo, pelos mesmos conselheiros, baseados, entre outros, neste artigo.

Entre as irregularidades apontadas pelo Conselho Fiscal consta que em Janeiro do ano passado, o clube adquiriu um empréstimo de R$ 4,5 milhões para comprar de volta os direitos econômicos do volante Alison, a ser pago em cinco dias, caso contrário ocorreria, como de fato aconteceu multas, juros, correção, taxas etc. Como não pagaram até a presente data o valor atualizado é de mais de R$ 7,5 milhões, sendo assim um valor de acréscimo de 57% em 14 meses.

Outro apontamento citou as antecipações de receitas, Ocorreram em 2015, antecipação do Campeonato Paulista de 2016, junto a Federação Paulista de Futebol, no valor total de R$ 6.725 milhões, onde o clube pagará R$ 7.17 milhões para receber R$ 5.57 milhões, em seis meses de empréstimo. Existe também uma receita contabilizada em cotas de TV de R$ 19.8 milhões, informada como “bônus sobre transmissão de TV do Campeonato Paulista - temporadas 2016, 2017, 2018, 2019, 2020 e 2021”. Porém, nos documentos apresentados, a rubrica é a de antecipação. O Conselho Fiscal, até o final de 2015, não havia sido informado da existência dessas antecipações ou “bônus” que está em total desacordo com o que determina o artigo 91 do Estatuto Social.

O artigo 91 do Estatuto do clube, versa que “o Comitê de Gestão não poderá antecipar, nem comprometer as receitas ordinárias ou extraordinárias do Santos, por período superior ao do seu mandato, em benefício de sua gestão (…), sem prévia autorização do Conselho Deliberativo, mediante parecer do Conselho Fiscal, sendo ineficaz o ato em contrário”.


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by