FOTO CAPA

TEVE TUDO PARA VENCER

Publicado às 22h00 deste sábado, 20 de fevereiro de 2016.
O Santos teve três grandes oportunidades para vencer o clássico diante do Palmeiras, neste sábado (20), no Allianz Parque, em São Paulo. Entretanto, Fernando Prass evitou a derrota do time da casa e o Peixe segue sem vencer o rival em sua nova Arena, depois que foi inaugurada - 0 a 0.

Com Serginho escolhido como titular, Dorival montou o meio-campo alvinegro parecido com o do segundo semestre do ano passado, ou seja, quatro jogadores e dois armadores. Entretanto, Serginho começou mais aberto pela esquerda e nos primeiros 30 minutos, mesmo desorganizado taticamente, o Palmeiras era melhor, mesmo com a maior posse de bola do Santos. O time da capital era um pouco mais perigoso. 

Do último terço da primeira etapa em diante, bastou Serginho dividir a responsabilidade de armar a equipe com Lucas Lima e jogar mais centralizado e o Peixe passou a tomar conta do jogo.

Porém na segunda etapa, as chances que não apareceram pro alvinegro, no primeiro tempo, surgiram em grandes quantidades e cara a cara com o goleiro adversário. Gabriel, artilheiro do Paulista de 2014 e da Copa do Brasil em 2015, teve três ótimas oportunidades para tirar o zero do placar. Uma ele chutou por cima e duas parou no veterano goleiro palmeirense.

Como me disse um seguidor em uma das minhas redes sociais - Ficou a sensação de que o Palmeiras queria perder  (não vence há cinco partidas), mas o Santos pareceu que não queria ganhar. O técnico Dorival analisou de forma diferente e elogiou a atuação do time:
"Essa foi a melhor partida do ano. Sem dúvidas. Criamos, trocas de passes, enfiadas. Triangulações, tabelas, movimentação. Tivemos cinco oportunidades na frente do Fernando (Prass)." destacou o treinador santista em entrevista coletiva.
Com o resultado, o time da Vila Belmiro pulou para 9 pontos em cinco jogos e na próxima quinta-feira (25), enfrenta o Mogi-Mirim, no estádio do Pacaembu, às 19h30. O zagueiro Luís Felipe que já teve sua documentação regularizada no B.I.D. (boletim informativo diário), pode ficar à disposição e acabar com a incomoda situação do time não ter zagueiros no banco de reservas. 

O lateral Zeca beirou a perfeição na marcação e o foi um dos melhores do clássico.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 0 X 0 SANTOS
Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Cartões amarelos: Matheus Sales, Gabriel Jesus e Alecsandro (PAL); Victor Ferraz, Ricardo Oliveira, Elano, Zeca, Léo Cittadini e Gustavo Henrique (SAN)
Público e renda: 23.181 pagantes/R$ 1.317.272,44
PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas, Roger Carvalho, Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos (Arouca, 25'/ºT), Matheus Sales (Gabriel Jesus, 14'/2ºT), Jean e Robinho (Régis, 30'/2ºT); Dudu e Alecsandro.
Técnico: Marcelo Oliveira.
SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Zeca; Thiago Maia (Léo Cittadini, 24'/2ºT) Renato, Lucas Lima e Serginho (Patito Rodríguez, 15'/2ºT); Gabriel e Ricardo Oliveira (Joel, 29'/2ºT).
Técnico: Dorival Júnior.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Pouco trabalho, em razão da ausência do adversário no ataque. Pouco trabalhou. Fez uma boa defesa durante a partida. - 6,5
Victor Ferraz: Bem no apoio. Teve dificuldades na marcação. - 6,0
Lucas Veríssimo: Permanece inseguro. Rebatedor. Não comprometeu.5,5
Gustavo Henrique: Sempre bem posicionado. Bem no jogo aéreo, ainda teve tempo de fazer ótimas coberturas do seu companheiro Veríssimo. - 6,5
Zeca: Perfeito na defesa. Não perdeu um bote. Colocou o ala Lucas no bolso. Ainda teve o tempo para ajudar no ataque, principalmente na segunda etapa. O melhor jogador do Santos no clássico.- 7,5
Thiago Maia: Aos poucos volta a ser o jogador que chamou a atenção, o ano passado. Bem na marcação, ainda saiu com velocidade para o ataque. - 6,5  
(Léo Cittadini): Tem dificuldades para marcar com eficiência. Foi fazer uma cobertura e levou amarelo.5,5
Renato: Muita classe, categoria e disposição no bom toque de bola na construção das jogadas. Pena que não tem mais a velocidade que o tempo lhe retirou. - 6,5
Lucas Lima: Sumido no primeiro tempo. Bem na segunda metade da etapa complementar. Organizou o time e deu boas assistências. - 6,5
Serginho: Começou tímido, aberto do lado esquerdo. Quando foi pro meio fez boas tabelas. Foi substituído. - 6,0
(Patito Rodríguez): Até entrou bem, com boa velocidade, mas é pouco inteligente no gramado. - 6,0
Gabriel: Não estava em tarde feliz. Teve três chances e desperdiçou todas. Tem crédito, mas o futebol não tolera desaforo, tinha que ter matado pelo menos uma. - 5,0
Ricardo Oliveira: Brigou bastante, deu um belo chute na primeira etapa, quando o goleiro deu rebote e Gabriel marcou, porém o árbitro invalidou. Tomou cartão ao errar um passe para Victor Ferraz e foi fazer a cobertura do ala. - 5,5 
(Joel): Deu ótima assistência a Gabriel que desperdiçou a chance. Prova nas vezes que entra que merece ganhar a posição vaga no ataque do time ora ocupada por Patito, ora por Paulinho (que nem no banco ficou no clássico). Também sabe jogar pelo lado, mesmo sem a mesma velocidade de Patito. Protege a bola como poucos. - 6,5
Técnico: Dorival Júnior: Preferiu Serginho pra fazer o meio mais forte. Tentou no segundo tempo ao mexer no time, mas o banco santista com raras exceções deixa a desejar. - 6,0



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by