FOTO CAPA

DERROTA NO VALE DO PARAÍBA

Publicado às 10h50 desta segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016.
O Santos perdeu a invencibilidade no estadual. Em São José dos Campos, na centésima partida de Ricardo Oliveira, o alvinegro foi derrotado por 2 a 0 para o Red Bull Brasil. 

O Peixe ainda não reeditou as ótimas apresentações do segundo semestre de 2015. Em uma atuação bem burocrática, tinha a posse de bola, entretanto, os passes eram sem objetividade. 

O Red Bull marcava bem num 4-1-4-1, e o Santos finalizou apenas uma vez com perigo nos primeiros 45 minutos iniciais. Em uma dessas trocas de passes, o jovem e bom meia Serginho, tocou a bola atrás de Renato, Thiago Galhardo trocou passes rápidos com Roger e abriu o marcador no fim da primeira etapa para o time do interior.

No segundo tempo, Ricardo Oliveira pediu para ser substituído. O centroavante que voltava após o insucesso da negociação com os chineses, alegou dores no joelho. O camisa 9 não quis dar entrevista na saída para o intervalo. Conversei com o artilheiro do país em 2015, quando os times retornaram para o reinicio de partida. Conversamos alguns minutos, enquanto ele caminhava para o banco. O atacante entre algumas falas disse-me:
"Eles (a diretoria) marcaram uma entrevista, então prefiro que eles falem. Eu vou optar em não dizer nada neste momento, me perdoe." afirmou o jogador que balançou a rede 37 vezes o ano passado.
Com isso, Dorival Junior teve que mexer e foi por atacado. Além de Oliveira, o treinador sacou Serginho.   O argentino Patito e o camaronês Joel entraram no ataque santista. O primeiro, como de costume, pouco fez. O segundo, que foi o nome do jogo no meio de semana, diante do Mogi-Mirim, foi quem mais finalizou e perdeu duas ótimas oportunidades.

Como o futebol não tolera desaforo, Roger (ex-Ponte Preta, São Paulo e Palmeiras), em outro contra-ataque selou o destino da partida - 2 a 0 pro Red Bull. O time de Dorival caiu na armadilha do adversário que só jogou no contra-golpe.

O Santos volta a campo somente no fim de semana que vem, diante do SCCP, no clássico da Vila. Apesar da derrota, o time permanece na liderança do seu grupo com 12 pontos , com três vitórias, três empates e uma derrota.  

RED BULL BRASIL 2 X 0 SANTOS
Estádio Martins Pereira, em São José dos Campos (SP)
Árbitro: Vinícius Golçalves Dias Araújo
Público-Renda: 6.191 pagantes / R$ R$ 293.970,00 
Cartões amarelos: Luan, Dráusio e Breno Lopes (RBB)
Gols: Thiago Galhardo Bastos 37' 1ºT (1-0), Roger 42' 2ºT (2-0)
RED BULL BRASIL: Saulo, Everton Silva, Anderson Marques, Diego Sacoman e Willian Rocha (Misael 14' 2ºT); Luan, Maylson e Thiago Galhardo(Arthur Caculé 25' 2ºT); Bruno Lopes, Edmílson (Dráusio 17' 2ºT)e Roger. Técnico: Maurício Barbieri
SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Zeca;Renato, Thiago Maia (Vitor Bueno 16' 2ºT) e Serginho (Pato Rodríguez– intervalo); Lucas Lima, Gabriel e Ricardo Oliveira (Joel –intervalo). Técnico: Dorival Júnior.

Lucas Lima foi o melhor jogador do Santos na derrota.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS:

Vanderlei: Sem culpa nos gols. - 6,0
Victor Ferraz: Bem no apoio. - 6,5
Lucas Veríssimo: Foi envolvido diversas vezes pelo lado direita da defesa. - 5,0
Gustavo Henrique: Algumas dificuldades na saída de bola na boa marcação do adversário. - 5,5
Zeca: Bem na marcação, como é destro, vai pouco a linha de fundo. - 6,0
Renato: Bem no desarme. Errou alguns passes na segunda etapa, algo incomum. - 5,5
Thiago Maia: Bem na marcação e no apoio como homem surpresa. - 6,5
(Vitor Bueno): Entrou bem pelo lado esquerdo. Deu mais dinâmica - 6,0
Serginho: Tem jogado bem, tem qualidade, não pode ser responsabilizado pela derrota, mas errou ao tocar para trás no primeiro gol do adversário. - 4,5
(Patito Rodríguez): Totalmente fora de sintonia. Até bola passou por debaixo do seu pé. - 4,5
Lucas Lima: Um dos poucos que se salvaram. Um oásis na mediocridade que impera no futebol do país. - 7,0
Gabriel: Movimentou-se bastante. - 6,0
Ricardo Oliveira: Chutou apenas uma vez e para fora. Pediu pra sair. Apagado.- 4,5
(Joel): Teve duas chances para empatar. Uma de cabeça estava sem marcação. É bom jogador, não salvador como alguns acharam após quinta-feira. - 4,5
Técnico: Dorival Júnior: Com exceção da mexida do Vitor Bueno, as demais não surtiram efeito. Tem pouco material humano no banco (foi até uma das minhas perguntas na coletiva), mas o time ainda não tem padrão como no ano passado. - 5,0



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by