FOTO CAPA

GOLEADA MELANCÓLICA

Publicado às 22h28 deste domingo, 6 de dezembro de 2015.
Em sua despedida na temporada 2.015, o Santos goleou o Atlético-PR por 5 a 1, no estádio da Vila Belmiro, em partida válida pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Sem chances de classificação a Libertadores do ano que vem, apesar do placar dilatado, de nada adiantou, pois nem a quinta colocação que classificaria o alvinegro para as oitavas de final da Copa do Brasil, o time conseguiu. O Peixe terminou na sétima colocação da competição com 58 pontos ganhos. Os gols da tarde foram marcados por Gabriel e Geuvânio, duas vezes, além de um de Vitor Bueno.

O Peixe começou a partida sem seis titulares. Um lesionado (David Braz), um suspenso (Vanderlei) e o treinador Dorival respondeu a uma das minhas perguntas durante a entrevista coletiva pós jogo que Marquinhos Gabriel  e Thiago Maia tiveram leão na partida diante do Palmeiras no meio de semana e que Ricardo Oliveira  e Renato vinham jogando no sacrífico, nas últimas rodadas. Com isso, o treinador mandou entre os titulares oito jogadores pratas da casa e mais oito revelados na base ficaram no banco.  

Quanto a Nilson, o treinador me respondeu que preferiu preservar o atleta em razão do gol perdido na primeira partida da final da Copa do Brasil

Mesmo tendo saído atrás no placar, o alvinegro virou a partida que tinha caráter amistoso com tranquilidade e chegou com facilidade a goleada.

Outra surpresa agradável durante o jogo foi Vitor Bueno. O jogador que foi contratado por empréstimo junto ao Botafogo-SP e que veio para integrar o sub-23 do Peixe, voltou a jogar bem, e entrou com personalidade, não só por marcar um gol, mas com o futebol em vertical desenvolvido. Seu vínculo vai até de junho de 2016 e a direção já apressa para comprar os direitos econômicos do jogador em definitivo. O clube de Ribeiro Preto quer R$ 1 milhão por 10% do jogador.

O fracasso de não ter classificado a Libertadores foi um pecado para um time que rondou a zona de rebaixamento no começo do semestre, mostrou que tinha qualidade, e com todo respeito, bem superior tecnicamente aos rivais São Paulo e Palmeiras, que vão a competição continental. 

Infelizmente, as últimas três semanas em razão de escolhas erradas, de não ter feito um placar maior no primeiro jogo da final da Copa do Brasil e do futebol decepcionante na partida de volta diante do Palmeiras, será o único grande de São Paulo que não participará da competição Sul-Americana.

Fica a lição ao treinador que fez um bom trabalho; pode não ter sido vitorioso, mas os números são irrefutáveis e favoráveis a Dorival Junior; precisa de material humano, principalmente quando utiliza do banco. E o time ser mais equilibrado. Em casa, ganhou 17 em 18 jogos (empatou apenas uma) e fora deixou muito a desejar. 

Por falar no comandante técnico, também perguntei ao mesmo se os investimentos do clube não serão feitos em apostas para a próxima temporada, já que ele gosta de utilizar os pratas da casa e que se ele pediu a direção para trazer jogadores que cheguem e joguem? E assim o treinador respondeu:
“Algumas situações estão rolando, de possíveis chegadas e saídas. Eu gostaria muito que a equipe fosse mantida. Muito mais do que contratações que chegassem. Gostaria que o presidente e a diretoria priorizassem a manutenção dessa equipe para que tenhamos um 2016 diferente e ainda mais forte. Esse é nosso maior objetivo. Podem acontecer eventuais apostas, uma ou outra posições. Aí sim provavelmente abriremos uma possibilidade, mas eu gostaria muito que fosse priorizada a manutenção desse grupo." disse Dorival Junior.
Ainda no gramado de Vila Belmiro perguntei ao meia Lucas Lima se ele sairá do clube ou se permanecerá para a próxima temporada:
"Vou sentar com o Santos , conversar com a família e ver o que é melhor"
Melancolia, frustração assim foi o sentimento que eu tive quando desliguei o microfone da Capital 1.040 AM no estádio Urbano  Caldeira. Que não se apostem em Nilsons, Werleys e alguns outros para a próxima temporada. Se for pra fazer isso, que apostem na base. Nada contra os cidadãos citados que acredito serem pessoas probas, mas a qualidade técnica limitada não permite serem titulares de um clube da grandeza do Santos. Que o planejamento seja melhor para 2.016 é o que sinceramente espero.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 5 X 1 ATLÉTICO-PR
Vila Belmiro
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique
Público/Renda: 3.836 pagantes/R$ 124.970,00
Cartões amarelos: Deivid (CAP)
Gols: Cleberson, 12'/1ºT (0-1); Geuvânio, 14'/1ºT (1-1); Gabigol, 29'/1ºT (2-1); Gabigol, 14'/2ºT (3-1); Vitor Bueno, 28'/2ºT (4-1) e Geuvânio, 35'/2ºT (5-1)
SANTOS: Vladimir; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Werley e Zeca; Alison (Fernando Medeiros, 16'/2ºT), Leandrinho, Serginho (Vitor Bueno, 26'/2ºT) e Lucas Lima; Geuvânio e Gabigol. Técnico: Dorival Júnior.
ATLÉTICO-PR: Santos; Eduardo (Barrientos, 23'/1ºT), Vilches, Cleberson e Roberto; Otávio, David, Bruno Pereirinha (Hernani, 37'/1ºT) e Sidclay; Crysan e Walter. Técnico: Cristóvão Borges.

Victor Ferraz voltou a jogar bem na goleada santista por 5  a 1.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Vladimir: Atuação segura. Sem culpa no gol. - 6,0
Victor Ferraz: Sem um atacante de beirada para marcar pelo seu setor, aproveitou e se mandou para o ataque. Maravilhosa assistência em um dos gols. - 7,0
Gustavo Henrique: Teve a infelicidade de escorregar no cruzamento do único gol do time paranaense. Conquistou com méritos a posição de titular ao longo da temporada. - 6,0
Werley: Herdou a faixa de capitão e não comprometeu. Rebatedor. - 6,5
Leonardo: Entrou no fim. - SEM NOTA
Zeca: Um dos melhores da posição no país. Estava quase fora do clube antes de Dorival chegar. Um dos poucos que se salvaram na segunda partida da decisão de triste lembrança ao torcedor na Copa do Brasil. - 6,5
Alison: É muito rápido e tem poder de recuperação na marcação. Apesar de ter reaparecido em campo poucas vezes após a volta da contusão, parece estar bem menos violento. Tem tudo para brilhar em 2.016. - 6,5
(Fernando Medeiros): Não se intimidou em sua estréia. Arriscou chutes de fora da área. - 6,5
Leandrinho: Passes apenas laterais, exceção feita ao segundo gol quando roubou a bola - 6,5
Serginho: Apesar do desentrosamento com o time titular, poderia ter trocado mais passes e aproveitar melhor a oportunidade. - 6,0 
(Vitor Bueno): Um dos melhores do jogo. Apesar de pouco tempo, mostrou qualidade e personalidade. Já havia demonstrado contra o Vasco. Marcou um gol e deu uma assistência. - 8,0
Lucas Lima: Voltou a ser o coordenador de jogadas que o time precisa após a pífia apresentação na decisão da Copa do Brasil. Tem qualidade. - 7,0
Gabriel: Evoluiu muito com a chegada de Dorival Jr. Marcou dois gols e deu duas assistências. Se alguém tinha desconfiança acabou, fez ótima temporada. Amadurece cada vez mais. - 8,0
Geuvânio: Fez sua melhor apresentação depois que retornou de contusão. Marcou dois gols e deu uma assistência. - 7,5
Técnico: Dorival Júnior: Conseguiu montar um time sem seis titulares com concentração para encarar a ressaca do vice-campeonato da última quarta. Faltou planejar melhor os times poupados principalmente contra o Coritiba há duas semanas. - 7,0






 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by