FOTO CAPA

XÔ, ZONA DA DEGOLA

Publicado à 01h45 deste domingo, 9 de agosto de 2015.
Os números são irrefutáveis. Sob o comando de Dorival Junior, o Santos entrou em campo seis vezes (cinco no brasileiro). Foram quatro vitórias, um empate e apenas uma derrota. Na noite deste sábado (8), mais de 12 mil pagantes assistiram "in loco", na Vila Belmiro, a vitória alvinegra por 3 a 0 diante do Coritiba. Os gols do Peixe foram de Geuvânio, Ivan (contra) e Ricardo Oliveira. O camisa 9 chegou aos 10 gols e cada vez mais artilheiro isolado da competição.

Como bem disse o treinador santista durante a entrevista coletiva, o jogo começou duro pro time da baixada. Apesar do Coxa ser o lanterna do campeonato, seu treinador - Ney Franco conseguiu montar um time que marcava bem e até exagerava em alguns momentos com faltas mais fortes.

Entretanto, a qualidade técnica duvidosa de muitos dos atletas do time paranaense, não permitiram que a consistência defensiva tivesse eficiência por muito tempo. O alvinegro demorou quase 10 minutos para atacar, mas quando caminhava para a segunda metade da primeira etapa, encontrou o caminho e com um futebol rápido conseguiu, enfim, envolver o adversário. Gabriel acertou o poste e logo em seguida, Geuvânio, chutou de média distância para abrir o placar com um belo gol. 

Na segunda etapa, o time da capital do Paraná voltou um pouco melhor, com o veterano Juan na vaga de Ivan que marcou um gol contra no minuto final da etapa inicial. Porém, o Santos tinha mais qualidade e Ricardo Oliveira sepultou qualquer possibilidade de reação do alviverde da região Sul.

Com o resultado, o Peixe pulou pra 20 pontos e se distancia cada vez mais da zona do rebaixamento. 

Ainda sobre o comparecimento da torcida, por incrível que possa parecer, foi o terceiro melhor público do Santos como mandante no Campeonato, atrás apenas dos dois jogos que o clube fez pela manhã, na mesma Vila Belmiro, contra Sport e Joinville, respectivamente. Ainda muito aquém dos públicos e rendas, principalmente, dos rivais, até pela capacidade cada vez menor do alçapão da baixada, porém foi bonito ver o estadio cantar e empurrar o time.

Na próxima quarta-feira (12), o time de Dorival volta a campo, novamente em Urbano Caldeira, às 21h00, para enfrentar o Vasco-RJ. Werley que cumpriu suspensão, fica à disposição do treinador santista e pode retornar ao time.

Zeca, camisa 37 do Santos.
FICHA TÉCNICA:
SANTOS 3 X 0 CORITIBA
Local: Vila Belmiro, Santos (SP)
Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG)
Público/ Renda: 12.657 pagantes/ R$ 306.585,00 
Cartões amarelos: João Paulo (CTB), Lucas Lima (SAN), Ruy (CTB), Ivan (CTB), Juninho (CTB) 
Gols: Geuvânio 19'/1T (1-0), Ivan (contra) 43'/1T (2-0), Ricardo Oliveira 14'/2T (3-0)

SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique, Zeca; Thiago Maia (Elano 31'/2T), Renato (Paulo Ricardo 13'/2T), Lucas Lima, Geuvânio (Neto Berola 24'/2T), Gabriel e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.

CORITIBA: Wilson, Ivan (Juan, intervalo), Leandro Silva, Rafael Marques, Juninho, João Paulo, Alan Santos (Thiago Galhardo 6'/2T), Ruy, Evandro, Rafhael Lucas e Henrique Almeida (Fabrício 15'/2T). Técnico: Ney Franco.



NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vanderlei: Quase não trabalhou. Muito mal na cobrança dos tiros de meta. - 5,5
Victor Ferraz: Bem no apoio - 6,0
David Braz: Comandou a defesa. Aos poucos volta a ser o zagueiro com boas apresentações como no estadual. - 6,5
Gustavo Henrique: Ainda sente da falta de ritmo. Jogou o arroz com feijão - 6,0
Zeca: Voltou a jogar bem. Se apresentou no ataque, foi eficiente na marcação e ainda matou uma bola no peito que veio toda cheio de ponta com estilo para o aplauso da torcida. O único problema é que por ser destro não vai a linha de fundo. - 6,5
Thiago Maia: Jogador de muito futuro. Amadurece ainda,  mas tem muito potencial, principalmente na marcação. - 6,0
(Elano): Jogou apenas 15 minutos. - SEM NOTA
Renato: Até ser substituído fazia partida impecável. Compensa a falta de velocidade com passes precisos. - 6,5
(Paulo Ricardo): Pouco apareceu, mesmo na marcação. - 5,5
Lucas Lima: Caiu pelos lados, prendeu a bola, inverteu o jogo e ainda deu assistência para gol. - 7,5
Geuvânio: Infernizou a zaga do Coxa. Marcou gol, voltou para ajudar na marcação e ainda distribuiu dribles na zagueirada paranaense. - 8,0
(Neto Berola): Se fosse um teste teria sido reprovado. Perdeu tudo que tentou fazer. - 5,0
Gabriel: Apesar de não ter marcado gol foi bastante participativo. Evoluiu muito desde a chega de Dorival Jr. - 6,5
Ricardo Oliveira: Joga pro time. Deu passe para Gabriel mandar na trave, correu, marcou o seu. É o melhor camisa 9 em atividade no país, mesmo aos 35 anos. - 7,0
Técnico: Dorival Júnior: Mesmo com pouco tempo de trabalho é nítido que o Santos é mais organizado. Foi justo no retorno de Thiago Maia ao time. - 7,0

Apoio: 


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by