FOTO CAPA

VOCAÇÃO OFENSIVA

Publicado às 19h03 deste domingo, 2 de agosto de 2015.
O Peixe segue sem vencer fora de casa, mas na tarde deste domingo (2), depois de ir para o intervalo perdendo por dois gols, mudou a postura e buscou o empate no Maracanã - 2 x 2. Os gols do Peixe foram de Ricardo Oliveira, o nono dele, o artilheiro da competição e Lucas Lima, em uma obra prima de fora de área.

A exemplo do que aconteceu na partida diante do Palmeiras, há duas semanas, apesar do Peixe ter tido a maior posse de bola, pouco agrediu o time paulistano. Limitava-se a toques laterais, sem objetividade e profundidade. Neste fim de semana, no Rio de Janeiro, isso voltou a ocorrer. Como o futebol não tolera desaforo, nos últimos cinco minutos da etapa inicial, dois gols do rubro-negro carioca - Alan Patrick (mais um ex-jogador a marcar contra o clube) e Emerson Sheik. No primeiro tempo, o Santos não existiu - palavras do próprio Dorival Junior durante a entrevista coletiva.

Após o intervalo, o treinador santista foi pro tudo ou nada. Colocou outro coordenador de jogadas na equipe - Marquinhos Gabriel no lugar do volante Paulo Ricardo. A postura mudou e o resultado também.

Nos 45 minutos finais, o time do Santos, respeitou o seu DNA que é ofensivo e buscou o resultado. Ricardo Oliveira diminuiu após escanteio cobrado por Lucas Lima e coube ao camisa 20 marcar um belíssimo gol, o do empate há 19 minutos do fim. 

Em seguida, Geuvânio teve que deixar o gramado extremamente cansado e Dorival Junior, com poucas opções de qualidade para a frente no banco, colocou Thiago Maia em seu lugar (Neto Berola, única velocista entre os suplentes, já tinha entrado na vaga de Gabriel). O Flamengo retomou o controle e quase desempatou novamente, mas Vanderlei fez a diferença em duas belas defesas 

Pra finalizar, ficam duas lições para o alvinegro. A primeira, a vocação do clube é ofensiva, desde 1912. O Santos não pode ficar satisfeito com empate e toques laterais, a espera do tempo passar. E a segunda lição, fora de casa é possível sim, mudar o esquema e creio que Dorival achou-o. O 4-4-2 do segundo tempo, não expôs tanto a retaguarda e Lucas Lima não ficou órfão, com a responsabilidade dividida com Marquinhos Gabriel.

O Peixe volta a campo no próximo sábado (8), às 21h, no estádio da Vila Belmiro, diante do Coritiba. O zagueiro Werley recebeu o terceiro cartão amarelo e não enfrenta os paranaenses, pois vai cumprir suspensão automática.

O Peixe demonstrou poder reação e buscou o empate no Maracanã com mais de 60 mil presentes.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 2 x 2 SANTOS
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 02/08/2015, 16h
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa/RS) 
Renda/Público: R$ 2.450.700,00 / 51.749 (pagantes) - 61.420 (presentes)
Cartões amarelos: Márcio Araújo, Emerson Sheik, Wallace e Guerrero (FLA). Zeca e Werley (SAN).
Gols: Alan Patrick 1-0 (39'/1ºT), Emerson 2-0 (41'/1ºT), Ricardo Oliveira 2-1 (6'/2ºT) e Lucas Lima 2-2 (26'/2ºT)
FLAMENGO: Paulo Victor, Pará, Wallace, César Martins e Jorge; Márcio Araújo, Canteros e Alan Patrick (Gabriel, 20'/2ºT); Everton (Almir, 49'/2ºT), Emerson Sheik e Guerrero. Técnico: Cristovão Borges.
SANTOS: Vanderlei, Victor Ferraz, Werley, Gustavo Henrique e Zeca; Paulo Ricardo (Marquinhos Gabriel - Intervalo), Renato, Lucas Lima e Geuvânio (Thiago Maia, 35'/2ºT); Gabriel (Neto Berola, 16'/2ºT) e Ricardo Oliveira. Técnico: Dorival Júnior.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Vanderlei: Não falhou nos gols, mas podia ter evitado um deles. No segundo tempo, fundamental para a conquista do ponto que o Peixe trouxe na bagagem - 7,5
Victor Ferraz: Oscilou durante a partida. Apenas regular - 6,0
Werley: Ao contrário dos últimos jogos, não comprometeu.  Levou a melhor sobre Guerrero. Levou o terceiro amarelo. - 6,0
Gustavo Henrique: Bem na disputa com Emerson. Rebateu tudo que tinha direito. Com a suspensão de Werley deve ser mantido no time na próxima rodada - 6,5
Zeca: Não reeditou as performances dos últimos jogos. Não conseguiu conter Emerson no segundo gol flamenguista. Melhorou na etapa complementar - 5,5
Paulo Ricardo: Chegou atrasado em algumas coberturas. Foi substituído - 5,0
(Marquinhos Gabriel): Apesar de não brilhar, dividiu a responsabilidade da armação com Lucas Lima. Precisa ganhar ritmo - 7,0
Renato: Melhorou quando jogou a frente dos beques. A qualidade de passe na saída de bola ficou melhor e mais rápida - 6,5
Lucas Lima: No primeiro tempo estava quase de volante tamanho o recuo do alvinegro. No segundo tempo com Marquinhos Gabriel na equipe se soltou e foi o grande nome do jogo ao lado do goleiro Vanderlei - 7,5
Geuvânio: Correu demais. Apanhou bastante. Cansou e foi substituído. É o maior sacrificado com o esquema de três atacantes. Volta pra recompor sem a bola - 5,5
(Thiago Maia): Limitou-se a ajudar Renato na marcação - SEM NOTA
Gabriel: Jogou de costas para o gol e não foi o jogador decisivo das últimas rodadas. No segundo tempo foi substituído - 5,5
(Neto Berola): Deu a velocidade que Gabriel e Geuvânio não conseguiram pelos lados do campo - 6,5
Ricardo Oliveira: Teve pouquíssimas chances. Em uma delas guardou e permanece na artilharia com nove gols - 7,0
Técnico: Dorival Júnior: É conhecido por ser um treinador que monta times para frente. Estranhamente, postou o time com toques laterais e sua equipe foi castigada pelo comportamento. No segundo tempo, a postura mudou e de forma justa o Peixe volta com um ponto pra baixada - 6,5


LEANDRO

O atacante Leandro, emprestado pelo Palmeiras até o fim da temporada, será apresentado na próxima terça-feira (4) às 09h30, no CT Rei Pelé. O jogador foi um pedido pessoal do técnico Dorival Junior que deseja mais opções para o ataque.

Apoio: 


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by