FOTO CAPA

ALÍVIO

Publicado às 05h50 deste domingo, 21 de junho de 2015.
Após seis jogos e mais de um mês sem vencer, o Peixe fez as pazes com a vitória e bateu o SCCP, por 1 a 0, no estádio da Vila Belmiro. O único gol da partida foi marcado por Ricardo Oliveira, o novo artilheiro do Campeonato Brasileiro - com cinco gols. O resultado tirou o time santista da zona de rebaixamento.

Sem Marcelo Fernandes, suspenso, coube a Serginho Chulapa ficar no banco de reservas como treinador. O meia Elano, sem condições nenhuma de ir a campo, já que tem uma lesão muscular na panturrilha de grau um, e não estava relacionado para a partida, foi para o banco de reservas e colaborou como auxiliar técnico de Serginho Chulapa.

Com Longuine de segundo volante e Marquinhos Gabriel de armador, o Peixe conseguiu o que poucos esperavam, engolir o meio-campo adversário. Tite, treinador do time da capital, percebeu a supremacia santista no setor e até tentou consertar, recuando Renato Augusto. Melhorou, mas não o suficiente. A inoperância do ataque do time de Itaquera também contribuiu para que o Santos dominasse as ações.

E coube ao camisa 17 alvinegro improvisado de segundo volante, que substituiu Renato, o lançamento para Ricardo Oliveira receber do lado direito da defesa mosqueteira e fuzilar a rede adversária para a alegria do medíocre público presente de pouco mais de 7 mil pagantes. Foi o menor público entre Santos e SCCP que acompanhei em 18 anos de carreira na Vila famosa.

No segundo tempo, algumas peças do Santos diminuíram a produção e o time teve uma pequena queda no ritmo. Entretanto, ao contrário dos últimos quatro jogos, o Peixe não sofreu gol e tampouco permitiu o empate adversário que só não aconteceu graças a trave de Vladimir, que salvou o time duas vezes.

O Peixe foi campo com um belo uniforme que tinha na parte frontal o rosto do eterno capitão Zito, que faleceu esta semana. O camisa 5 - bi-campeão mundial pelo Santos, jamais perdeu para o rival. A homenagem não poderia ser diferente.

O resultado era fundamental para tirar o time do incômodo Z-4 e diminuir a crise sem precedentes que toma conta do clube, fora das quatro linhas, com a exoneração de dois membros do Comitê de Gestão e mais dois demissionários.

No próximo domingo (28), o alvinegro vai até Porto Alegre e no estádio Beira-Rio enfrenta o Internacional (RS). Lucas Lima que cumpriu suspensão volta ao time.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 x 0 SCCP
Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Público e renda: 7.674 pagantes/ R$ 255.965,00
Cartões Amarelos: Daniel Guedes, Vladimir, Geuvânio, Rafael Longuine e Neto Berola (SAN); Ralf, Fagner, Uendel e Luciano (SCCP)
Cartões vermelhos: Rafael Longuine (24'/2ºT) e Fagner (28'/2ºT)
GOL: Ricardo Oliveira, 9'/1ºT (1-0)
SANTOS: Vladimir; Daniel Guedes, Werley, David Braz e Victor Ferraz; Lucas Otávio, Rafael Longuine e Marquinhos Gabriel (Thiago Maia, 27'/2ºT); Gabriel (Neto Berola, 16'/2ºT), Geuvânio (Leandrinho, 34'/2ºT) e Ricardo Oliveira. Técnico: Serginho Chulapa.
SCCP: Cássio; Fagner, Gil, Edu Dracena (Danilo, 27'/2ºT) e Uendel; Ralf, Petros (Luciano, 12'/2ºT), Jadson e Renato Augusto; Mendoza (Edílson, 32'/2ºT) e Vagner Love. Técnico: Tite.

NOTA DOS JOGADORES DO SANTOS

Vladimir: Pouco trabalho graças ao inoperante do ataque adversário. Uma bela defesa no segundo tempo e contou com a sorte quando a trave salvou o Peixe duas vezes - 6,5
Daniel Guedes: Não reeditou as boas partidas anteriores. Levou um cartão amarelo bobo, pouco apoiou e deixou alguns espaços na marcação - 5,0
Werley: Rebatedor. No segundo tempo ganhou tudo embaixo e em cima. Se redimiu do fraco desempenho contra o Atlético - 6,5
David Braz: Um leão. Muito bem no desarme - 6,5
Victor Ferraz: Muito bem na marcação principalmente. Errou alguns passes que não costuma errar. Sacrificado por jogar improvisado no lado esquerdo - 6,0
Lucas Otávio: Desarmou muito e foi o grande marcador do meio santista. Quando melhorar o passe pode evoluir - 6,5
Rafael Longuine: Ótima assistência no gol de Oliveira. Jogou improvisado de volante. Como não tem o poder de marcação como excelência, fez faltas bobas e acabou expulso. Era um dos melhores da equipe até então - 6,5
Marquinhos Gabriel: Um primeiro tempo impecável. Como pouco joga, sentiu o ritmo e caiu de produção na etapa complementar - 6,5
(Thiago Maia): Entrou para recompor o meio-campo. Pouco apareceu no jogo - 5,5
Gabriel: Um primeiro tempo discreto. No segundo melhorou e deu trabalho ao lado direito da defesa adversária. Saiu das suas características e acompanhou o ala quando o Santos não tinha a bola - 6,0
(Neto Berola): Entrou para ser a válvula de velocidade do lado esquerdo. Não foi acionado - 6,0
Geuvânio: Habilidoso, prendeu a bola e era a alternativa santista para o contra-ataque. Cansou no segundo tempo - 6,5
(Leandrinho): Entrou para fechar o meio-campo do lado direito. Eficiente na marcação - 6,0
Ricardo Oliveira: Decisivo. Teve apenas uma chance para matar e foi para a rede. Mesmo aos 34 anos é soberano na área e artilheiro do Brasileirão com cinco gols - 7,0
Técnico: Serginho Chulapa: O arroz com feijão bem temperado na montagem do time e os gritos de sempre para incentivar a equipe - 6,5

Apoio:

http://www.strutura.com.br

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by