FOTO CAPA

DAVA PARA TER GOLEADO

Publicado às 21h02 deste domingo, 17 de maio de 2015.
O Santos fez uma ótima apresentação, da maneira que o torcedor gosta e a vitória por apenas 1 a 0 diante do Cruzeiro-MG, foi pequena, tamanho o volume de jogo que o time apresentou contra os atuais bi-campeões do país. O gol de Geuvânio, marcado aos 44 minutos do primeiro tempo, foi uma pintura. O camisa 11 recebeu na intermediária, mais para direita e o atacante com um toque sútil, encobriu o goleiro Fábio, no melhor estilo Marcelo Passos, jogador que atuou nos 90 pelo alvinegro e fazia muitos gols assim.

Desde o primeiro minuto de jogo, o Peixe demonstrava interesse e dominava as ações. Na primeira etapa foram dez finalizações a gol contra apenas uma dos visitantes. Ao contrário do jogo do meio de semana contra o Maringá, que a equipe demonstrou dificuldade em furar o bloqueio adversário, os mineiros, apesar de uma postura mais defensiva, saiam para o jogo no contra-golpe, ao contrário dos paranaenses, e com isso, Lucas Lima e Robinho tinham espaço para armar e encher seus companheiros de assistências.

Foi um show de gols perdidos. Até o zagueiro Werley curitu uma de atacante e perdeu um gol ao cabecear uma bola no travessão, ainda na etapa inicial.

No segundo tempo, por duas vezes, jogadores de defesa do Cruzeiro tiram a bola em cima de linha do gol e impediram que o placar fosse aumentado. 

Entretanto, pra não dizer que não falei das flores, apesar de Ricardo Oliveira ter sido artilheiro do último campeonato estadual, não é de hoje que o alvinegro tem perdidos muitas oportunidades para marcar. Na estréia do Brasileiro contra o Avaí, por exemplo, aconteceu o mesmo, uma enchurrada de gols desperdiçados.

Sem os paulistas na Libertadores da América, a detentora dos direitos de TV antecipou o jogo de ida da terceira fase da  Copa do Brasil, contra o Sport-PE, para a quarta-feira (20) às 22 horas. Pelo Brasileirão, o time de Marcelo Fernandes só volta a campo no domingo que vem (24) às 16 horas contra o Chapecoense, no sul do país.


FICHA TÉCNICA:
SANTOS 1 X 0 CRUZEIRO
Juiz: Pericles Bassols (RJ)
Público/Renda: 7.246 pagantes / R$ 250.060,00
Cartões amarelos: Chiquinho (SAN); Willians, Fabrício e Willian (CRU)
GOL: Geuvânio, 44'/1ºT (1-0).
SANTOS: Vladimir; Vicotr Ferraz, David Braz, Werley e Chiquinho; Lucas Otávio (Thiago Maia, 36'/2ºT), Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Gabriel, 25'/2ºT), Robinho (Elano, 39'/2ºT) e Ricardo Oliveira. Técnico: Marcelo Fernandes.
CRUZEIRO: Fábio; Willian Farias (Eurico, 26'/1ºT), Manoel, Bruno Rodrigo e Fabrício; Henrique, Willians, Arrascaeta (Gabriel Xavier, intervalo) e Marquinhos; Willian e Henrique Dourado (Joel, 17'/2ºT). Técnico: Marcelo Oliveira.


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vladimir: Não comprometeu. Fez duas boas defesas. - 6,5
Victor Ferraz: Não é craque, entretanto considero uma das melhores contratações do clube nos últimos anos.  Pouco custo e jogador extremamente regular. Apoiou bastante. - 7,0
David Braz: O melhor defensor do atual elenco errou algumas saídas de bola, algo raro. Bem na parte defensiva. - 6,0
Werley: Dessa vez jogou um pouco mais de que seu companheiro de defesa. Quase marcou um gol ao cabecear a bola no travessão. - 6,5
Chiquinho: Só foi ao ataque na segunda etapa. Sofreu com William caindo pelo seu setor. - 5,5
Lucas Otávio: Apesar de ter levado uma bola entre as pernas de Arrascaeta, correu e marcou como um leão. - 6,0
(Thiago Maia): Jogou apenas 13 minutos, mas manteve o ritmo do seu antecessor na marcação. Tem potencial. - 6,0
Renato: Bem na marcação, passes certos na intermediária e o homem que descalerava o jogo na segunda etapa propositadamente para chamar o adversário e fazer com que Robinho e Lucas Lima armassem o time com velocidade na transição. - 6,5
Lucas Lima: Jogou muito. Deixou vários companheiros na cara do gol. Injustamente, para a sorte dos torcedores do Santos, não foi convocado para a Copa América. Sem a bola, ainda volta para recompor. Meio-campista moderno - 7,5
Geuvânio: Homem da velocidade e deixa o time respirar. Habilidoso, marcou um belo gol.- 7,0
(Gabriel): Demonstrou vontade, finalizou, mas a exemplo dos seus companheiros, não estava em noite feliz nas conclusões. Chutou duas vezes a meta cruzeirense nos 24 minutos que esteve em campo.- 5,5
Robinho: Inteligência pura. Arma e dá a velocidade ao time sem ele ter que acelerar. Quem corre é a bola. Sem ele após 31 de Maio, já que vai para a Seleção, tudo ficará mais difícil. Teve um gol tirado em cima da linha - 7,0
(Elano): Chutou uma falta na barreia e chutou uma bola a meta do gol mineiro. - 5,5
Ricardo Oliveira: Incomodou menos do que de costume. Não ajudou na marcação, nem pressionou a saída de bola adversária. - 5,5
Técnico: Marcelo Fernandes: Conseguiu armar a equipe e a mesma praticasse a velocidade sem ficar exposto. Thiago Maia apesar de ter entrado em razão de Lucas pedir alteração, foi uma novidade nas mesmices das substituições que normalmente o treinador realizava. - 6,5


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by