FOTO CAPA

LARGADA COM O "PÉ ESQUERDO"

Publicado às 23h59 deste domingo, 1 de fevereiro de 2015.
Sem dificuldades e sem correr riscos. Assim foi o Santos que estreou com vitória no Campeonato Paulista ao bater o Ituano por 3 a 0, na noite deste domingo (1), no estádio da Vila Belmiro. Os gols foram convertidos por Chiquinho e dois do Geuvânio. O meia-atacante marcou o primeiro e o terceiro. Os três gols do time praiano foram de pé esquerdo.

O duelo que reeditou a decisão do estadual do ano passado começou com um Santos avassalador, sabedor de que tinha que tomar as rédeas e ditar o ritmo da partida. Aos cinco minutos, Geuvânio recebeu na meia-direita e de canhota abriu o placar para a alegria dos mais de 9 mil pagantes presentes.

Após o gol inaugural, senti uma defesa desprotegida, onde a distância entre o meio-campo e os zagueiros ficou acentuada. O Ituano inclusive colocou uma bola no poste da meta do goleiro Vladimir. Aos 29 minutos, após cobrança de falta de Lucas Lima, Chiquinho fez o que o chileno Mena não conseguiu em mais de um ano como lateral-esquerdo do alvinegro, marcar um belo gol e ampliaro placar.

No segundo-tempo, um Santos mais ajustado, onde as linhas de defesa e meio-campo estavam mais próximas, ainda aumentaria a contagem. Aos 10 minutos da etapa complemtar, bela tabela entre Lucas Lima e Geuvânio e ótima conclusão, novamente de perna esquerda.

Em seguida, o comandante técnico promoveu as entradas de Lucas Crispim, Elano e Ricardo Oliveira e a equipe não manteve o mesmo ímpeto no ataque. A forte chuva que caiu no estádio fez com que o time diminuísse a velocidade no toque de bola.
"Os jogadores de lado se sacrificam mais, no ataque e defensivamente. O Geuvânio pediu para sair um pouco antes. Talvez não seria minha primeira opção. É importante não perder o atleta. Foi um pedido dele, uma conduta nossa no que ele pediu. A gente precisa de boas peças de reposição para ele e ao Thiago" disse o técnico Enderson Moreira após eu perguntar durante a entrevista coletiva o por quê Geuvânio ter saído.
Nada de empolgação, pois foi apenas a primeira apresentação da equipe na competição, mas deu pra sentir sensivelmente que efetivamente o Peixe tem um time que promete ser no mínimo competitivo.

Na próxima quarta-feira (4), às 22h, o Peixe vai ao interior e enfrenta o Mogi-Mirim. Perguntei ao treinador na entrevista coletiva se ele poderá contar com os outros três reforços - Valência, Marquinhos Gabriel e o goleiro Vanderlei e o mesmo garantiu-me que o primeiro, o colombiano, ele vai precisar de um pouco mais de tempo para entrar em forma e os dois últimos se estiveram com a documentação regularizada serão relacionados para a partida. 

Com o resultado na rodada inagural, o alvinegra já ocupa a liderança do Grupo 4, a frente de Penapolense, Bragantino, Capivariano e XV de Piracicaba.

Santos 3 x 0 Ituano
Árbitro: Antonio Rogério Batista do Prado.
Cartões amarelos: Gustavo Henrique e Chiquinho (SFC); Leonardo Luiz, Clayson e Ricardinho (ITU).
Público e renda: 9.121 pagantes/ R$ 269.830,00 
Gols: Geuvânio, aos 5 minutos do 1ºT e 10 minutos do 2ºT; Chiquinho, aos 29 minutos do 2º T.
Santos: Vladimir; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, David Braz e Chiquinho; Alison, Renato e Lucas Lima; Geuvânio (Ricardo Oliveira), Robinho (Lucas Crispim) e Thiago Ribeiro (Elano). Técnico: Enderson Moreira.
Ituano: Diego Neto; Dick, Leonardo, Leonardo Luiz (Naylhor) e Zé Carlos; Josa, Jackson Caucaia (Gercimar), Clayson (Jheimy) e Cristian; Misael e Ricardinho. Técnico: Tarcísio Pugliese.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Vladimir: Não teve trabalho. Contou com a sorte ao ver uma finalização bater em sua trave esquerda. - 6,0
Victor Ferraz: Sem ter a quem marcar, se aventurou no ataque e trocou bolas com Geuvânio. - 6,5
Gustavo Henrique: Bem no alto, precisa readiquirir ritmo de jogo, após praticamente um ano sem jogar em razão de intervenção cirúrgica em dos joelhos. Não comprometeu. - 6,0 
David Braz: Pouco trabalho. Arroz com feijão bem temperado - 6,5.
Chiquinho: Único contratado que saiu de titular, demonstrou garra e tem estrela. Marcou um belo gol e foi ovacionado pela galera. - 7,5
Alison: Jogou a frente da zaga. Demorou um pouco a melhorar o posicionamento junto com Renato. Preciso nos desarmes - 6,5 
Renato: Demorou para aparecer no jogo. Quando acertou o posicionamento no final da primeira etapa, conseguiu ser eficiente na cobertura de Chiquinho pelo lado esquerdo - 6,0
Lucas Lima: Não tem a classe de passes mágicos como PH Ganso realizou com o manto santista em 2010, mas é de uma produtividade espantosa. Maravilhosa assistência no último gol. É o motor do time. - 7,5
Geuvânio: Foi o nome da partida. Marcou dois belos gols e prova a cada dia que com confiança, tem muita qualidade. Perguntei na coletiva e o treinador Enderson Moreira respondeu que foi o jogador quem pediu para ser substituído quando o Peixe já tinha construído o placar e já vencia por 3 a 0. - 8,0
(Ricardo Oliveira): Apesar do entusiasmo da torcida na sua entrada, o Peixe tirou o pé após ele ir a campo. Teve apenas uma chance e chutou fraco. - 5,5 
Robinho: Começou "espetado" como falso centroavante. Com a entrada de Elano foi jogar como gosta, pelos lados do campo. Não brilhou como de costume mas abriu espaços. - 6,5  
(Lucas Crispim): Pouco tempo para demonstrar algo - SEM NOTA.
Thiago Ribeiro:  Quase não finalizou, exceção feita a um voleio. Correu bastante para recompor na marcação. - 5,5
(Elano): Com sua entrada o time jogou com dois armadores e dois atacantes. Pouco produziu e limitou-se a passes laterais. - 5,5
Técnico: Enderson Moreira: Conseguiu manter a velocidade que era forte na boa fase da equipe às vésperas da final da Copa do Brasil, o ano passado. Perdeu muito ao ter que tirar Geuvânio que pediu para sair. - 6,5

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by