FOTO CAPA

ENTREGAR É COM OUTRO ALVINEGRO

Publicado às 20h20 deste domingo, 7 de dezembro de 2014.
Não, o torcedor santista não tem o que comemorar ao fim da temporada. O ano passou longe de ser bom. Mas a vitória sobre o Vitória-BA por 1 a 0, em Salvador, com gol de Thiago Ribeiro nos acréscimos, fez com que o Peixe mantivesse o Palmeiras na série A e provou que entregar jogo para prejudicar o rival, é com outro alvinegro, não o da Vila Belmiro (ou esqueceram a derrota do SCCP para o Flamengo em 2009, no Brinco de Ouro?).

O Santos entrou em campo no Barradão recheado de desfalques. Além de Arouca, Geuvânio e Robinho, o capitão santista Edu Dracena também não viajou com a delegação, conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO publicou na manhã de domingo. O rubro-negro soteropolitano só dependia dele, já que o Palmeiras apenas empatava em São Paulo contra os paranaenses do Atlético. 

A performance do glorioso foi morna. Não fosse a incompetência dos atacantes do time de Enderson Moreira e o Peixe já teria saído na frente ainda no primeiro tempo. Leandro Damião furou "espetacularmente" no começo do primeiro tempo e Gabriel soltou uma bomba na trave.

Na segunda etapa, o Santos puxou ainda mais o freio de mão e foi empurrado para o campo defensivo. Porém, a medíocridade dos donos da casa, demonstravam que a meta de Aranha não sofria perigo. No fim da partida, Caju rolou para Thiago RIbeiro, que não marcava um gol desde 25 de setembro, ou seja, mais de 70 dias, e o camisa 11 fez as pazes com as redes e rebaixava o simpático time da primeira capital do país.

Apesar dos números ruins, o Santos terminou este Campeonato Brasileiro na nona colocação com 53 gols e a sua melhor defesa na era dos pontos corridos - com 35 gols sofridos em 38 partidas. A melhor marca até então, tinha sido em 2006, com 36. Em compensação, teve o pior ataque nos últimos 12 anos. Só balançou a rede em 42 oportunidades.

Os números são irrefutáveis. Nenhum título, e o alvinegro conseguiu algo que pertencia apenas ao Palmeiras, perder um estadual com dois jogos na capital para um time do interior (em 1986 para a Internacional de Limeira); fez um campeonato brasileiro onde jamais empolgou, empatou cinco jogos nas sete primeiras rodadas e ficou outras sete sem vencer, até semana passada.

O Peixe só deu uma leve esperança ao seu torcedor durante a Copa do Brasil, quando levou um gol há oito minutos do fim na semifinal da competição, quando tinha revertido um resultado até certo ponto improvável contra o Cruzeiro. Sem falar nas contratações, onde a melhor delas e talvez a única que efetivamente deu certo foi o meia Lucas Lima. Sim, o Santos merece muito mais.

Que o próximo presidente eleito na semana que vem, e já tem o trabalho prejudicado com o planejamento, em razão do adiamento do pleito em mais uma semana, possa fazer um 2015 diferente.

Antes de finalizar, é palmeirense você tem de agradecer mesmo ao Santos.


FICHA TÉCNICA
VITÓRIA 0 x 1 SANTOS
Local: Barradão, em Salvador (BA)
Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Cartões amarelos: Alison, Cicinho e Aranha (Santos)
Público: 8.780 pagantes
GOL: Thiago Ribeiro, aos 49/2ºT (0-1)
VITÓRIA: Gatito Fernández, Ayrton, Kadu, Ednei e Richarlyson, Neto Coruja, José Welison, Cáceres (Willie, aos 14/2ºT) e Marcinho (Juan, aos 33/2ºT); Vinicius (Guilhermo Beltrán, aos 32/2ºT) e Edno. Técnico: Ney Franco.
SANTOS: Aranha, Daniel Guedes (Serginho, aos 23/2ºT), Neto, David Braz e Caju; Alison, Renato (Alan Santos, aos 38/2ºT) e Lucas Lima; Thiago Ribeiro, Gabriel (Cicinho, aos 15/2ºT) e Leandro Damião. Técnico: Enderson Moreira.


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS: 
Aranha: Uma grande defesa no primeiro tempo. Foi pouco exigido. - 6,0
Daniel Guedes: Òtimos cruzamentos, porém, pecou na marcação. Se conseguir corrigir esse problema será uma dos grandes alas do país. - 5,5 
(Serginho): Apareceu pouco nos 27 minutos que esteve em campo. - 5,0
Neto: Os atacantes do Vitória não deram trabalho a defesa santista. - 6,0
David Braz: Assim como o seu companheiro de setor, pouco trabalhou. Alguns bicões para onde o nariz apontava. - 6,0
Caju: Marcou melhor que Guedes, porém apoiou pouco. Deu a assistência do gol. - 6,5
Alison: Bem na marcação a frente da defesa. - 6,0 
Renato: Passes laterais e meio sumido no jogo. - 5,5 
(Alan Santos): Entrou no fim. - SEM NOTA. 
Lucas Lima: Performance abaixo do que costuma realizar. Ainda assim, um dos principais jogadores do time na coordenação dos contra-ataques. - 6,5
Thiago Ribeiro: Perdeu algumas oportunidades, porém fez o único gol da partida. - 6,5
Gabriel: Boa movimentação e uma bola na trave. Foi substituído no intervalo. - 6,0
(Cicinho): Entrou no meio e em seguida voltou para a lateral. Errou todos os cruzamentos que tentou e ainda conseguiu levar um amarelo. - 5,0
Leandro Damião: Perdeu um gol incrível após uma furada. Uma boa tabela com Gabriel quando o jovem acertou a trave. Depois sumiu. - 5,0 
Técnico: Enderson Moreira: Mesmo sem saber se permanecerá no Santos, poderia ter aproveitado os últimos jogos para testar alguns jogadores que vão permanecer no clube, como Gustavo Henrique. Insistir com quem está de saída como Neto e Renato, pouco acrescentou. - 5,5

                                            

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by