FOTO CAPA

NOITE DE DAMIÃO

Postado à 01h15 desta sexta-feira, 10 de outubro de 2014.
Em uma noite em que o Santos perdeu nove oportunidades reais de gol, Leandro Damião marcou um, rebateu as críticas e o alvinegro venceu o Bahia por 1 a 0, no estádio da Vila Belmiro. Com o resultado, o Peixe chegou à quarta vitória consecutiva, três no Campeonato Brasileiro (uma pela Copa do Brasil) e de quebra manteve a esperança de ainda brigar pelo G-4. O time santista manteve os mesmos quatro pontos de diferença da zona da Libertadores, porém ultrapassou o Fluminense. Agora tem 42 pontos e pulou para a sétima colocação.

Sem Robinho na seleção brasileira e com Patito na vaga do "pedalada", a partida começou com um Santos em cima do Bahia, desde os primeiros segundos. E um caminhão de gols perdidos com Patito, Geuvânio e até um de cabeça daquele que seria o dono da noite - Leandro Damião.

Aos 10 minutos, o dono da camisa 9 recebeu cruzamento da esquerda de Patito e colocou o Peixe na frente após uma cabeçada - 1 a 0. Foi o nono gol de Damião pelo time da Vila, o quarto no Campeonato Brasileiro.

Depois de o alvinegro perder tantos gols, foi a vez do Bahia também desperdiçar uma ótima oportunidade . Rafael Miranda dentro da pequena área, perdeu uma chance incrível.

Na saída para o intervalo perguntei a Leandro Damião se o gol era uma resposta as críticas que ele recebeu na véspera do ex-presidente santista Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro que o chamou de "pangaré". Ao microfone da Rede Terra São Paulo (1.330 AM), o atacante respondeu da seguinte forma:
"Não dei resposta pra ninguém. Meu foco é o Santos, defender esse distintivo, batalho para isso", disse.
No segundo tempo, o panorama não mudou. O time de Enderson Moreira criou muito e continuou a finalizar mal. Leandro Damião foi substituído aos 25 minutos e muito aplaudido pelo torcedor. O tempo é um balsamo. A mesma mão que afaga é a mesma que apedreja. 

Ainda deu tempo para Gabriel, que entrou na vaga de Patito, perder um gol absurdamente fácil, Geuvânio acertar o travessão e o goleiro Vladimir torcer muito para o chute do ex-santista Marcos Aurélio beijasse o poste esquerdo e não empatasse a partida.


Sem medo de errar, foi uma das melhores apresentações do Santos na temporada, porém o aproveitamento a gol foi pequeno.

No fim do jogo voltei a entrevistar Leandro Damião e perguntei se a parte física dele está melhor nesse momento e é uma das razões para ele voltar a balançar as redes adversárias, algo que pouco aconteceu no primeiro semestre contra adversários de menor quilate no Campeonato Paulista.
"O primeiro semestre foi muito difícil, problema no púbis Agora estou sem dor e posso ajudar da melhor maneira possível" - respondeu.
Além da boa apresentação, o Peixe engrena uma sequência com 80% de aproveitamento dos pontos sob o comando de Enderson Moreira. Em 10 partidas sob nova direção foram sete vitórias, um empate e apenas duas derrotas. Mesmo sem Robinho, o time andou e deixa uma esperança muito grande em seu torcedor. 


FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 x 0 BAHIA
Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data/Hora: 9 de outubro de 2014, às 19h30
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Público/Renda: 6.184 pagantes / R$ 141.420,00
Cartões amarelos: David Braz (SAN); Kieza (BAH)
GOL: Leandro Damião, aos 10'/1ºT (1-0)
SANTOS: Vladimir, Cicinho, Edu Dracena, David Braz e Caju; Souza, Arouca e Lucas Lima; Patito (Gabriel, aos 16'/2ºT), Geuvânio (Rildo, aos 31'/2ºT) e Leandro Damião (Leandrinho, aos 25'/2ºT). Técnico: Enderson Moreira.
BAHIA: Marcelo Lomba; Railan, Lucas Fonseca, Demerson e Pará; Fahel (Diego Macedo, aos 31'/2ºT), Rafael Miranda, Léo Gago (Marcos Aurélio, intervalo) e Emanuel Biancucchi; William Barbio (Maxi Biancucchi, aos 15'/2ºT) e Kieza. Técnico: Gilson Klena. 

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Vladimir: Não foi muito exigido. No fim da partida soltou uma bola após a cobrança de falta que "matou" alguns torcedores do coração - 5,5
Cicinho: Melhorou em relação aos últimos jogos. Bem na defesa. No apoio parece que ainda necessita recuperar a sua confiança - 6,0
Edu Dracena: Seguro - 7,0
David Braz: A exemplo de seu companheiro de zaga, muitíssimo bem - 7,0
Caju: Tem talento. Esteve um pouco mais tímido do que o normal - 6,0
Souza: Marcou bem, principalmente no primeiro tempo. Nas faltas que foi uma das razões para a sua contratação, uma lástima - 6,0
Arouca: Eficiente na marcação. Não foi o "monstro" que carrega o time para o ataque com qualidade - 6,0
Lucas Lima: Amadureceu demais. A saída de Cícero foi fundamental para o seu crescimento - 7,0
Patito: Bela assistência no gol de Damião - 6,5
(Gabriel): Perdeu uma oportunidade de gol no segundo tempo que não é comum. Não vive um bom momento - 5,0
Geuvânio: Deixou William Barbio e Pará loucos com seus dribles. Faltou sorte ao acertar um belo chute na trave - 7,0 
(Rildo): Entrou com velocidade pelo lado esquerdo do campo. Reclamou de um pênalti que não aconteceu - 6,0
Leandro Damião: O melhor da partida. Marcou um gol, deu bicicleta e readquire sua melhor forma principalmente física - 7,5
(Leandrinho):. Ótima tabela com Lucas Lima no gol perdido por Gabriel - 6,5
Técnico: Enderson Moreira: Pegou um time que precisava ser ajustado e tem conseguido extrair um pouco mais. Os números são irrefutáveis. Sete vitórias, um empate e apenas duas derrotas com o time jogando bem contra Sport-PE e Atlético-MG - 7,0



MIL TRANSMISSÕES

Esse 9 de outubro de 2014 foi uma data especial na minha carreira acompanhando o Santos. Foi a minha milésima transmissão esportiva de rádio em jogos do Peixe e agradeço demais a diretoria do clube pela homenagem que me fizeram durante o intervalo da partida.

Foi tudo muito lindo. O locutor do estádio anuciou ao público, o placar eletrônico mostrando fotos desses 16 anos que eu acompanho o alvinegro mais famoso do mundo e não me recordo de um clube da grandeza do Santos homenagear um profissional de comunicação. O Peixe foi pioneiro, até nisso.

Meus sinceros agradecimentos ao presidente Odílio Rodrigues que assim que soube dos meus números ordenou aos funcionários do clube que entrassem em contato comigo para a realização desse momento inenarrável. Obrigado ao vice-presidente Luiz Cláudio de Aquino que me entregou uma linda placa no gramado da Vila Belmiro sob os aplausos do público para eternizar a marca alcançada e me entregar uma camisa personalizada com o número 1000.

Meu muitíssimo obrigado ao gerente de marketing Fernando Montanha, que se dedicou ao máximo para que tudo saísse detalhadamente perfeito. Sou eternamente grato a este funcionário que foi sensacional em tudo. Agradeço também ao gerente de comunicação do clube Jorge Gutierrez que esteve com o Montanha na organização.

Não posso deixa de lembrar e agradecer ao Dr. Thiago Ribeiro, médico da base do Santos, que recuperou meu joelho com toda a sua competência. Poucos sabem, mas quase tive que amputar a perna, após o acidente de moto que sofri o ano passado e em breve vou me livrar das muletas.

E muito obrigado a Nação santista por me acompanhar a tanto tempo. Infelizmente não conseguirei retribuir todo o carinho e a energia positiva das centenas ou até milhares de mensagens que recebi e agradeço a todos por confiar no meu trabalho, inclusive aqueles que me criticam pois me dão oportunidade de eu crescer.

A satisfação de ser homenageado, em vida, com meu filho do lado, minha família assistindo e pessoas importantes que marcaram na minha carreira acompanhando "in loco" no estádio da Vila Belmiro e coincidentemente em um jogo contra o Bahia, onde em 1997 o lateral-esquerdo Dutra marcou o 10.000 gol, não tem preço.

Só posso agradecer a DEUS, a essa torcida maravilhosa e a diretoria do Santos, por esse momento. O Peixe é uma das se não a maior razão da minha existência e o grande amor da minha vida.


                                       

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by