FOTO CAPA

O FUTEBOL NÃO TOLERA DESAFORO

Postado às 21h20 deste domingo, 18 de Maio de 2014.
O Santos perdeu uma invencibilidade de oito partidas e conheceu sua primeira derrota no Campeonato Brasileiro. O time de Oswaldo de Oliveira vencia até os 29 minutos do segundo tempo, mas a síndrome de levar gol de ex-jogador permanece e com dois gols de André, o Peixe perdeu de virada para o Atlético/MG por 2 a 1. O gol santista foi marcado por Cícero.

O primeiro tempo do time da Vila em Cuiabá, mesmo tendo finalizado bem menos que o adversário, foi satisfatório. O time preencheu espaços no meio-campo e mesmo não tendo 45 minutos primorosos foi para o intervalo com a vitória parcial, após o gol de Cícero.

Na etapa complementar, o futebol do alvinegro da Vila que tem deixado muito a desejar há algum tempo, caiu assustadoramente e ainda assim teve a chance de matar a partida. Como diz a máxima antiga do futebol, "Quem não faz, toma" e o Peixe levou a virada. O jogo aéreo em cima da zaga santista foi uma constante e a defensiva do Peixe prova que não merece a miníma confiança do torcedor.

O treinador também teve participação decisiva para a virada do adversário. As substituições do comandante técnico santista não foram nada felizes. Oswaldo sacou o armador do time - Lucas Lima e retirou também o homem que vinha puxando o contra-ataque - Bruno Peres. O técnico santista manteve Thiago Ribeiro em campo. O atacante estava muito mal no jogo e por ironia do destino, saiu lesionado e como o Santos já havia feito as três substituições terminou a partida com um homem a menos. 

A verdade é que o pior time paulista, após cinco rodadas, recuou em demasia. Já Levir Culpi, técnico atleticano, foi ousado, abriu mão dos dois volantes (Pierre e Rosinei) e correu riscos de levar o segundo gol no contra-ataque, porém, foi premiado pela ousadia e pela vontade de vencer, algo que faltou ao Peixe no segundo tempo.

O Santos, que foi o mandante da partida, conseguiu perder para o time B do Galo (sem Jô, Tardelli, Ronaldinho Gaúcho, Guilherme, Neto Berola, Revér e outros). 

O sinal amarelo está ligado e o alviengro praiano permanece com apenas seis pontos em cinco jogos (uma vitória, três empates e uma derrota) e dá sinais de que vai ficar na parte intermediária da tabela, se não se reforçar a altura na janela de transferência internacional no meio do ano.

Na próxima quinta-feira (22), às 19h30, em Goiânia, o time da Vila Belmiro volta a campo e enfrenta o Goiás. Cicinho que cumpriu suspensão neste fim de semana, deve ser a principal novidade.

SANTOS 1 x 2 ATLÉTICO MINEIRO
Data: 18/5/2014
Local: Arena Pantanal, em Cuiabá (MT)
Público pagante/renda:  15.600/ R$706.000,00
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (RJ)
Cartões amarelos: David Brás e Neto (Santos), Emerson Conceição, Leonardo Silva e Victor (Atlético Mineiro)
Gols: Cícero, aos 37'/1ºT (1-0), André aos 29'/2ºT (1-1) e 35'/2ºT (1-2)
Santos: Aranha, Bruno Peres (Zé Carlos, aos 22'/2ºT), Neto, David Braz, Mena; Arouca, Alan Santos (Leandrinho, aos 9'/2ºT), Cícero, Lucas Lima (Geuvânio, aos 16'/2ºT); Thiago Ribeiro e Gabriel. Técnico: Oswaldo de Oliveira
Atlético-MG: Victor, Alex Silva, Otamendi, Léo Silva, Emerson Conceição; Pierre (Eduardo, aos 20'/2ºT), Leandro Donizete, Rosinei (Carlos, intervalo); Fernandinho (Dátolo, aos 24'/2ºT) Marion e André. Técnico: Levir Culpi

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Aranha: Defesa sensacional na cabeçada de Leonardo Silva no primeiro tempo. Sem culpa nos gols do Galo - 6,5
Bruno Peres: Dificuldades na marcação, porém era o único que conseguia puxar contra-ataque com razoável eficiência quando o Peixe estava a frente do placar. Mal substituído - 6,0
(Zé Carlos): Entrou e limitou-se a apenas defender - 5,0
Neto: Jogava bem até levar um drible desconcertante no primeiro gol do Atlético, quando foi fazer a cobertura na lateral direita - 4,5
David Braz: Tem momentos que acha que é Baresi e se mete a sair pro ataque sem ter essa qualidade. Na bola aérea, perdeu todas - 4,5
Mena: Fez um ótimo primeiro tempo, um dos melhores desde que chegou a Vila. Caiu na segunda etapa, assim como o time - 6,0
Arouca: Era o homem que lançava Bruno Peres nos contra-golpes pela direita. Com a saída do ala, também desapareceu - 6,0
Alan Santos: Ótima assistência para o gol de Cícero. Saiu lesionado - 6,0
(Leandrinho): Ainda busca um ritmo melhor de jogo em razão de um longo tempo sem jogar. Discreto - 5,0
Cícero: A exemplo de Mena, fez bom primeiro tempo e voltou a marcar gol. Sumiu na etapa complementar - 6,0 
Lucas Lima: Não realizava grande apresentação, mas era o único coordenador de jogadas que poderia encontrar alguém rápido no contra-ataque - 5,5
(Geuvânio): Realizou poucas jogadas pela direita, mas logo se tornou presa fácil para a marcação do Galo - 5,5
Thiago Ribeiro: Como homem que ajuda na marcação a eficiência de sempre, porém, não acertou nada na parte técnica. Caiu assustadoramente de produção. Tinha que ter sido substituído. Deixou o gramado lesionado - 4,5
Gabriel: Teve a bola para matar o jogo. No contragolpe, o Galo empatou. Jogador jovem que é inteligente e que vai amadurecer - 5,5 
Técnico: Oswaldo de Oliveira: Não foi feliz nas alterações e não teve capacidade de fazer com que a equipe não recuasse tanto no segundo tempo - 4,0

                                            

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by