FOTO CAPA

SEM NOVA ZEBRA

Postado as 02h02 desta quinta-feira, 17 de abril de 2014;
Com um futebol bem econômico e com o psicológico abalado com a dolorida e inesperada perda do estadual para o Ituano no último domingo, o Santos não reeditou as performances convincentes da primeira fase do Campeonato Paulista, mas fez o suficiente para vencer o Mixto-MT, na Vila Belmiro, por 3 a 0 e está na segunda fase da Copa do Brasil. O Peixe aguarda o segundo confronto entre Brasiliense (DF) e Princesa de Solimões (AM), no próximo dia 23, para conhecer o seu adversário na próxima fase. No primeiro confronto, vitória dos amazonenses por 3 a 1.

Conforme revelamos através das redes sociais (facebook e twitter) no fim da tarde da quarta-feira (16), o técnico Oswaldo de Oliveira poupou Leandro Damião com dores musculares em uma das coxas e Cícero, que levou um pisão em uma das costelas na decisão do fim de semana. Alan Santos reapareceu entre os titulares na vaga do "Pitbull" Alison, além de Gabriel e Diego Cardoso conquistarem novas chances no ataque alvinegro, como as novidades na escalação.

O Santos confundia velocidade com pressa e ainda com ânimo bastante alterado em razão ao dissabor da derrota no Paulistão, o time fazia uma partida bem apática. Mesmo contra um Mixto-MT, adversário de qualidade técnica sofrível, o Peixe não conseguia agredir e só foi abrir o placar aos 14 minutos da segunda etapa, após cruzamento de Cicinho e conclusão de Arouca, dentro da pequena área.

Daí em diante, o time ganhou confiança e fez mais dois gols através de Gabriel, que passou a ser o artilheiro santista na temporada com 9 gols, ultrapassando Cícero.

No próximo domingo (20), o alvinegro praiano estréia no Campeonato Brasileiro, onde não realiza uma campanha decente desde 2007, quando foi vice-campeão. O confronto válido pela primeira rodada da competição nacional está marcado às 18h30 contra o Sport-PE, também no estádio da Vila Belmiro. 

Perguntei ao treinador Oswaldo de Oliveira durante a entrevista coletiva, o que esperar desse elenco no Brasileirão-2014 e o comandante técnico respondeu da seguinte forma:
"Tenho muita confiança e desenvolvimento desses meninos, que estão passando por experiência

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 x 0 MIXTO-MT
Local: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/Hora: 16 de abril de 2014, às 22h
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Público e renda:  2.321 pagantes/ R$71.754,00 
Cartões amarelos: Ruy, Denilson, Ricardo Almeida, João Paulo e Igor (Mixto), Allan Santos e Cicinho (Santos)
GOLS: Arouca (14'/2ºT), Gabriel (23'/2ºT), Gabriel (37'2ºT)
SANTOS: Aranha; Cicinho, Neto, David Braz e Mena; Alan Santos, Arouca (Alisson, aos 31'2ºT), Geuvânio, Thiago Ribeiro (Stéfano Yuri, aos 31'/2T), Gabriel e Diego Cardoso (Lucas Lima, aos 08'/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira.
MIXTO: Igor; Denílson, Ricardo Ehle, Robinho e Ítalo; Kiko, Paulo Almeida (Edilson aos 15'/2ºT), Gabriel e Ruy; Fogaça (Ferreira, aos 23'/1ºT) e João Paulo. Técnico: Ary Marques.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Aranha: Não fez uma defesa sequer durante o jogo - 6,0
Cicinho: Principal válvula de escape pelo lado direito. Bela assistência no primeiro gol da partida - 6,5
Neto: Sem trabalho algum devido a postura tática defensiva do adversário - 6,0
David Braz: A exemplo do seu companheiro de setor, pouco trabalhou - 6,0
Mena: Nem na Vila Belmiro contra um adversário fraco, o lateral que vai disputar a próxima Copa e defende bem, se aventura ao ataque. Pela relação custo-benefício, é pouco, em minha minha opinião, para ser titular de um time grande - 6,0
Alan Santos: Errou alguns passes, o que não é costumeiro. Tentou finalizações de longas distância que não foram objetivas - 5,5
Arouca: Fez tabelas com Diego Cardoso, marcou o primeiro gol e carregou o meio-campo santista - 7,0
(Alison): Menos de 15 minutos em campo -  SEM NOTA
Geuvânio: Melhorou apenas no fim da partida. Precisa recuperar o bom futebol do estadual, que encantou o torcedor até a fase quartas de final. Tem potencial para isso. - 6,0
Thiago Ribeiro: Jogou em função diferente, a de abastecer os companheiros vindo de trás - 6,0
(Stéfano Yuri): A exemplo de Alison, jogou pouco -  SEM NOTA
Gabriel: O melhor do jogo. Foi quem mais chutou a meta adversária. Marcou dois gols - 7,5
Diego Cardoso: Não repetiu as ótimas atuações das outras vezes que Oswaldo o colocou no time. Tem potencial pra jogar muito mais - 6,0
(Lucas Lima): Mudou o jeito do time jogar. Com a sua entrada, o Santos passou a ter um coordenador de jogadas - 7,0
Técnico: Oswaldo de Oliveira: Não foi feliz na escalação de equipe sem um armador, mas tratou de corrigir com a entrada de Lucas Lima aos 8 minutos do segundo tempo - 6,5

                                                   http://www.strutura.com.br 
 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by