FOTO CAPA

"A DIFERENÇA É EMOCIONAL"

Postado às 10h41 deste domingo, 16 de fevereiro de 2014.
A partida entre Penapolense e Santos neste domingo (16), em Penápolis, é especial para algumas pessoas. O gerente de futebol do clube do interior - Paulo de Carvalho -  que foi diretor das categorias de base do Santos em 2010; o meia-atacante santista Geuvânio, que atuou no adversário no estadual do ano passado e principalmente para o técnico do time da casa - Narciso. O "professor" viveu quase duas décadas entre jogador e treinador do alvinegro praiano.

No Santos, Narciso viveu de tudo um pouco. Ainda como zagueiro, viu o título Brasileiro de 1995 escapar, após um erro absurdo do árbitro Márcio Rezende de Freitas que deixou de validar um gol legal do ponta-direita Camanducaia, na decisão contra o Botafogo-RJ. Foi pro meio-campo e virou capitão do Santos - campeão da Conmebol em 1998. Como atleta, atuou 266 vezes e marcou 13 gols com a camisa do Peixe. 

Narciso teve de parar de jogar futebol para realizar um complexo tratamento contra um tipo raro de leucemia. Guerreiro, conseguiu voltar a jogar em 2003, em partida contra o Coritiba, no Estádio Couto Pereira, pelo Campeonato Brasileiro. Ao entrar em campo, foi aplaudido de pé por ambas as torcidas. Deixou definitivamente a carreira como jogador em 2005 para atuar como treinador, comandando as categorias de base do Santos durante três anos. O treinador levou o time da Vila Belmiro a decisão da da Copa São Paulo de 2010. Novo erro de arbitragem e o doce sabor do vice-campeonato.

Em 2011, Narciso foi contratado para treinar as categorias de base do SCCP onde conseguiu seu primeiro título: A Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2012. Hoje, o treinador não tem desfalques no Penapolense e pela primeira vez, vai enfrentar o seu ex-clube, no profissional:
"O time está consciente, sabe aquilo que tem que fazer. Mesmo jogando em casa é jogo difícil. Mas o que me dá mais confiança é que minha equipe está jogando bem. Nos últimos cinco jogos, vencemos quatro" disse Narciso, em entrevista a Super Rádio (antiga TUPI) na última quinta-feira (14).
Perguntado, por este que vos escreve, se enfrentar o Peixe tem um gosto especial, Narciso tenta dizer que não, mas durante a sua resposta admite que é diferente:
"São os mesmos três pontos de outra partida, mas a diferença emocional é grande, enfrentar um time que você defendeu por tantos anos" revela. 
Sobre o favoritismo, Narciso diz que é o do clube grande, mas reforça a motivação dos seus atletas:
"Favorito vai ser sempre o Santos, mas vamos fazer de tudo para neutralizar os pontes fortes deles - Arouca, Cícero, Thiago RIbeiro, Geuvânio e Leandro Damião, mas nossos atletas estão motivados para enfrentar um time grande  e vamos tentar fazer o nosso jogo" finalizou a entrevista Narciso.
O Clube Atlético Penapolense vai a campo com Samuel; Rodnei, Gualberto, Jaílton e Rodrigo Biro; Petros, Liel, Neto e Washington; Rafael Ratão e Alexandro. Já o Santos começa o duelo com Aranha; Cicinho, Neto, Gustavo Henrique e Eugenio Mena; Arouca, Alan Santos e Cícero; Geuvânio, Leandro Damião e Thiago Ribeiro.

Penapolense e Santos se enfrentam no Estádio Tenente Carriço, às 18h30 com tranmissão da Super Rádio- 1.150 AM - http://t.co/hpTlGz7828
 

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by