FOTO CAPA

TRATAMENTO DESIGUAL

Postado às 23h07 desta quarta-feira, 22 de janeiro de 2014
O Santos demonstrou estar descontente sobre as decisões tomadas pela Federação Paulista de Futebol (FPF) com respeito à final da Copa São Paulo de Futebol Júnior no próximo sábado (25) às 10h00. 

O sub-20 do Peixe de Pepinho Macia, enfrenta o SCCP no Pacaembu e pelo menos por enquanto, será a torcida rival que terá maior espaço no próprio da municipalidade paulistana, uma vez que ficará nas arquibancadas (verde e amarela) do estádio, enquanto  o torcedor santista terá apenas o tobogã à disposição (Por enquanto, as numeradas cobertas e descobertas não terão divisão de torcida).

Em nota publicado em seu site oficial, o Santos reproduziu o ofício enviado à FPF através do Comitê Gestor que administra o clube. No documento, os dirigentes exigem serem informados "das datas e locais das reuniões preparatórias e/ou decisórias referentes à partida", pleiteiam divisão da carga total de ingressos (50%) e cobram que a indicação do local a ser ocupado pelas torcidas seja definido através de sorteio.

Apesar de o alvinegro praiano ter melhor campanha na Copa São Paulo, o SCCP ficou com a maior fatia do estádio para sua torcida, de acordo com o site da Federação Paulista de Futebol, que informou os detalhes da decisão no fim da tarde desta quarta-feira (22). 

Caso as torcidas esgotem suas cotas, os "portões 21 e 22", nos extremos das arquibancadas, serão abertos, um para cada clube (Segundo informações, o Santos fica com o portão 21). Por isso, é importante o torcedor do Peixe fazer a sua parte comprando o maior número de bilhetes possíveis para ter direito a mais um setor no Pacaembu.

Além das solicitações sobre os ingressos, os dirigentes santistas requereram jogar com seu uniforme número um (branco), já que possui campanha superior ao adversário (seis vitórias consecutivas) .

O regulamento da competição é bastante subjetivo sobre as atribuições da final da competição:
 "§ 2º - Competirá ao DCO (departamento de competições da FPF) a designação dos mandos de campo da Competição, indicando os locais dos jogos de acordo com critérios técnicos, de segurança ou de logística".
A Federação Paulista não pode tratar dois filiados com a mesma representatividade de forma desigual.

O Santos tem obrigação de lutar pelos seus direitos. O Feudalismo terminou na idade média, mas em pleno século XXI, graças a inércia de alguns dirigentes, ainda é possível perceber que esse modo de organização social e político baseado nas relações servo-contratuais ainda são vistos a olho nu. Só não ver quem não quer. 


Contra tudo e contra todos, até porque se a meninada não sentir a pressão, o Santos tem mais time, o Peixe vai dar mais uma volta olímpica em cima do rival, assim como aconteceu em 1984 no Canindé, na mesma Copa São Paulo. 

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by