FOTO CAPA

O.OLVEIRA: "ME SINTO MUITO BOM"


Postado às 14h48 desta quarta-feira, 8 de janeiro de 2014
Oswaldo de Oliveira foi apresentado oficialmente como técnico do Santos no inicio da tarde desta quarta-feira (8) em entrevista coletiva realizada na Vila Belmiro. O novo comandante alvinegro de 63 anos falou sobre os seus objetivos. Confira algumas das respostas do treinador do Santos em 2014:

Volta
Não encaro meu retorno como uma possibilidade de terminar o trabalho de 2005. Hoje é uma nova fase, uma outra situação. Aquilo é passado. Hoje vejo o santos de forma diferente. Lembro que de 1997 para 2005 houve evolução muito grande na administração e, agora, de 2005 para 2014, vejo isso crescendo mais ainda. o Santos está mais íntegro, mais inteiro, mais diversificado, mais apontado pro futuro e buscando evoluir na administração, no marketing, na comunicação. Grandes clubes tem que buscar o que o Santos está buscando”.
Saída precoce
Minha saída em 2005 foi prematura. Não foi uma coisa consciente. Jogamos 16, ganhamos nove e perdemos apenas três, dois na altitude de La Paz e Quito pela Libertadores e um no Parque Antártica para o Palmeiras, num dia em que o Marcos foi mais santo do que nunca. Interromper um trabalho que se inicia não é algo consciente. Vejam, trabalhei cinco anos no Kashima.  Perdemos os cinco primeiros jogos, mas terminamos como campeões. Depois fomos tricampeões. Ao todo ganhei nove títulos lá. A continuidade do trabalho que tive no Botafogo prova isso também, ganhamos o Carioca e conquistamos a vaga na Libertadores”.
Herança
Gosto da base que temos. Temos opções de alto nível. Claro que ainda não conheço bem a maioria dos jogadores, mas três deles jogaram comigo: o Léo, o Edu Dracena e o Arouca. Outros, como Montillo, Cícero, Aranha e Cicinho conheço como adversários. E acompanhei a garotada nos dois jogos contra o Criciúma, na final da Copa do Brasil Sub-20 e o primeiro jogo da Copinha. Com a concepção do trabalho, a execução no campo e os jogos vindouros, teremos muito mais condições de desenvolver este grupo e ter a consciência daquilo que poderemos contar".
Estadual
Sempre achei o Campeonato Paulista o mais difícil regional do Brasil. Além dos quatro grandes clubes, existem outros tantos que disputam a Série A do Brasileiro e aqueles que a gente chama de menores, mas sempre se preocupam com a participação na competição. Por outro lado, ainda acho muito abrangente dentro do contexto do futebol brasileiro, continua ocupando espaço demais no calendário. poderia ser mais compacto para que nossos jogos não tivessem um espaço tão pequeno de preparação e recuperação. Mas em termos de competitividade  é muito motivador, grandioso. E tenho uma vontade grande de vencê-lo outra vez”.
Jogadores da base
Usaremos a base com naturalidade. Os jogadores tem qualidades inatas que são desenvolvidas com treinamento e segundo nossa observação e sensibilidade. A pressão não pode ser pelo surgimento de um novo Robinho ou Neymar, mas sim, por jogadores que aparecem e demonstram condição. Não tenho medo de lançar jogadores novos, nem de manter veteranos. Eu não gosto de jovem, nem de veterano. Gosto de bom jogador. E quem estiver bem vai jogar”.
Momento na carreira
Não faço projeção futura, as coisas acontecem naturalmente. Estou satisfeito com o que fiz até hoje. Muitas vezes não depende da minha qualidade profissional, não tenho poder de decisão em algumas situações, então procuro me adaptar e levar da melhor maneira. Me sinto num momento muito bom e estou contente. Não faço promessas, mas garanto que vou trabalhar muito, com entusiasmo e dedicação”.
Estrutura
O Santos tem uma estrutura excelente. Conheci ontem quando cheguei. É maravilhoso. As condições de trabalho são excepcionais. Admito que às vezes sair para uma mudança de ambiente, para isolar os jogadores do âmbito da cidade eventualmente pode ser levado em consideração. Mas neste momento acho excepcional permanecermos, quero conhecer tudo que gira em torno de Santos, todas as instalações do clube. Neste momento está tudo perfeito”.

Não precisa ter talento e sim empresário

Especulado no Botafogo, o atacante Willian José viu seu destino mudar de direção quando o Real Madrid-ESP atravessou a negociação com o time carioca, e o centroavante de qualidades técnicas limitadíssimas não vai mais para General Severiano. Agora, em vez do Rio de Janeiro, o ex-camisa 9 do Santos está de malas prontas para ir à Espanha. O atacante chega ao Real Madrid B por empréstimo com opção de compra ao final do contrato. 
"É um projeto como o do Casemiro (ex-volante do São Paulo), que ganhou experiência e depois subiu para a equipe profissional. É uma grande oportunidade para a minha carreira e espero aproveitar da melhor maneira", afirma WJ9.
Aliás, por falar em jogador de qualidade técnica duvidosa, tem que colocar em cárcere privado o "gênio" da direção santista que indiciou e contratou Everton Costa (que está a caminho do Vasco) e o próprio William José, que deveriam somente ter pisado no solo sagrado da Vila Belmiro como adversários do clube e jamais terem vestido o manto alvinegro.

88,5 mil mensais para a terceirização da Comunicação

Ninguém no clube confirmou oficialmente, mas segundo informações de bastidores, o Santos paga mensalmente a empresa que assumiu os serviços de comunicação, o valor de R$ 88,5 mil por mês.

Além dessa quantia, o Peixe também vai aumentar seus custos com o setor, pois está contratando um gerente para área.

Desde o dia 22 de dezembro o site do clube não é atualizado e o mesmo permanece fora do ar com promessa de que um novo site estará a disposição em breve.




 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by