FOTO CAPA

GANHOU UM PONTO

Postado às 19h04 deste domingo, 11 de agosto de 2013
O Santos completou sua quarta partida sem saber o que é uma vitória (os outros jogos foram Ponte Preta, Barcelona (ESP) e SCCP) ,mas parou o melhor ataque do campeonato, manteve uma invencibilidade de sete partidas sem perder para o Cruzeiro (desde 2009), e de quebra, o time celeste pela primeira vez, não venceu ou marcou gol desde que o estádio do Mineirão foi reinaugurado. Se o árbitro não deixasse de assinalar um pênalti em Henrique a favor do time paulista, aos 4 minutos de jogo e o ataque do Peixe estivesse mais inspirado, o resultado poderia ser diferente do 0 a 0.

Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO antecipou com absoluta exclusividade, Claudinei Oliveira começou a partida com Henrique no comando do ataque na vaga de William José. Teoricamente na parte tática, o treinador acertou, pois o ex-atacante do Mogi-Mirim é mais jogador de área do que Giva e fez com que a zaga cruzeirense não avançasse. Na parte técnica, o jogador que completou apenas a quinta partida desde que chegou ao time da Vila Belmiro, deixou a desejar, apesar de ter se aplicado bastante.

O volante Alison novamente começou como titular e prova a cada dia que merece a vaga. Apesar de novamente ter levado cartão amarelo, o atleta é bom ladrão de bola e fez com que o alvinegro mordesse mais no meio-campo. Antes do duelo contra o Cruzeiro, o Santos era o time que menos faltas cometia na competição (média de 12 por jogo) e só no primeiro tempo, o time cometeu 18 faltas.

Montillo, como era esperado, foi vaiado no reencontro com o torcedor cruzeirense, mas demonstra que está em evolução e fez um primeiro tempo interessante. 

A zaga alvinegra tão contestada, provou que se tem cobertura, não é tão inferior às demais participantes do Campeonato. Com a substituições dos laterais (Cicinho e Mena nas vagas de Galhardo e Léo), além do combate de Alison e Alan Santos (substituiu o aniversariante Arouca, contundido, aos 7 minutos de partida) fizeram com que os defensores santistas parassem o melhor ataque da competição até o momento. Os cruzeirenses já tinham balançado as redes adversárias em 25 oportunidades. Foi a primeira vez que os mineiros não marcaram gol nesta temporada.

Na próxima quarta-feira (14), o Santos volta a campo pela 14ª. rodada do Campeonato Brasileiro às 19h30, no estádio da Vila Belmiro contra o Vasco da Gama. Para essa partida, William José que cumpriu suspensão automática pela expulsão contra o SCCP está à disposição. Em compensação, o lateral-esquerdo Mena, convocado para servir a Seleção do Chile é desfalque certo. O Peixe chegou aos 14 pontos e com dois jogos a menos em relação aos demais concorrentes. 
"Temos que fazer um bom jogo contra o Vasco, que é um time qualificado e tem um grande treinador, como é o Dorival Júnior. O Santos está numa crescente, mas precisamos pontuar, se quisermos chegar mais próximos ao G-4" disse Claudinei Oliveira em entrevista coletiva após o fim da partida contra o Cruzeiro/MG.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 0 X 0 SANTOS
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 11/8/2013 – às 16h
Árbitro: Paulo Henrique Godoy Bezerra (SC)
Público / Renda: 27.444 pagantes / R$ 1.302.553,55
Cartões amarelos: Martinuccio, Vinícius Araújo (CRU); Alison, Edu Dracena, Mena, Thiago Ribeiro, Leandrinho (SAN)
CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Bruno Rodrigo, Dedé e Egídio; Nilton, Souza, Ricardo Goulart e Martinuccio (Élber – 15’/2ºT); Luan (Lucca – 27’/2ºT) e Vinícius Araújo (Borges – 15’/2ºT).Técnico: Marcelo Oliveira.
SANTOS: Aranha; Cicinho, Edu Dracena, Durval e Mena; Arouca (Alan Santos – 7’/1ºT), Alison (Leandrinho – 16’/2ºT), Cícero e Montillo; Neilton (Thiago Ribeiro – 29’/2ºT) e Henrique.Técnico: Claudinei Oliveira.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Aranha: Muito seguro - 7,0
Cicinho: Não é um Carlos Alberto Torres, mas demonstra que merece a titularidade. Apoiou muito bem. Ótimo preparo físico - 7,0
Edu Dracena: No alto ganhou todas e no chão só perdeu uma para Luan e por isso cometeu falta. O melhor da partida - 8,0 
Durval: Não se destacou tanto como seu companheiro de zaga, mas fez uma partida muito regular- 7,0 
Mena: Excelente na marcação e nas poucas vezes que foi ao ataque, deu alguns ótimos cruzamentos. Provou dentro do campo que merce ser o camisa 3 - 7,0 
Arouca: Saiu contundido com 7 minutos de partida - sem nota 
(Alan Santos): Marcou bem no meio-campo - 6,5 
Alison: Um leão na marcação. Outro que merece melhor sorte na equipe de cima - 7,0  
(Leandrinho): Não deu a dinâmica de jogo necessária ao meio-campo, mas não comprometeu nos passes - 6,0 
Cícero: O mais apagado do meio-campo santista - 5,5
Montillo: Ótimo primeiro tempo. Não se incomodou com as vaias dos cruzeirenses - 7,5 
Neilton: Se tivesse melhor finalização, poderia ter marcado um gol. Pode render mais do que vem desempenhando nas últimas partidas - 5,5 
(Thiago Ribeiro): Jogou apenas 16 minutos, mas não acrescentou. Ainda sem ritmo de jogo - 5,0 
Henrique: Taticamente segurou os zagueiros cruzeirenses e ainda sofreu um pênalti não marcado pela arbitragem. Tecnicamente, visivelmente sem ritmo e abaixo do esperado - 5,0 
Técnico: Claudinei Oliveira: Poderia ter ousado mais nas substituições. Apesar da função tática de Henrique segurar os zagueiros do time celeste, era pra ter colocado Thiago Ribeiro na vaga de Henrique, e não de Neílton. Armou bem a defesa - 6,0


O vice-presidente Odílio Rodrigues ao lado do vereador Roxinho de Cubatão

Vice-presidente operado

O vice-presidente do Santos, Odílio Rodrigues Filho, foi operado, neste sábado (10), para tratar fratura na fíbula direita e ruptura do tendão do quadríceps esquerdo. A cirurgia aconteceu no Hospital Oswaldo Cruz, na capital, e foi conduzida pelos médicos José Ricardo Pécora e Maurício Zenaide.


Odílio já recebeu alta neste domingo (11), e deve permanecer em repouso na sua residência durante os próximos dias, de onde continuará despachando, seguido de fisioterapia.

Conforme o Blog do ADEMIR QUINTINO já havia publicado na última sexta-feira (9), para o Comitê de Gestão ficar com o número de integrantes mínimo (5), pois com menos de quatro ficaria impossibilitado de ter validade as suas ações, já que outros quatro dos membros saíram e ainda não foram substituídos, o vice-presidente santista não vai pedir licença médica.

 



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by