FOTO CAPA

APATIA QUE ASSUSTA

Postado às 23h31 desta quinta-feira, 28 de março de 2013

Com um futebol econômico, longe de encher os olhos do torcedor, o Santos apenas empatou no estádio da Vila Belmiro com o Mogi-Mirim em 2 a 2, no início da noite desta quinta-feira (28). Os gols do Peixe foram marcados por Cícero e Giva. Apesar das voltas de Neymar e Montillo, o Peixe passa mais uma rodada sem demonstrar um futebol convincente às vésperas da fase final do Campeonato.

Segundo o técnico Muricy Ramalho, o alvinegro não é lento e sim troca passes até abrir a defesa adversária. A verdade é que mesmo jogando no antes “alçapão da Vila”, o time praiano não agrediu o adversário como costumeiramente fazia, principalmente quando jogava em casa contra clubes do interior.

Uma equipe com pouca criatividade, sem inspiração e que não faz mal a ninguém. Esta é a realidade do Santos que assusta, principalmente se compararmos o material humano que o alvinegro tem em relação à maioria dos seus adversários. Apesar da invencibilidade de sete partidas (três empates e quatro vitórias), a passividade do Peixe impressiona negativamente, principalmente quando Neymar não brilha, algo que tem se repetido desde a vitória no clássico contra o São Paulo, no distante 3 de fevereiro.

Não sou treinador de futebol, mas é perceptível que a armação do treinador santista faz com que o time atue praticamente com três volantes e em muitos momentos com três atacantes. O Montillo não atua como coordenador de jogadas, como deveria. A bola não roda. É correria, toques de lado sem objetividade e bola no Neymar, que mesmo não reeditando uma bela apresentação, ainda participou como “garçom” nos dois gols.

Pra não dizer que não falei das flores, o Mogi-Mirim é um time bem armado e justifica a boa campanha no estadual, ocupando a quarta-colocação do campeonato, justamente atrás do Santos, com 27 pontos; mas ainda assim não justifica a apresentação apenas discreta do alvinegro da Vila.

O Santos permanece na terceira colocação, agora com 29 pontos e na próximo rodada, o time de Muricy volta ao interior paulista para enfrentar o Oeste de Itápolis às 18h30, no Estádio Alfredo Castilho, em Bauru. 

FICHA TÉCNICA
SANTOS 2 X 2 MOGI MIRIM

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data/Horário: 28 de março de 2013 – 19h30
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima
Renda/Público: R$ 176.690,00 / 6.454 torcedores
Cartões Amarelos: Henrique, Tiago Alves e Roniery (MOG)
Cartão Vermelho: -
Gols: Cícero, aos 42'/2ºT (1-0); Henrique, aos 6'/2ºT (1-1); Giva, aos 23'/2ºT (2-1) e Wagninho, aos 34'/2ºT (2-2)

SANTOS: Rafael; Bruno Peres, Edu Dracena, Durval e Léo (Guilherme Santos - 24'/2ºT); Arouca, Renê Júnior, Cícero e Montillo; Neymar e Giva. Técnico: Muricy Ramalho

MOGI MIRIM: Daniel; Roniery, Lucas, Tiago Alves e João Paulo; Magal, Val, Roger Gaúcho (Juninho - 41'/2ºT) e Wagner (Carlos Alberto - 21'/2ºT); Roni (Wagninho - 32'/2ºT) e Henrique. Técnico: Dado Cavalcante


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
Rafael: Não teve culpa dos gols que sofreu – 6,0 
Bruno Peres: Precisa urgentemente aprender a cruzar – 4,0
Edu Dracena: Seguro – 6,5 
Durval: Falhou no primeiro gol do adversário duas vezes. A primeira ao fazer uma falta desnecessária e a segunda ao não impedir o cabeceio de Henrique – 4,5  
Léo: Só marca. Não apoia mais. Saiu contundido – 5,0 
(Guilherme Santos): Uma avenida. Foi nas suas costas que o cubatense Waguininho conseguiu empatar a partida – 4,0
Arouca: Depois que voltou da seleção, seu futebol caiu assustadoramente. Fez o que Bruno Peres deveria ter feito no primeiro gol, um ótimo cruzamento – 5,5 
Renê Júnior: Marcou bem, como de costume – 6,0
Cícero: Ele é um ótimo coadjuvante. O melhor do time nesta partida com um gol e uma assistência – 7,0
Montillo: Não reeditou a bela apresentação que fez na semana passada com a camisa da argentina contra os venezuelanos. Tem jogado quase como terceiro atacante, aberto em uma das pontas. Sacrificado no esquema – 5,5
Neymar: Não faz uma brilhante apresentação desde o clássico contra o São Paulo, dia 3 de fevereiro, pela quinta-rodada. Ainda assim, participou dos dois gols – 5,5
Giva: Matador. Fede a gol. Conseguiu finalizar duas vezes e em uma marcou – 6,5  
Técnico: Muricy Ramalho: Não consegue dar padrão a equipe. Preferiu não mexer na segunda etapa (exceção feita a lateral-esquerda por ordem médica) – 4,5









 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by