FOTO CAPA

DEJA VU EM CAMPINAS

Postado às 21h40 deste domingo, 17 de fevereiro de 2013

Em mais uma partida pouca inspirada do Santos, o time comandado por Muricy Ramalho perdeu pela segunda vez consecutiva no Paulistão/2013. Desta vez na cidade de Campinas, no Estádio Moises Lucarelli, para a Ponte Preta por 3 a 1. Como desgraça pouca é bobagem, além da derrota, o clube caiu para a quarta colocação do estadual e Neymar expulso, é desfalque certo para a próxima partida contra o XV de Piracicaba, no fim de semana seguinte.

O Santos veio a campo no esquema 4-5-1. Conforme o blog postou na última sexta-feira (15), Miralles com um edema na coxa foi desfalque e o treinador preferiu escalar o meio-campo com quatro volantes (Renê Jr, Arouca, Marcos Assunção e Cícero), além de Montillo; com Neymar isolado na frente.

O esquema do treinador santista até preencheu bem os espaços no meio-campo, mas com apenas Neymar isolado no ataque, o Santos ficou com o sistema ofensivo impotente. Uma caricatura mal feita de um time de futebol é o que pode ser observado na péssima apresentação santista. 

A expulsão de Neymar no fim do primeiro tempo, até pode ser contestada, mas a grandeza do Santos não pode viver única e exclusivamente do melhor jogador em atividade na América do Sul. 

No intervalo da partida, o treinador Muricy não quis abrir mão de Marcos Assunção, especialista da bola parada, mas ele visivelmente deixa o time mais lento. Além disso, a defesa do Santos tem uma média de idade muita alta, Léo (37 anos), Durval (32 anos), Edu Dracena (31 anos) e precisa mais velocidade. Porque não deixar a qualidade e a liderança do capitão Edu Dracena com a juventude de Neto, que enquanto esteve no time nas primeiras partidas, demonstrou segurança?  

O ano passado, principalmente no segundo semestre, poupei o treinador Muricy Ramalho de críticas mais contundentes, porque ele não tinha material humano; mas agora ele tem. Cabe ao comandante técnico com um histórico vencedor, dar padrão a essa equipe.  Se naquele momento, Muricy Ramalho não podia ser cobrado, hoje a cobrança tem de ser efetivamente no comandante técnico do time.


FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA 3 X 1 SANTOS
Local: Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data/Hora: 17/2/2013 - 18h30
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Renda/Público:  R$ 318.547,00 / 11.747 pagantes
Cartões amarelos: Bruno Silva e Edson Bastos (PON); Bruno Peres e Edu Dracena (SAN)
Cartões vermelhos: Artur, aos 46'/1ºT (PON); Neymar, aos 46'/1ºT (SAN)
GOLS: Bruno Silva, aos 11'/1ºT (1-0); Alemão, aos 36'/2ºT (2-0); André, aos 41'/2ºT (2-1) e Alemão, aos 47'/2ºT (3-1)

PONTE PRETA: Edson Bastos; Artur, Cleber, Ferron e Uendel; Baraka, Bruno Silva, Cicinho e Diego Rosa (Memo, 39'/2ºT); Ramírez (Wellington Bruno, 25'/2ºT) e Willian (Alemão, 31'/2ºT). Técnico: Guto Ferreira.
SANTOS: Rafael; Bruno Peres, Edu Dracena, Durval e Léo; Renê Júnior (André, Intervalo), Marcos Assunção, Arouca, Montillo (Felipe Anderson, 27'/2ºT) e Cícero (Patito Rodríguez, 35'/2ºT); Neymar. Técnico: Muricy Ramalho.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

Rafael: Fez uma belíssima defesa em cobrir seus companheiros no segundo tempo, mas falhou no terceiro gol da Ponte – 5,0
Bruno Peres: Peca demais no último passe – 4,5
Edu Dracena: Precisa de ritmo. O melhor da defesa – 5,5
Durval: Falhou no primeiro gol – 4,5
Léo: Limitou-se a proteger bem a defesa do lado esquerdo. Não apoiou – 5,5
Renê Júnior: Marcava muito bem a frente da defesa. Mal substituído – 6,0
(André): Saiu do jejum – 6,0
Marcos Assunção: Deixa o meio-campo mais lento. Vive apenas da bola parada – 4,5
Arouca: Sacrificado no esquema – 5,0 
Montillo: Ainda não estreou pelo Santos – 4,5
(Felipe Anderson): Deu mais juventude e velocidade ao time – 6,0
Cícero: Discreto – 5,0
(Patito Rodríguez): Tentou dar mais velocidade ao ataque – 5,5
Neymar: Expulso. Enquanto esteve em campo, tentou sozinho fazer algo – 5,0
Técnico Muricy Ramalho: Precisava de material humano e a diretoria deu. Tem que ser cobrado – 4,0



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by