FOTO CAPA

ATRAVESSOU O SAMBA

Foto: Neymar em tarde pouco inspirada.
O Peixe atravessou o samba, a harmonia não foi compatível com o enredo e o time de Muricy Ramalho perdeu a invencibilidade e a liderança do Estadual ao cair para o Paulista de Jundiaí por 3 a 1 no Estádio do Pacaembu para a decepção dos 20 mil santistas presentes.

A chuva torrencial que castigou o gramado, pouco antes da partida, atrapalhou o toque de bola do clube praiano, mas não justifica o futebol econômico do até então líder da competição.

O time de Jundiaí bem dirigido pelo técnico vice-campeão paulista pelo Santos, Giba, fez duas linhas de quatro e com Marcos Assunção que reestrava na vaga de Renê Júnior, o time santista só conseguia chegar nas bolas paradas na primeira etapa. Edu Dracena depois de longa data, em razão de cirurgia no joelho, retornava ao futebol e logo de cara em um campo pesado. Os clubes desceram para o intervalo com a igualdade sem gols.

Mas o pior ainda estava por vir. Sabedor que a principalmente deficiência santista é a lateral-esquerda, Giba espetou Cassiano nas costas de Guilherme Santos e por ali foi a "passarela do samba" para o clube do interior. Daí em diante o que se viu foi um festival de horrores.

Com o resultado, o Santos teve até a vice-liderança ameaçada. Pra sorte da coletividade praiana, o Penapolense do ex-gerente da base santista, Paulo Carvalho, que faz brilhante campanha tropeçou em casa e apenas empatou com o Sorocaba.

Sem disputar a Libertadores, o Peixe folga no meio de semana. No próximo domingo (17), o alvinegro volta a jogar fora de casa, e tenta retomar a liderança contra a Ponte Preta, novo primeiro colocado do estadual.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 3 PAULISTA
Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/ hora: 10/2/2013 - 17h
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho (SP)
Assistentes: Fabricio Porfirio de Moura e Claudenir Donizeti Gonçalves
Renda/público: R$ 652.560/ 18.381 pagantes
Cartões amarelos: Lázaro e Chiquinho (PAU); Neymar (SAN)
Cartões vermelhos: Matheus (PAU)
GOLS: Marcelo Macedo 6'/2T (0-1); Rodolfo Testoni 39'/2T (0-2); Cassiano Bodini (0-3); Neymar 47'/2T (1-3)
SANTOS: Rafael; Bruno Peres (André 28'/2T), Edu Dracena, Durval, Guilherme Santos (Felipe Anderson 11'/2T), Arouca, Marcos Assunção, Cícero, Montillo (Patito 36'/2T), Miralles, e Neymar. Técnico: Muricy Ramalho
PAULISTA: Richard; Thales, Lázaro, Dráusio, Rodolfo, Matheus, Kasado, Renato Ribeiro, Chiquinho, Cassiano Bodini (Flávio 42'/2T) e Marcelo Macedo (João henrique 32'/2T). Técnico: Giba.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS:

Rafael: Impediu um vexame maior no primeiro tempo. Se adiantou muito na falta do segundo gol adversário - 6,0
Bruno Peres: Melhorou, mas ainda longe do lateral que chamou a atenção no semestre passado - 5,5
(André): Deu a assistência para o gol de honra de Neymar - 5,5
Edu Dracena: Liderança nata e ótimo na bola aérea. Precisa de ritmo -6,0
Durval: Será que o contrato dele impede dividir? Não conseguiu cobrir a fragilidade da lateral-esquerda - 5,0
Guilherme Santos: Qualidade técnica duvidosa e extremamente sem confiança. Tarde para ser esquecida -3,5
(Felipe Anderson): Foi pro sacrifício na lateral. A marcação não é seu forte - 5,0
Arouca: Há muito tempo não é primeiro volante. Sobrecarregado no esquema, pois era o único marcador -5,5
Marcos Assunção: A bola parada do Santos tende a melhorar. Só fez sombra, não peça marcação impiedosa dele, porque não terá mais - 5,0
Cícero: Rendeu mais como o lateral-esquerdo -5,0
Montillo: Ainda não é o do Cruzeiro/MG - 5,0
(Patito): Apesar de inconstância, devia ter entrado antes. Jogou pouco, mas foi bem pela esquerda -6,5
Miralles: Teve apenas uma chance no primeiro tempo. Voluntarioso - 5,5
Neymar: Muito abaixo da sua capacidade. Deixou o seu e voltou a artilharia isolada do Campeonato com seis gols - 5,5
Técnico Muricy Ramalho: Demorou para mexer no time. Mexeu muito no meio para escalar Marcos Assunção - 4,0



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by