FOTO CAPA

INEXPLICÁVEL

Publicado à 01:57 desta quinta-feira, 07 de julho de 2022


(*) Por Pedro La Rocca

Nesta quarta-feira (6), o Santos, de forma vergonhosa, perde nos penâltis para o Deportivo Táchira e está eliminado da Copa Sul-Americana. O jogo terminou em 1x1, Uribe abriu o placar e Marcos Leonardo empatou. Nos pênaltis, 4x2 a favor dos visitantes.

O Bustos, com excessão de Felipe Jonathan, Auro, Madson e Léo Baptistão, tinha o elenco completo para a partida e entrou com força máxima, de acordo com o que tinha a disposição. O Peixe precisava de uma vitória simples para avançar de fase na copa, porém repetiu o placar do jogo de ida, levando o confronto aos pênaltis, onde foi confirmada a derrota do Alvinegro.

O jogo já começa com a bola sendo entregue ao adversário, permanecendo o jogo reativo, que o Bustos adora. O Peixe até conseguia chegar no campo de ataque, pela inferioridade técnica do adversário, mas levava pouco perigo ao gol adversário. Precisava caprichar mais em todos os aspectos. 

A partir daí, o jogo muda. O Peixe recua, se torna reativo, algo que o Bustos gosta muito. Porém, quando novamente a oportunidade de ter a bola apareceu, o Peixe a desprezou e entregou de bandeja, um contra-ataque, onde Uribe sai cara a cara com João Paulo, a bola faz um bate-rebate e entra. Um gol aos 27 minutos da primeira etapa complicaria e muito a vida do Alvinegro.

E não foi diferente. Um resto de primeiro tempo péssimo do Santos, o time nervoso com o resultado negativo, a marcação permanecendo em bloco baixo (mesmo perdendo) e sem criar chances de ataque (zero grandes chances criadas).

Nos acréscimos, após mais um contra-ataque cedido pela equipe Santista, Fernández, sendo o último homem de linha do Peixe, faz falta e toma cartão vermelho. Se com desvantagem no placar, jogando mal com 11 jogadores, com 10 em campo a atuação poderia piorar, e muito.

O segundo tempo começa com o Peixe mantendo a mesma postura, quem ficava com a bola era o adversário. Só no início da segunda etapa, os visitantes criaram mais chances do que o Peixe na primeira etapa toda.

Com a obrigação de ser ofensivo, o Bustos promove mudanças. Rwan entra no lugar do Kaiky, um atacante no lugar de um zagueiro (que atuou na lateral-direita). No mesmo momento, Sandry no lugar do Bruno Oliveira, veio no mesmo momento.

Logo após, Lucas Barbosa entrou no lugar do Ângelo e, oito minutos depois, Sánchez entrou no lugar do Zanocelo. Com as quatro mudanças, a postura sequer mudou, o adversário seguia no campo defensivo do Peixe. Porém o Santos teve seu lampejo e conseguiu o empate.

Aos 24 minutos, Lucas Barbosa tem a bola na ponta-direita, cruza para Sánchez que cabeceia para Marcos Leonardo empurrar para dentro da rede. A esperança era de mudança na postura do Santos, porque a qualidade adversária era muito inferior e principalmente depois do empate, um time mais ofensivo era esperado.

Mas não aconteceu, quem ficou mais perto do segundo gol, foi o rival, que por muitas vezes pecou na finalização, ou o gol foi muito bem protegido pelo João Paulo. Em todas as oportunidades de sair ao ataque, o Peixe errou diversos passes. Com o fim do jogo empatado, pênaltis à vista.

Carlos Sánchez e Sandry converteram as suas cobranças, enquanto Lucas Barbosa e Goulart perderam suas penalidades. O adversário converteu todas as cobranças (quatro). Com a derrota nos pênaltis, o Peixe está eliminado da Copa Sul-Americana.

Que o Santos tem elenco limitado, é fato, porém pode apresentar um futebol muito melhor. O futebol apresentado neste jogo de volta foi sofrível. Mais uma vez o Bustos apresnta muita teimosia na escalação e nas substituições.

O resultado só mostrou que o time não evoluí. O adversário possuía qualidade técnica muito questionável, a obrigação do Santos, não era apenas fazer o resultado para classificar, mas também uma atuação muito mais qualitativa. Outro fato, o psicológico da equipe está claramente abalado. Algumas tomadas de decisão muito equivocadas.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 (2) X (4) 1 DEPORTIVO TÁCHIRA-VEN

Competição: Copa Sul-Americana, oitavas de final

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)

Data: 6 de julho de 2022, quarta-feira

Árbitro: Kevin Ortega (PER)

GOLS: Marcos Leonardo, aos 25 do 2ºT (Santos); Uribe, aos 26 do 1ºT (Táchira)

SANTOS: João Paulo, Kaiky (Rwan), Luiz Felipe, Bauermann, Lucas Pires (Goulart), Rodrigo Fernández, Zanocelo (Sánchez), Bruno Oliveira (Sandry), Ângelo (Lucas Barbosa), Marcos Leonardo e Lucas Braga.
Técnico: Fábian Bustos

D. TÁCHIRA: Varela; Restrepo, Marrufo, Ariano e Pablo Camacho; Garcés, Francisco Flores; Cova, Hernández (Figueroa); Uribe (Simisterra) e Chacón (Arace)
Técnico: Álex Pallarés
Camisa nove marcou o gol de empate

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

João Paulo - Sem culpa no gol. Apesar de não pegar nenhum pênalti, salvou o Santos no tempo normal. - 5,5

Kaiky - Inseguro na sua posição de origem, fora dela muito mais. Partida ruim do garoto. - 4,0

Luiz Felipe - Apesar da falta de ritmo, foi razoável. - 5,5

Bauermann - Seu futebol cai muito na ausência do Maicon. - 5,0

Lucas Pires - Até chegava bem no ataque, mas sem objetividade. - 5,0

Fernández - Foi justamente expulso e não estava bem no jogo. - 3,5

Zanocelo - Mal na marcação e no ataque muito estático. - 4,0

Bruno Oliveira - Estava bem em jogo, porém tinha poucas opções de passe. - 5,5

Ângelo - Ainda peca nas tomadas de decisão. - 5,0

Lucas Braga - Estava bem, até ser deslocado à lateral. - 5,5

Marcos Leonardo - Fez o gol de empate. É um camisa nove nato, porém pela ausência de jogadores no ataque, vinha buscar muito a bola. - 5,5

Rwan - Mais uma vez escalado de forma errada. - 4,5

Sandry - Apesar do pênalti perdido, pouco tocou na bola. - 5,0

Lucas Barbosa - Marcou mais do que atacou. Deu bom cruzamento para Sánchez no gol de empate. - 5,0

Sánchez - Com ritmo, sua qualidade técnica aumenta muito. - 5,5

Goulart - Entrou só para bater o pênalti. - SEM NOTA

(*) Pedro La Rocca - Estudante de jornalismo e comentarista na Web Rádio Piabanha 



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by