FOTO CAPA

FAÇA SUA APOSTA

Publicado às desta sexta-feira, 8 de julho de 2022.

O momento é de reflexão e análise na Vila Belmiro, após insucessos recentes no futebol e o esvaziamento do departamento profissional, o presidente Rueda e o Comitê Gestor buscam soluções para os problemas do clube e deve começar pela direção executiva, para depois pensar na reconstrução da comissão técnica.

A direção do clube não dá pistas a opinião pública dos nomes e perfis que estão no radar. 

Especula-se que curriculum de pessoas que já tiveram passado vitorioso dentro do clube possam estar entre os possíveis candidatos ao cargo. Entre os exemplos citados estão Emerson Leão, Nei Pandolfo, Dagoberto Santos e Alexandre Gallo. 

Enquanto o nome para substituir Edu Dracena não é contratado, muito menos o sucessor do demitido treinador Fábian Bustos, o time volta a campo diante do Atlético-GO, domingo (10), na Vila Belmiro. O alvinegro da Vila não vence há seis jogos como mandante e nas últimas 13 partidas, o Glorioso praiano venceu apenas uma, o Juventude, fora de casa.

Sobre os possíveis nomes que já passaram pela Vila em diversas funções, vamos as conquistas e o que pesa a favor de cada um deles:

Emerson Leão: Perfil de comando, sabe trabalhar com jogadores revelados na base do clube, porém, pesa contra a sua autenticidade. O que era para ser uma qualidade, infelizmente, nos dias atuais soa como um problema para dirigentes deste país. Montou o time que resgatou as conquistas do clube em 2002 revelando Diego, Robinho e Cia.

Dagoberto Santos: Último dirigente a conquistar títulos pelo clube com os estaduais de 2015 e 2016. Atualmente trabalha como Secretário Nacional do futebol no governo federal.

Alexandre Gallo: Liderança nata desde os tempos de jogador. Vice-campeão Brasileiro pelo Santos, em 1995. Tem bom trânsito na CBF, quando foi treinador da Seleção Brasileira sub-20 e remontou a base da entidade que conquistou inúmeros títulos nas diversas categorias entre 2013 e 2015. Foi treinador da seleção olímpica e desenhou todo ciclo que ganhou o ouro no Brasil, em 2016. Deixou a função 11 meses antes e foi substituído por Micale.

Gallo exerceu a função de Executivo de futebol, num período difícil do Atlético-MG, em 2018. Mostrou criatividade e sem dinheiro, montou time competitivo, classificando o clube para a Libertadores da América, com um sexto lugar no Brasileiro daquela temporada.

Foi o responsável por contratar junto a Ponte Preta, o lateral-direito Emerson Royal, hoje no Tottenham-ING, por R$ 5 Milhões de reais e faturar na venda do jogador 12 milhões de euros, hoje, aproximadamente R$ 72 milhões de reais. Recuperou o futebol de Roger Guedes, hoje no Corinthians, e que deu aos cofres do clube mineiro, outros 10 milhões de euros (R$ 60 milhões).

Nei Pandolfo: Jogou no Peixe em 92. Foi auxiliar técnico nas conquistas vitoriosas do títulos paulista de 2006/07. Era pessoa da confiança de Vanderlei Luxemburgo. 

Voltou ao Santos como gerente de futebol e neste século, na função exercida, foi quem mais venceu, num período de momentos memoráveis da era Neymar, sendo campeão da Libertadores em 2011, Recopa Sul-Americana em 2012 e paulista em 2010 e 2011.   


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by