FOTO CAPA

110 ANOS DA MAIS BELA PÁGINA QUE O FUTEBOL CONSTRUIU

Publicado nesta quinta-feira, 14 de abril de 2022.

Neste 14 de abril, o Santos completa 110 anos, da mais bela página que o futebol construiu. Em 1912, surgiu aquele que seria o maior clube do Mundo. O planeta conheceria, principalmente entre o fim dos anos 50 e começo dos anos 70, a essência do melhor futebol já visto no Universo.

De todos os motivos de orgulho que um clube de futebol já deu foi ter parado duas guerras (a do Congo e a de Biafra, na Nigéria, no fim dos anos 60) ambas foram interrompidas para que a população desses países pudessem ver Pelé & Cia.

O esquadrão bi-campeão mundial 62/63. Não existe nada parecido.

E o mais curioso nessa caminhada, já mais do que centenária é que o Santos é o único dos grandes do futebol brasileiro e um dos poucos do futebol mundial, que não está em uma capital. Sofre demais por isso. A mídia paulistana, por exemplo, em grande quantidade, discrimina o clube e o trata como o "patinho feio", muitas vezes desmoralizando-o e relegando-o a um patamar longe da sua representatividade.

Porém, a nobreza e a grandeza do glorioso praiano supera qualquer discriminação e principalmente despeito.

O Alvinegro da Vila Belmiro é gigante porque a divindade quis assim e colocou nesta rota Pelé, Giovanni, Robinho, Neymar, Rodrygo e tantos outros; e o raio vai continuar caindo no templo sagrado do futebol.

Vila Belmiro, o templo sagrado do futebol.

Foram 102 títulos conquistados nesse período, entre eles 22 estaduais, oito brasileiros, uma Copa do Brasil, uma Copa Conmebol, uma Recopa Sul-americana, além das três libertadores (que o clube não venceu mais pois desistiu de disputa-la por alguns anos) e dois mundiais.

Torcer para o Santos, como diz o hino "é um orgulho que nem todos podem ter", jogue onde jogar.

Parabéns Santos Futebol Clube, por mais um ano de existência. 

Os dias atuais não são dos melhores. Maltrataram muito a instituição ao longo dos anos. Frutos de péssimas gestões. Mas o alvinegro tem capacidade para se reinventar.

O Peixe é uma das, se não o grande amor da minha vida. O primeiro, com certeza.

Como repórter, comentarista e torcedor já vivi e viverei outros momentos inenarráveis.

Vida longa ao Embaixador do Mundo!


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by