FOTO CAPA

QUATRO JOGOS SEM VENCER NO ESTADUAL

Publicado às 10h58 desta segunda-feira, 14 de Março de 2022.

O Santos completou sua quarta parida seguida sem vitória no Paulistão (Mirassol, São Paulo, Novorizontino, os jogos anteriores). O alvinegro perdeu seu segundo clássico seguido ao ser batido pelo Palmeiras por 1 a 0, na noite deste domingo (13), no Allianz Parque, com um gol de pênalti cobrado por Raphael Veiga. 

Com o resultado, o time de Fábian Bustos estacionou na terceira colocação da chave D, com 10, atrás de Santo André (12) e Red Bull Bragantino (19). O Peixe, aliás, segue ameaçado pelo rebaixamento, com apenas dois pontos a mais que a Ponte Preta, porém, com um jogo a menos. 

Conforme informamos na LIVE-PRÉ-JOGO em nosso canal no youtube na manhã deste domingo (13), o argentino que comandou o Santos, apenas pela segunda vez, promoveu diversas mudanças no time, para privilegiar a defesa e tentar o contra-ataque. Velázquez reapareceu na zaga central; Kaiky virou volante; Goulart pela primeira vez desde o início entrou de centroavante. 

Empurrados por 38 mil pessoas, os donos casa iniciaram a primeira etapa propondo jogo. Depois do Palmeiras desperdiçar muitas chances, o Santos só atacou pela primeira vez no jogo aos 28 minutos. Lucas Barbosa foi acionado pela direita e cruzou na medida para Goulart, que acertou a trave.

Nos acréscimos da primeira etapa, o goleiro João Paulo espalmou, após cobrança de escanteio que ele mandou para fora da área, o Palmeiras aproveitou o rebote com Zé Rafael que chutou forte e o camisa 34 fez grande defesa, mas, na sequência, Velázquez cometeu pênalti em Kuscevic e acabou sendo expulso. Na cobrança, Raphael Veiga não perdoou e abriu o placar no Allianz.

Na volta do intervalo, Bustos trocou Sandry e Ângelo por Lucas Braga e Camacho. O Palmeiras seguiu perdendo inúmeras oportunidades para ampliar o marcador. 

O time da Vila, com um jogador a menos voltou a ter chances apenas no 'apagar das luzes'. Uma aos 45, em chute de longe de Pirani que obrigou Weverton a espalmar para escanteio e outra, após cruzamento de Lucas Pires e cabeçada de Lucas Barbosa para fora.

A diferença técnica entre as equipes é enorme. O Santos se preocupou em marcar o rival e até melhorou neste quesito em relação a outros jogos. Porém, o contra-ataque não funcionou. 

Agora não é menos verdade que é vergonhosa a situação do clube na competição, onde no geral, é o primeiro time de fora da zona de rebaixamento com apenas duas vitórias em dez jogos e míseros 10 pontos (33% de aproveitamento). Isso é inadmissível.

Perguntei ao técnico Bustos na coletiva, se ele preferia ter três semanas para treinar o time para o Brasileiro, caso a classificação não aconteça (o alvinegro está dois pontos atrás do Santo André, entretanto, tem um jogo a menos) ou se ele acreditava que com uma classificação, os seus comandados poderiam seguir mais longe no torneio, pois essa é a encruzilhada que o time está nesse instante. Só não está em situação pior, porque a Ponte Preta conseguiu fazer um campeonato ainda mais ridículo que o Santos.

Quarta-feira (16), o Peixe tem uma partida decisiva diante da Ferroviária. Para se livrar matematicamente do rebaixamento e não depender de ninguém precisa de mais dois pontos. Para se classificar precisa de dois vitórias nos dois jogos que lhe restam na fase de classificação.


FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 1 x 0 SANTOS

Allianz Parque - São Paulo

Árbitro: Raphael Claus

Cartões amarelos: Marcos Rocha e Deyverson (PAL); Auro, Velázquez e Lucas Pires (SFC)

Cartão vermelho: Velázquez (SFC)

GOL: Raphael Veiga, aos 48min do 1ºT 

PALMEIRASWeverton; Mayke (Marcos Rocha), Kuscevic, Gómez e Jorge; Jailson, Zé Rafael (Wesley), Raphael Veiga (Deyverson) e Gustavo Scarpa (Atuesta); Dudu e Rony (Navarro).Técnico: Abel Ferreira

SANTOSJoão Paulo, Auro (Pirani), Kaiky, Bauermann, Velázquez e Lucas Pires; Sandry (Camacho) e Zanocelo (Balieiro); Ângelo (Lucas Braga), Goulart (Marcos Leonardo), e Lucas Barbosa. Técnico: Fabián Bustos

Raphael Veiga marcou o único gol do jogo.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

João Paulo: No lance do pênalti, fiquei com a sensação de que o camisa 34 podia ter pego a bola e não rebatido. Na sequência do lance fez linda defesa em chute de Zé Rafael. O Palmeiras só não fez o segundo gol, muito em razão de suas intervenções debaixo dos três paus. - 6,0

Auro: Dudu fez a festa na primeira etapa por este lado. Melhorou sua performance na segunda etapa com a colaboração do incansável Lucas Barbosa que voltou para auxiliar na marcação. - 5,0

(Pirani): Boa finalização de fora da área. Jogou pouco mais de cinco minutos. - SEM NOTA

Kaiky: Iniciou na cabeça da área. Com a expulsão de Velázquez teve que recuar. Não comprometeu. - 5,0

Bauermann: Também não é um zagueiro rápido. Quando tem de sair da área sofre com isso. Apesar de ter sido o melhor defensor santista na temporada até aqui, não vem bem há no mínimo três partidas. - 4,5

Velázquez: Acertou a cabeça de Rony ao errar um passe. Fez pênalti e foi expulso, em seguida. Tem sérias dificuldades com a bola nos pés. Quando critiquei as atuações do uruguaio e alertei sobre a sua lentidão, fui defenestrado em redes sociais. O tempo mostra tudo. - 3,5

Lucas Pires: A exemplo de Auro, precisou do auxílio de Lucas Barbosa para parar Dudu que revezava com Scarpa, o lado que atacava. Tem amadurecido bastante. É bom jogador, mas ainda peca na marcação. - 5,0

Sandry: Ainda não reeditou as partidas do ano passado. Substituído no intervalo. - 5,0

(Camacho): Entrou para melhorar o passe e não teve êxito. - 5,0

Zanocelo: Na marcação deixa muito a desejar. No segundo tempo, pouco apareceu no jogo. Era dele que se esperava a ligação para Goulart no contra-ataque. Não aconteceu. - 5,0

(Balieiro): Jogou pouco tempo. Entrou no meio-campo e depois foi para a lateral. - SEM NOTA

Ângelo: Jogou pelo lado oposto a qual está acostumado, o esquerdo, pois Lucas Barbosa entrou para auxiliar Auro na marcação pela direita. Poucas vezes pegou na bola e em quase todas não deu sequência a jogada. - 4,5

(Lucas Braga): Entrou no intervalo para dar profundidade ao time pelo lado esquerdo. Pouco foi acionado. Ajudou na marcação do seu lado. - 5,0

Goulart: Houve revezamento de faltas dos palmeirenses em cima do camisa 10 e a arbitragem não puniu. O mais lúcido santista no jogo. Acertou a trave em cabeçada na primeira etapa. - 6,5

(Marcos Leonardo): Não finalizou a gol. Também, não é menos verdade, que a bola não chegou. - 5,0

Lucas Barbosa: Importantíssimo na parte tática. O único que conseguiu marcar Dudu na dobra de marcações pelos dois lados. Quando Dudu trocava por onde atacava, lá ia o camisa 21 auxiliar. Depois de Goulart, o melhor santista da partida. - 6,0

Técnico: Fabián Bustos: Acertou em fechar a 'casinha' e optar por marcar o atual bi-campeão continental. Só não contava com dois chutes nas cabeças adversárias do uruguaio Velázquez. O time em momento algum teve contra-ataque. - 5,5


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by