FOTO CAPA

RESULTADO MELHOR QUE O DESEMPENHO, MAS O QUE VALERAM FORAM OS TRÊS PONTOS

Publicado às 11h desta quinta-feira, 18 de novembro de 2021.

O Santos não jogou bem, mas fez o que se esperava dele. Venceu a Chapecoense por 2 a 0, na noite desta quarta-feira (18), em Vila Belmiro, e se afasta cada vez mais da 'zona da confusão' na luta pela sua manutenção na série A, Com o resultado e os demais jogos da rodada, o alvinegro ocupa a 11a. colocação da competição com 42 pontos.

Sem Kaiky suspenso, Carille confirmou Pará improvisado entre os três zagueiros. No ataque Marinho e Tardelli retornaram e Marcos Guilherme foi para a ala esquerda com Camacho reassumido a titularidade no meio-campo.

Com a necessidade de propor jogo, o Peixe teve muitas dificuldades. A Chapecoense, lanterna do campeonato, jogava melhor. Porém, Marinho sofreu pênalti na entrada da área. O próprio camisa 11 bateu e converteu. Foi o primeiro chute ao gol do Santos na primeira etapa, até então. 

Como não existe nada ruim que não possa piorar, Marinho sentiu dores musculares na posterior da coxa e deixou o gramado aos 36 minutos da primeira etapa. O 'carne seca' não deve enfrentar o Corinthians na próxima rodada.

Para a segunda etapa, Carille sacou Camacho e colocou Pirani. Ainda assim, os catarinenses seguiram melhor, mas pararam nas boas defesas de João Paulo.

Quando o jogo se aproximava do fim, Pirani recebeu de Raniel que havia entrado na segunda etapa e cruzou, Marcos Guilherme empurrou para o fundo das redes e sacramentou o resultado. O camisa 23 ainda colocou uma bola no travessão no lance seguinte.

Foi frustrante e bem abaixo do que se esperava a apresentação do Santos, uma das piores do time na competição, mas valeu pelos três pontos para sair dessa incômoda posição e seguir na batalha dos pontos necessários para se manter na elite do futebol brasileiro.


FICHA TÉCNICA

SANTOS 2 X 0 CHAPECOENSE

Estádio da Vila Belmiro - Santos (SP)

Árbitro: Paulo Cesar Zanovelli da Silva (MG)

GOLS: Marinho, 26’/1ºT (1-0) e Marcos Guilherme, 38’/2ºT (2-0)

Cartões amarelos: Ângelo (SFC), Jordan e Busanello (CHA)

Público: 11.574 pessoas

Renda: R$ 232.400,00

SANTOS: João Paulo; Pará (Wagner Palha, aos 26’/2ºT), Luiz Felipe e Boza; Madson (Moraes, aos 43’/2ºT), Camacho (Pirani, no intervalo), Zanocelo, Felipe Jonatan e Marcos Guilherme; Tardelli (Raniel, aos 26’/2ºT) e Marinho (Ângelo, aos 36’/1ºT). Técnico: Fábio Carille 

CHAPECOENSE: João Paulo, Ezequiel, Laércio, Jordan e Busanello (Marquinho, aos 27’/2ºT); Moisés Ribeiro (Alan Santos, 27’/2ºT), Anderson Leite e Denner (Lima, aos 10’/2ºT); Mike (Geuvânio, aos 14’/2ºT), Kaio Nunes (Bruno Silva, aos 14’/2ºT) e Henrique Almeida. Técnico: Felipe Endres

João Paulo voltou a fazer ótimas defesas e salvar o Santos.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

João Paulo: Ao lado de Marinho, o maior valor individual da partida. - 7,0

Pará: Improvisado, com o diz meu amigo, o empresário do ramo de automóveis - Alan Otacílio, fez o arroz com feijão bem temperado. Não comprometeu. - 6,0

(Wagner Palha): Jogou 25 minutos. Rebateu quando precisava. - 5,5

Luiz Felipe: Bem na bola área. Seu forte. - 6,0

Boza: Não comprometeu. Defesa nos últimos seis jogos só levou gol do Palmeiras. - 6,0

Madson: Pouco apoiou. - 5,5

(Moraes): Jogou menos de cinco minutos. - SEM NOTA

Camacho: Visivelmente sem ritmo. - 5,0

(Pirani):

Zanocelo: Limitou-se a desarmes. Não conseguiu armar. - 5,5

Felipe Jonatan: Com a escalação de Carille diferente, sem Pirani para armar, começou de meia-esquerda. Não repetiu os últimos bons jogos em uma posição nova. Suas melhores aparições na partida foram nos desarmes e depois quando foi para a lateral esquerda. - 6,0

Marcos Guilherme: Estava sumido, apesar de se doar bastante correndo o tempo todo, até marcar seu gol. Colocou uma bola no travessão no final. - 6,5

Tardelli: Apagado. Nem quando recompunha para ajudar o meio, apareceu no jogo. - 5,0

(Raniel): Muita entrega. Pouco futebol. Notado no passe que deu para Pirani cruzar e Marcos Guilherme marcar. - 5,0

Marinho: Conseguiu mesmo de costas sofrer uma penalidade máxima que ele mesmo bateu. Um desafogo. Minutos depois deixou o campo lesionado e não enfrenta o Corinthians, no domingo (21). - 7,0

(Ângelo): Não reeditou o bom futebol do jogo contra o Red Bull Bragantino, semana passada. Tomadas de decisões equivocadas. - 4,5

Técnico: Fábio Carille: O Santos tem problemas gritantes inclusive táticos. Mas sorte do que juízo neste jogo. Marcou mal, não conseguiu propor jogo contra o lanterna e rebaixada Chapecoense. - 5,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by