FOTO CAPA

SÉTIMA DERROTA COMO VISITANTE

Publicado às 01h00 desta quinta-feira, 14 de outubro de 2021.

O Santos saiu na frente, mas tomou a virada para o Atlético-MG por 3 a 1, na noite desta quarta-feira (13) em Belo Horizonte. Com o resultado, o alvinegro da Vila permanece na última colocação, antes da zona de rebaixamento, ou seja a 16a. colocação. Se o Sport-PE, vencer nesta quinta-feira (14), o Cuiabá, no Mato Grosso, o Peixe entra novamente no Z-4.

O técnico Fábio Carille manteve a trinca de zagueiros e os alas com jogadores de ataque. A única modificação em relação ao jogo passado foi a entrada de Jean Mota na vaga de Sánchez suspenso.

O primeiro tempo do time santista foi bastante seguro na parte defensiva, porém, não conseguia encaixar os contragolpes.

Na segunda etapa, logo no início, Lucas Braga fez grande jogada e a bola foi parar em um dos pés de Raniel. O camisa 12 que havia entrada na vaga de Baptistão, que deixou o gramado lesionado e será reavaliado pelo departamento médico do Santos, batou forte a abriu o marcador para o time da baixada.

O líder da competição foi todo para o ataque e o técnico Cuca colocou Calebe e Nacho. Os dois mudaram o panorama da partida e contaram com falhas individuais dos defensores santistas.

Em seis minutos, o time da casa virou o jogo. Primeiro com um pênalti de Lucas Braga na pequena área e depois numa cobrança de falta e nova falha na bola área. Cinco minutos depois, Velazquez fez outro pênalti e Nacho novamente cobrou e após defesa de João Paulo colocou números finais na partida.

Como visitante, o Santos jogou 13 vezes. Tem a segunda pior campanha com apenas uma vitória, cinco empates e sete derrotas, ou seja, são oito pontos em 39 disputados.

O Santos volta a campo no fim de semana, em Recife, diante do Sport. Ambos lutam desesperadamente para deixarem a zona da confusão.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 3 X 1 SANTOS

Estádio do Mineirão

Àrbitro – Paulo Roberto Alves (PR).

GOLS – Raniel aos três, Nacho aos 24, Nathan Silva aos 29, Nacho aos 35 minutos do segundo tempo.

Público e renda:  16.514 espectadores /R$ 495.619,00.

cartões amarelos – Raniel, Pará, Wagner Leonardo e Jean Motta (SFC) e Dodô (ATL).

ATLÉTICO-MG – Everson; Mariano (Calebe), Nathan Silva, Rever e Dodô; Allan, Jair (Tchê Tchê) e Zaracho; Dylan Borrero (Nacho), Keno (Igor Rabello) e Diego Costa (Sasha). Técnico: Cuca.

SANTOS – João Paulo; Vinícius Balieiro (Diego Tardelli), Velázquez e Wagner Leonardo; Marcos Guilherme (Madson), Camacho, Vinícius Zanocelo, Jean Mota (Gabriel Pirani) e Lucas Braga; Marinho e Léo Baptistão (Raniel). Técnico: Fabio Carille.

O Santos volta a campo, domingo, em Recife diante do Sport.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS


João Paulo:
O melhor goleiro do Brasileirão. Fez grandes defesas. Sem culpa na derrota. - 6,5

Vinícius Balieiro: Jogando fora de posição, não tem o mesmo rendimento. - 5,0

(Diego Tardelli): No meu entender, demorou para entrar. - SEM NOTA

Velázquez: Foi para a bola com o pé de apoio quando cometeu um pênalti infantil no atacante Calebe. - 5,0

Wagner Leonardo: Falhou no segundo gol sofrido pelo Peixe. Ainda não reeditou uma sequência boa, como tinha acontecido no Naútico. - 4,5

Marcos Guilherme: Não atacou e na defesa tem dificuldades na marcação, apesar de não ter comprometido. - 5,0

(Madson): Ainda longe de forma física ideal. Não entrou bem. - 5,0

Camacho: Distribuiu o jogo. Ficou órfão na marcação solitária quando o Atlético veio para cima. - 5,5

Vinícius Zanocelo: Falta uma maior consistência na colaboração de armação de jogadas. - 5,0

Jean Mota: Não foi brilhante, erros algumas bolas paradas, mas teve alguns momentos bons no jogo. - 5,5

(Gabriel Pirani): Entrou no jogo em um momento em que o Santos se desconcentrou e levou a virada. Jogou pouco tempo. - 5,0

Lucas Braga: Só não teve uma nota mais elevada, porque cometeu o primeiro pênalti que deu o gol de empate. Fez grande jogada para o gol de Raniel. - 6,0

Marinho: Foi mais assistente de lateral do que um atacante. Empenho não faltou, entretanto, não chamou o jogo para si, tampouco tentou levar o time a frente nos contra-ataques. - 5,0

Léo Baptistão: Jogou poucos minutos e se lesionou. Passará por nova avaliação e exames para saber a gravidade da contusão na panturrilha. - SEM NOTA

(Raniel): Bonito gol de fora da área. Ainda requer uma melhor composição de ritmo de jogo. - 6,0

Técnico: Fabio Carille:  O esquema funcionou no esquema tático, porém, falhas individuais, culminaram com os gols sofridos. O time tem dificuldade de contra-atacar. - 5,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by