FOTO CAPA

NOVE JOGOS SEM VENCER E UM GOL NAS ÚLTIMAS SEIS PARTIDAS

Publicado às 11h deste domingo, 19 de setembro de 2021.

O Santos completou nove jogos sem vitória ao empatar em 0 a 0 diante do Ceará, no Estádio Castelão em Fortaleza, na noite deste sábado (18), em partida válida pela 21a. rodada do Campeonato Brasileiro. Na competição de pontos corridos o jejum é de sete partidas. 

Com o ponto conquistado no nordeste, o Peixe agora tem 24, e está apenas três acima do América-MG, time que abre a zona da degola e que enfrenta o Corinthians neste domingo (19). O empate também foi ruim para os donos da casa, que acumulam seis jogos sem vitória.

Foi terceiro jogo que o time foi dirigido por Fábio Carille. Com ele, o alvinegro ainda não venceu e a equipe não marcou gols. Além do 0 a 0 deste sábado (18), o treinador que substituiu Fernando Diniz coleciona um empate com o Bahia (0 a 0) e um revés para o Athletico Paranaense na queda na Copa do Brasil (1 a 0), no meio de semana.

O empate demonstra bem as dificuldades do time fora de casa. No Campeonato Brasileiro, o Santos só conseguiu ganhar da Chapecoense como visitante. Em nove paridas fora de casa, a equipe segurou três empates e sofreu cinco derrotas.

A crise teve uma oportunidade de ser mandada para longe aos 26 do primeiro tempo, quando o meia Jean Mota chutou de longe, a bola desviou no zagueiro Messias, e o árbitro Daronco marcou pênalti após consulta ao VAR. Marinho desperdiçou a cobrança. O atacante escorregou na hora da batida, em um lance idêntico ao que ocorreu com o atacante Pedro, do Flamengo, em partida diante do Fortaleza, no mesmo estádio, no Campeonato Brasileiro do ano passado.

Carille experimentou três zagueiros, um deles o estreante Emiliano Velázquez, uruguaio, e à princípio resolveu ou diminuiu os problemas defensivos. O time sofreu menos, ainda assim, necessitou da intervenção do goleiro João Paulo, na segunda etapa.

Mas na frente, os problemas permanecem. O time finaliza pouco e sem agressividade. 

Nos últimos seis jogos, o time marcou apenas um gol. Foram derrotas para o Athlético Paranaense na Copa do Brasil, empates contra Bahia e Ceará, além de derrotas para Flamengo e Cuiabá e o único gol marcado foi na Arena Pantanal diante do time mato-grossense na derrota por 2 a 1.

O alvinegro como está eliminado das demais competições, só volta a campo n o domingo que vem (26), diante do Juventude, no Sul do país. Lucas Braga que cumpriu suspensão está à disposição e pode retornar ao time.


FICHA TÉCNICA

CEARÁ 0 X 0 SANTOS

Arena Castelão

Árbitro: Anderson Daronco (RS)

Cartões amarelos: Kelvyn, Messias, Erick (CEA), Pará, Camacho (SFC)

CEARÁ: Richard; Gabriel Dias, Messias, Luiz Otávio, Bruno Pacheco; Fernando Sobral, Geovane (Marlon), Vina (Yony González), Rick (Erick), Kelvyn (Lima), Jael (Cléber); Técnico: Tiago Nunes

SANTOS: João Paulo; Danilo Boza, Emiliano Velázquez e Wagner Palha; Pará (Ângelo), Camacho (Ivonei), Jean Mota (Zanocelo) e Felipe Jonatan; Marinho, Marcos Guilherme e Léo Baptistão (Raniel) Técnico: Fábio Carille

O jovem atacante Ângelo entrou no segundo tempo do jogo.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

João Paulo: Voltou a fazer grandes defesas. No fim do jogo, livrou o time da derrota num chute a queima roupa dentro da área. - 6,5

Boza: Deu uma saída errada no começo do jogo, depois melhorou a cobertura pela direita. - 6,0

Velázquez: Mostrou ser bom rebatedor. Jogou como líbero, o defensor da sobra na trinca utilizada por Carille. - 6,0

Wagner Palha: Não comprometeu. Mesmo nível dos colegas de posição. - 6,0

Pará: Sofreu na primeira etapa. O Ceará escolheu seu lado para atacar. Não apoiou, mesmo no esquema de três zagueiros. Foi substituído. - 5,0

(Ângelo): Jogou meia hora dos 45 minutos finais. Perdeu a maioria dos duelos individuais. Precisa de sequência. - 5,0

Camacho: Sobrecarregado em marcar na frente da defesa e ajudar na construção de jogada. Lento. - 5,5

(Ivonei): Entrou para dar mais qualidade, porém, não deu velocidade. - 5,0

Jean Mota: Apagado. Só apareceu no chute que proporcionou o pênalti desperdiçado por Marinho. - 5,0

(Zanocelo): Entrou no fim da partida. - SEM NOTA

Felipe Jonatan: Foi o melhor do time no primeiro tempo. Com os três defensores, aproveitou o fato de ser ala. Apoiou e quase marcou o gol. - 6,5

Marinho: Teve a grande chance do jogo e desperdiçou. Ainda assim foi o único atacante que ofereceu risco a defesa cearense. - 5,0

Marcos Guilherme: Só melhorou sua performance quando foi para a ala-direita. No ataque, teve apresentação sofrível. - 4,5

Baptistão: Apagadíssimo. Também não é menos verdade que a bola não chegou. - 4,5

(Raniel): Não entrou bem. - 4,5

Técnico: Fábio Carille: Procura mudar a característica do time. Arrumou a defesa e precisa melhorar o ataque. - 6,0



 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by