FOTO CAPA

'EM SEGUNDO ÀS VEZES, NA SEGUNDA JAMAIS'

Publicado às 08h30 desta quarta-feira, 16 de setembro de 2021.

Entre as várias conquistas e diversas grandezas relacionadas ao maior alvinegro do mundo, um dos motivos de maior orgulho da torcida do Santos é o fato de nunca ter caído para a segunda divisão de nenhum campeonato, sendo ao lado de São Paulo e Flamengo, os únicos clubes a conseguirem tal façanha na elite do futebol nacional. 

Entretanto, com tomadas de decisões equivocadas na área de futebol profissional, a situação financeira periclitante das contas do clube, fruto de gestões irresponsáveis nos últimos anos, e cada vez mais próximo da zona de rebaixamento no Brasileiro, onde não vence há seis rodadas, este orgulho dos santistas nunca esteve tão em perigo.

O Santos ocupa a 13a. colocação da competição ao lado do Juventude com 23 pontos, porém, o alvinegro praiano tem jogos a mais que três adversários que estão abaixo na tabela, e se estes concorrentes tiverem êxitos nas partidas que ainda tem a realizar, podem empurrar ainda mais para baixo o Glorioso da Vila.

Após ser eliminado nas quartas de final na Copa do Brasil, ao ser derrotado pelo Athlético (PR), o Santos, concentrará suas forças para a única competição que lhe restou na temporada: Manter-se na  elite do futebol brasileiro.

Além da queda na competição nacional de mata-mata. em casa para o rubro-negro da região Sul, o Peixe correu risco de rebaixamento no Paulista até a última rodada, caiu na primeira fase da Libertadores, além da desclassificação na Copa Sul-Americana para o Libertad (PAR).

Sem vencer há oito jogos e cada vez mais próximo da 'zona da confusão', o Blog do ADEMIR QUINTINO analisa os clubes que ficaram na 16º posição, última antes da zona do rebaixamento, de 2009 até 2020. 

Sendo assim, o intuito é responder a seguinte pergunta: qual a pontuação mínima para um time escapar do rebaixamento à Série B? 

Veja a pontuação do 16º colocado ao final do Brasileirão de 2009 à 2020.

ANO TIME PONTUAÇÃO

2009 Fluminense 46 pontos

2010 Atlético-GO 42 pontos

2011 Cruzeiro         43 pontos

2012 Portuguesa 45 pontos

2013 Flamengo 45 pontos

2014 Palmeiras 40 pontos

2015 Figueirense 43 pontos

2016 Vitória         45 pontos

2017 Vitória         43 pontos

2018 Vasco         43 pontos

2019        Ceará              39 pontos

2020        Fortaleza         41 pontos

Após a análise foi possível observar que a média dos clubes que ficaram na 16º posição nos últimos 12 anos foi de 42,9 pontos. Já nos últimos cinco anos, esse número diminuiu para 42,2.

Cada temporada analisada reservou curiosidades em relação ao times que caíram ou ficaram no quase. É curioso observar também que, atualmente os badalados, Palmeiras e Flamengo e o gigante Cruzeiro que conquistou títulos importantes e hoje amarga a série B, já sofreram com a zona da degola nos últimos anos.

Em 2009, dos 46 pontos somados pelo Fluminense, 19 (em 21 possíveis) foram somados nos últimos sete jogos, com seis vitórias e um empate. Os matemáticos apontavam os cariocas com 99% de chances de queda antes da sequência positiva. O empate na última rodada diante do Coritiba, no Estádio Couto Pereira, por um a um, selou o milagre e rebaixou o Coxa. No ano seguinte à arrancada final histórica, o tricolor das laranjeiras se sagrou Campeão Brasileiro. 

Em 2010, o Atlético-GO escapou do rebaixamento na última rodada contra o Vitória, em Salvador (BA). O empate sem gols fez com que os goianos terminassem em 16º. O rubro-negro baiano finalizou o torneio com os mesmos 42 pontos do Dragão, mas foi rebaixado por número de vitórias a menos - primeiro critério de desempate na competição.

Em 2011, o Cruzeiro chegou à última rodada podendo ser rebaixado pelo Atlético Mineiro, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG). Mas em uma partida perfeita, a equipe celeste venceu por seis a um, com quatro gols no primeiro tempo. Com o resultado, escapou do rebaixamento na rodada derradeira e ainda impediu que seu maior rival se classificasse para a Copa Sul-Americana. Com isso, o rebaixado foi o Athletico, com 41 pontos.

Já em 2012, a disputa pelo rebaixamento não foi muito emocionante. A diferença do 16º (Portuguesa) para o 17º (Sport) foi de quatro pontos. A Lusa anotou 45 na pontuação, enquanto o Leão somou apenas 41. Diferença maior foi para os outros rebaixados, que pouco pontuaram. Palmeiras fez 34 tentos, enquanto Atlético-GO e Figueirense somaram 30. Incrível pensar que naquele ano o Palmeiras, que hoje é o elenco mais valioso do Brasil, foi rebaixado para a Série B.

Em 2013, Flamengo e Fluminense escaparam na justiça. O jogador Héverton, meio campo da Portuguesa de Desportos, entrou em campo irregularmente em uma partida contra o Grêmio. Esse fato fez com que o clube paulista perdesse pontos na classificação e fosse rebaixado.

Em 2014, a pontuação do 16º foi a menor nos últimos 10 anos. O Palmeiras escapou com apenas 40 pontos, apenas oito à frente do lanterna Criciúma (32). Fica a curiosidade também para o rebaixamento dos dois times baianos de maior expressão no país, Bahia (37) e Vitória (38). Quem livrou a cara do Verdão foi o Santos que venceu o rubro-negro baiano no Barradão por 1 a 0, gol de Thiago Ribeiro e manteve o campeão da América em 2020, na elite.

No ano de 2015, o Figueirense escapou nos instantes finais da competição - terminou em 16º, com 43 pontos.

Em 2016, o Internacional caiu e disputou, no ano seguinte, pela primeira vez, a Série B do Brasileirão. O empate na última rodada por um a um com o Fluminense, fora de casa, selou o descenso colorado. O Inter somou 43 pontos e viu o Vitória-BA se livrar, na 16ª colocação, com 45. Os gaúchos ainda tentaram entrar na justiça contra o rubro-negro baiano sobre uma possível escalação irregular do zagueiro Victor Ramos, do Leão, mas o processo não avançou.

Em 2017, o Atlético-GO se tornou o último colocado com maior pontuação na era dos pontos corridos no Brasileirão. Os goianos terminaram a disputa com 36 tentos. Por outro lado, o Vitória-BA escapou mais uma vez no apagar das luzes. Com 43 pontos, na 16ª colocação, só se livrou do rebaixamento por conta do número de vitórias superior ao do Coritiba. O Coxa também somou 43, mas foi rebaixado. Tanto o Atlético-GO, quanto o Coritiba ainda tentam o retorno à Serie A!

Em 2018, ocorreu a disputa mais acirrada contra o rebaixamento no Brasileirão. A diferença do primeiro time da zona de rebaixamento para o 12º colocado foi de apenas três pontos. Observe: 12º-Fluminense (45 pontos); 13º- Corinthians (44 pontos); 14º-Chapecoense (44 pontos); 15º- Ceará (44 pontos); 16º- Vasco (43 pontos); 17º- Sport (42 pontos e rebaixado).

No ano seguinte, 2019, o Ceará empatou com o Botafogo e evitou queda para a Série B com menor pontuação da era dos pontos corridos - o Vovô, com 39 pontos, bateu um recorde que vinha desde 2014. Desde que o novo formato do Brasileirão foi instituído, nenhum time havia escapado da degola com menos de 40 pontos.

E por fim, os quatro rebaixados para a Série B de 2021 foram: Botafogo, Coritiba, Goiás e Vasco da Gama, nesta ordem. Antes da última rodada do Brasileirão, o futuro dos quatro clubes já estava praticamente garantido, o único que ainda tinha chances matemáticas de escapar era o Gigante da Colina, mas precisava de um verdadeiro milagre nunca antes visto na história do Brasileiro. O Fortaleza conseguiu se manter na primeira divisão, assim como o Sport, com a mesma pontuação dos cariocas, entretanto, o saldo de gols selou o destino do time da cruz da malta.

Depois de fazer cálculos e médias concluímos que um time precisa de no mínimo 44 pontos para não ser rebaixado à Série B. 


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by