FOTO CAPA

VITÓRIA NO APAGAR DAS LUZES

Publicado às 10h59 desta sexta-feira, 13 de agosto de 2021.

Com mais sorte do que capacidade, porém com um espírito de luta de não aceitar o resultado até o último minuto, o Santos largou na frente por uma vaga na semifinal da Copa Sul-Americana ao vencer o Libertad, na Vila Belmiro, por 2 a 1. Com os três pontos conquistados, o alvinegro joga por um empate, semana que vem, no Paraguai diante do mesmo adversário para carimbar vaga na próxima fase e faturar U$ 800 mil (R$ 4,2 milhões).

O técnico Fernando Diniz surpreendeu na escalação e abriu mão do esquema com três atacantes partindo para um 4-4-2. Insatisfeito com os centroavantes que tem à disposição, o comandante deixou os três homens de referência de área no banco - Marcos Leonardo, Raniel e Bruno Marques e começou o jogo com Pirani no meio e Marcos Guilherme de falso 9, com apenas Lucas Braga aberto pela extrema esquerda. Com isso, o meio-campo teve quatro homens - Camacho, Jean Mota, Pirani e Sámchez.

O Peixe novamente foi bem lento na criação e sofria contra-ataques com a bola longa do adversário para Villalba nas costas da defesa pela esquerda. O alvinegro realizou ao gol efetivamente apenas duas finalizações nos primeiros 45 minutos. Uma delas foi o gol de Sánchez através de penalidade máxima marcada com a ajuda do V.A.R, no fim da primeira etapa.

No começo da etapa complementar, nova bola longa e a defesa com a marcação alta e a falta de pressão na saída de bola adversária com a 'bola descoberta' e Kaiky tomou uma decisão errada, pois tinha se adiantado para cobrir Luiz Felipe e teve que fazer falta e foi expulso de campo. Na cobrança, Bocanegra empatou o jogo. Com um jogador a menos, a situação ficou ainda pior para o Glorioso praiano.

Porém, nos acréscimos, Lucas Braga, o melhor em campo, recebeu de Felipe Jonatan e cruzou. O grandalhão e atrapalhado Barboza acabou finalizando contra o próprio patrimônio e decretou o resultado final - 2 a 1.

O time santista volta a campo no domingo (15), diante do Fortaleza, no estádio Castelão, pelo Campeonato Brasileiro.

Marinho com edema tem feito pulsão

Marinho, segue fora. Pelo que o Blog do ADEMIR QUINTINO o atacante tem feita drenagem na coxa para pulsar o sangue que ficou com o edema. O atleta tem sido avaliado pelo departamento médico, mas ainda não reúne a mínima condição de jogar. 

FICHA TÉCNICA
SANTOS 2 x 1 LIBERTAD
Vila Belmiro - Santos (SP)
Árbitro: Leodán González (URU)
Cartões amarelos: Felipe Jonatan e Wagner Palha (SFC), Villalba (LIB). 
Cartão vermelho: Kaiky (SFC)
GOLS: Carlos Sánchez, aos 42min do 1ºT; Bocanegra, aos 13, e Barboza (contra), aos 48min do 2ºT
SANTOS: João Paulo, Madson, Luiz Felipe, Kaiky e Felipe Jonatan; Camacho, Jean Mota (Ivonei) e Sánchez (Raniel); Marcos Guilherme, Lucas Braga e Pirani (Wagner Palha). Técnico: Fernando Diniz
LIBERTAD: Martín Silva; Camilo Mayada, Viera, Alexander Barboza e Vangioni; Héctor Villalba (Franco), Bocanegra, Martínez H, Martínez R (Cardozo) e Ferreira; Melgarejo (Merlini). Técnico: Daniel Garnero.

João Paulo salvou o Santos no 1o. tempo, mas não estava bem colocado no gol dos paraguaios.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
João Paulo: Salvou o Santos no primeiro tempo com duas grandes defesas, novamente. Falhou ao ficar atrás da barreira no gol adversário. - 5,5
Madson: O Libertad não atacava nas suas costas, mas não foi eficiente no apoio. - 5,0
Luiz Felipe: Bem nas interceptações e segue a recomendação do comandante de avançar a última linha quando o adversário sai com a bola. - 6,0
Kaiky: Muito bom primeiro tempo, principalmente na saída de bola. Deixou o time no mato, mas é jovem vai amadurecer, ao tomar a decisão de agarrar o adversário por trás e ser merecidamente expulso. - 5,0
Felipe Jonatan: Travou um duelo a parte com Villaba, principal atacante adversário. Não tinha cobertura e às vezes avançava e tomava nas costas. Deu origem a jogada do gol que decretou a vitória. - 5,5
Camacho: Discreto. Lento na armação, limitou-se a defender. - 5,0
Jean Mota: Correu bem, mas não colaborou na criação de jogadas. - 5,0
(Ivonei): Jogou menos de cinco minutos. - SEM NOTA
Sánchez: Não brilhou, porém, eficiente na cobrança de pênalti. Cansou no fim. - 6,0
(Raniel): Jogou quatro minutos. - SEM NOTA
Marcos Guilherme: Com as constantes mudanças de Diniz onde o camisa 23 deve jogar, o futebol do recém contratado, desapareceu. Perdeu gol feito no primeiro tempo. - 4,5
Lucas Braga: Era o único soldado do 'exército' santista no ataque. Se virou sozinho, principalmente no segundo tempo e foi o grande responsável pela vitória do Peixe. - 7,5
Pirani: Era o mais rápido do meio campo. Pouco eficiente. Sacrificado com a expulsão e precisou ser substituído. - 5,5
(Wagner Palha): Como diz meu amigo e empresário do ramo de carros, Alan Otacílio, jogou o arroz com 'feijão bem temperado' - 6,0
Técnico: Fernando Diniz: Parece não confiar no banco, porém, tem poucas alternativas. O esquema com Marcos Guilherme não deu certo. Acertou ao manter Lucas Braga pela esquerda, pois o camisa 30 foi o nome do jogo. - 5,0

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by