FOTO CAPA

PEIXE LARGA NA FRENTE POR VAGA NAS QUARTAS DE FINAIS DA SUL-AMERICANA

Publicado às 08h35 desta sexta-feira, 16 de julho de 2021.

O Santos largou na frente e conseguiu um importante resultado no jogo de ida diante do Independiente (ARG) pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana, na noite desta quinta-feira (15) em Vila Belmiro. O alvinegro venceu os argentinos por 1 a 0. O único gol da partida foi marcado por Kayo Jorge. O jogo de volta está marcado para a próxima quinta-feira (22) na Argentina. O Peixe jamais eliminou um adversário em competições oficiais na sua história. Foram três eliminações em Libertadores (64,65 e 2018) e outras três desclassificações pela extinta Supercopa (89,94 e 95).

O primeiro tempo das equipes foi de qualidade técnica bem duvidosa. O alvinegro muito estático, pouco chegou ao ataque. Foram três tentativas de chutes ao gol sem perigo algum. Mesmo com a volta de Kayo Jorge  e com Marcos Guilherme aberto, o time voltou a demonstrar a dificuldade de quebrar as linhas, ainda que o miolo de zaga da defesa argentina estivesse mais pesado que algumas ancoras de navios que atracam no porto de Santos.

Na segunda etapa, Diniz, insatisfeito com a timidez que o time apresentou nos 45 minutos iniciais, modificou o time aos 16 minutos. Colocou Lucas Braga e Sánchez e a equipe foi mais rápido da segunda para a terceira linha, em busca do gol.

Marinho recebeu pela esquerda cruzou, Marcos Guilherme finalizou e Kayo Jorge bem posicionado se antecipou ao zagueiro portenho e fez o único gol da partida aos 24 minutos do segundo tempo após o rebote do goleiro Sosa.

O alvinegro teve chances de ampliar, mas verdade seja dita, teve mais perto de tomar o gol de empate do que fazer o segundo. O goleiro João Paulo fez três grandes defesas e garantiu a vitória sobre os 'Ojos' (vermelhos).  Teve ainda um gol anulado do time de Avellaneda. Após passe errado de Pará no meio-campo, o atacante do time argentino estava a frente. 

Antes de decidir se avança as quartas de finais da Copa Sul-Americana, o time de Fernando Diniz encara o vice-líder e invicto Red Bull Bragantino pelo Brasileirão, no domingo (18), às 20h30, no interior de São Paulo com transmissão da ENERGIA 97 FM. Para o enfrentamento contra o time de Bragança Paulista, Jean Mota, suspenso com o terceiro amarelo é desfalque certo. 


FICHA TÉCNICA

SANTOS 1 X 0 INDEPENDIENTE (ARG)

Estádio da Vila Belmiro - Santos (SP)

Árbitro: Wilmar Roldan (COL)

Gols: Kaio Jorge, 24'/2ºT

Cartões amarelos: Kaiky e Carlos Sánchez (SFC), Lucas Rodríguez, Lucas González e Insaurralde (IND)

SANTOS: João Paulo; Pará (Zanocelo, 37'/2ºT), Luiz Felipe, Kaiky e Moraes; Camacho, Jean Mota (Lucas Braga, 15'/2ºT) e Gabriel Pirani (Carlos Sánchez, 15'/2ºT); Marinho, Marcos Guilherme e Kaio Jorge (Madson, 37'/2ºT). Técnico: Fernando Diniz.

INDEPENDIENTE (ARG): Sosa; Bustos, Ostachuk, Insaurralde e Rodríguez; Blanco (Lucas González, 30'/2ºT) e Lucas Romero; Palacios (Brian Martinez, 30'/2ºT), Velasco (Herrera, 37'/2ºT) e Roa; Silvio Romero. Técnico: Julio César Falcioni.

Sánchez novamente deu vida ao meio-campo santista na segunda etapa.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

João Paulo: Três defesas sensacionais. Uma das melhores atuações do goleiro que se recupera do erro do clássico do fim de semana. Bem em todos os fundamentos da posição. Saída com pés, líbero quando precisou e a elasticidade e explosão na falta do fim da partida foram incríveis. - 7,5

Pará: Visivelmente sem confiança. Errou um passe que se o atacante Silvio Romero tivesse condições, decretaria o empate do adversário. - 5,0

(Zanocelo): Entrou aos 37 minutos do segundo tempo. Apenas 12 minutos em campo. - SEM NOTA

Luiz Felipe: Novamente bem posicionado e nas saídas de jogo. Pecou no começo do primeiro tempo de estar muito a frente e não tem explosão na velocidade e a falta no fim da partida que quase decreta a igualdade aos argentinos. - 6,0

Kaiky: Também se redimiu da atuação apagada do fim de semana. Errou um passe que podia ter trazido consequências e apagado sua boa atuação. - 6,5

Moraes: Outra boa partida do lateral recém-chegado. No segundo tempo evitou um gol certo. Precisa melhorar os cruzamentos, mas já foi melhor do que no jogo passado. - 6,5

Camacho: Um primeiro tempo abaixo do que costuma jogar desde que chegou a Vila. Ainda assim, importante na defesa. - 6,0

Jean Mota: Tentou algumas inversões de jogo. Foi substituído. - 5,5

(Lucas Braga): Ainda não foi o atacante insinuante dos dribles longos do primeiro semestre, mas deu vida e velocidade ao ataque pela esquerda, quando entrou no segundo tempo. - 6,0

Gabriel Pirani: Um primeiro tempo sumido e cresceu nos 45 minutos finais. Duas boas finalizações. - 5,5

(Carlos Sánchez): Sempre quando entra dá vida e dita o ritmo do meio-campo. É notório que quando tiver condições para 90 minutos, precisa jogar. Muito inteligente e sempre bem colocado. - 6,5

Marinho: Muito voluntarioso na primeira etapa, mas sem oferecer perigo a defesa adversária. Na segunda etapa esteve mais participativo e foi do camisa 11 a jogada que termina com o gol de Kayo Jorge. - 6,5

Marcos Guilherme: No primeiro tempo, apareceu pouco, ainda assim foi o atacante que mais ofereceu riscos a meta do time argentino, mas pecou demais nas finalizações. Na segunda etapa foi dele o chute que deu o rebote para Kayo Jorge inaugurar o placar. - 6,0

Kaio Jorge: Abriu espaços para os companheiros e demonstrou oportunismo na conclusão do único gol do jogo. - 7,0

(Madson): Jogou 12 minutos com os acréscimos. - SEM NOTA

Técnico: Fernando Diniz: Conseguiu 'chacoalhar' o time no intervalo, após um primeiro tempo pouco inspirado. Acertou nas entradas de Sánchez e Lucas Braga. O time foi mais rápido nos 45 minutos finais. - 6,5


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by