FOTO CAPA

PRIMEIRA VITÓRIA CONTRA UM TIME DA SÉRIE A NA TEMPORADA

Publicado às 10h09 deste domingo, 6 de Junho de 2021

O Santos venceu sua primeira partida no Brasileiro 2021. A vitória de 3 a 1 sobre o Ceará, na noite deste sábado (5), na Vila Belmiro, aconteceu pela segunda rodada da competição de pontos corridos. O triunfo também marcou os primeiros três pontos sobre um time da primeira divisão na temporada. 

Desde o dia 17 de fevereiro, quando derrotou o Corinthians, por 1 a 0, em seu antepenúltimo jogo na edição 2020 do torneio nacional, o Santos não conseguia superar um rival da Série A.  Até então haviam sido cinco confrontos, com quatro derrotas e um empate. No Paulista, perdeu os três clássicos, contra Corinthians (0 a 2), São Paulo (0 a 4) e Palmeiras (2 a 3), e empatou com o Red Bull Bragantino, por 1 a 1, além do revés para o Bahia (0 a 3) pelo Nacional, na primeira rodada. Os gols da vitória santista foram de Jean Mota, Marinho e Kaio Jorge.

Conforme informamos através das redes sociais durante a manhã de sábado (5), Fernando Diniz só fez uma alteração em relação ao time que venceu o Cianorte do meio de semana pela Copa do Brasil. Sem Lucas Braga com um edema, Marcos Guilherme apareceu como atacante na escalação

O goleiro Jhon que tem como uma da suas qualidades a saída com os pés e o defensor Luiz Felipe, são os mais novos titulares da equipe e foram confirmados na formação que iniciou a partida com João Paulo e Kaíky novamente entre os reservas.

Nos primeiros minutos de jogo, o Santos teve dificuldades de sair da forte pressão da marcação na primeira linha defensiva imposta pelos cearenses, ainda assim, teve uma oportunidade de abrir o marcador aos sete minutos. Messias, zagueiro do 'Vozão' interceptou a bola com a mão dentro da área. Penalidade máxima que Marinho bateu cruzado , porém, para fora do gol, a esquerda do goleiro Richard.

Marcos Guilherme e Kaio Jorge recuavam e confundiam a defesa do time nordestino. O Santos voltou a fazer a transição da defesa para o ataque com mais agilidade e rapidez, característica de time de contra-ataque, perfil do atual material humano do plantel.

Quatro minutos após o time desperdiçar o pênalti, Luiz Felipe encontrou Marinho próximo do meio-campo, o camisa 11 tocou para Kaio Jorge que carregou a bola em diagonal e tocou para Marcos Guilherme na ponta-esquerda. O recém chegado do Sul, passou a bola para Jean Mota e abriu para receber de volta, entretanto, o camisa 41 bateu na 'gaveta' quase nas costuras entre as redes e abriu o marcador em favor dos donos da casa: 1 a 0. Daí por diante, o alvinegro de Vila Belmiro dominava completamente o adversário, mas não traduzia em jogadas perigosas.

Como o 'futebol não tolera desaforo', já nos acréscimos, aconteceu um escanteio onde a bola estava com o Santos e após a cobrança, o jogador cearense cabeceou no braço de Alison. Com a ajuda do V.A.R, a arbitragem marcou pênalti que Vina não desperdiçou e empatou o duelo. Um 'balde de água fria' para o satisfatório primeiro tempo santista.

Vieram os 45 minutos finais e o Santos deu uma diminuída no ritmo da primeira etapa. Porém, a noite não era do capitão do Ceará - Messias. O defensor já havia cometido uma penalidade máxima e após novo vacilo, deu uma assistência a Marinho, após tentar interceptar cruzamento de Pará. O time da Vila tomava a frente do placar, pois dessa vez o camisa 11 não desperdiçou: - 2 a 1.

Logo em seguida, veio o lance final que decretou a sorte do enfretamento. Escanteio pelo lado esquerdo e Kaio Jorge fingiu que estava dando o nó no cadarço da chuteira. O marcador afrouxou e após cobrança perfeita de Pirani, o camisa 9 cabeceou e novamente Messias, o zagueiro cearense, desviou e matou qualquer possibilidade de defesa do goleiro e o Glorioso praiano aumentou o placar para 3 a 1.

Os comandados de Diniz voltam a campo, nesta terça-feira (8), às 16h30, em jogo de volta da Copa do Brasil, diante do Cianorte. O Peixe pode se dar ao luxo de perder por um gol de diferença que ainda assim, avança de fase, pelo fato de ter derrotado os paranaenses por 2 a 0, no jogo de ida. Pelo Brasileiro, o alvinegro só volta ao gramado no fim de semana que vem, diante do Juventude, também no alçapão da Vila Belmiro.


FICHA TÉCNICA

SANTOS 3 X 1 CEARÁ

Vila Belmiro - Santos (SP)

Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)

Cartões amarelos: Pará, Alison, Luan Peres e Fernando Diniz (Santos), Gabriel Lacerda (Ceará)

GOLS: Jean Mota, aos 18'/1ºT (1-0), Vina, aos 51'/1ºT (1-1),  Marinho, aos 18'/2ºT (2-1), e Kaio Jorge, aos 26'/2ºT (3-1)

SANTOS: John; Pará, Luiz Felipe, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Jean Mota (Danilo Boza) e Gabriel Pirani (Ângelo); Marinho (Madson), Kaio Jorge (Kevin Malthus) e Marcos Guilherme (Marcos Leonardo) . Técnico: Fernando Diniz.

CEARÁ: Richard; Buiú, Messias, Gabriel Lacerda (Jordan) e Bruno Pacheco; Oliveira, Fernando Sobral (Charles) e Vina (Rick); Jorginho, Saulo Mineiro (Wendson) e Felipe Vizeu (Cléber). Técnico: Guto Ferreira

Kaio Jorge, evolução tática impressionante.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

John: Uma boa defesa na primeira etapa em chute cruzada, quando a partida ainda estava empatada sem gols. Boas saídas da meta socando a bola. - 6,5

Pará: O arroz com feijão. Poucos apoios. Estava no lance que originou o segundo gol santista. Foi dele o cruzamento que Messias intercepta e Marinho finaliza. - 5,5

Luiz Felipe: Bem na saída da bola. Fez o simples na defesa. - 6,0

Luan Peres: Seguro. Se aventurou ir a frente e sofreu algumas faltas. - 6,5

Felipe Jonatan: Marcou mais próximo os atacantes pelo seu setor. Tinha  a bola que acabou indo para o escanteio e proporcionou o pênalti que deu o empate aos cearenses. Fez um segundo tempo bom no apoio. - 6,0

Alison: Fazia boa partida na marcação. Recuava no 5-3-2 em bloco no posicionamento defensivo. Cometeu um pênalti bobo ao abrir os braços. - 5,0

Jean Mota: O auxiliar técnico Marcelo Fernandes parece ter encontrado seu melhor posicionamento. A de segundo volante. Fez maravilhoso gol e distribuiu bem o jogo. - 7,0

(Danilo Boza): Entrou quase nos acréscimos. - SEM NOTA

Gabriel Pirani: Demorou um pouco para entrar no jogo. Bastante participativo na segunda etapa. Bela cobrança de escanteio na cabeça de Kaio Jorge para o terceiro gol e a vitória sacramentada. - 6,0

(Ângelo): Tocou uma única vez na bola. - SEM NOTA

Marinho: Desperdiçou um pênalti no início de jogo e dali por diante fazia um jogo apenas discreto. Estava no lugar certo, na hora certa para marcar o segundo gol santista. - 6,0

(Madson): O jogo já estava decidido quando adentrou ao campo. - SEM NOTA

Kaio Jorge: O melhor do jogo. Taticamente beirou a perfeição. Armou, se deslocou, roubou bolas, fez a parede, desacelerou o jogo quando precisou e ainda marcou um gol. - 7,5

(Kevin Malthus): Pouco pegou na bola. - SEM NOTA

Marcos Guilherme: Bem nos recuos ao meio de campo e constantes deslocamentos por todos os setores. Confundiu a defesa adversária. Aproveitou e bem sua primeira titularidade no time. - 6,5

(Marcos Leonardo): Entrou no fim do jogo. - SEM NOTA

Técnico: Fernando Diniz: Fez o time jogar mais nas características do elenco. Afirmo desde o começo do ano  que o planetel não tem material humano para propor jogo. Na noite deste sábado, o time, apesar do Ceará instalar 'dois caminhões atravessados com uma linha de cinco jogadores e outra de quatro', soube aproveitar quando roubou a bola e por isso, marcou forte e foi a frente na transição rápida, no padrão de quem sabe atuar no contra-ataque, maior qualidade de quando o time era dirigido por Cuca. Além disso, o terceiro gol, após cobrança de escanteio foi conseguido através de jogada combinada, o que percebe o dedo do comandante. - 7,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by