FOTO CAPA

SEGUNDA DERROTA CONSECUTIVA E CINCO JOGOS DUROS PELA FRENTE

Publicado à 01h15 deste sábado, 24 de abril de 2021.

Depois de perder na primeira rodada da fase de grupos da Libertadores da América, diante do Barcelona de Guayaquil, em plena Vila Belmiro, o Santos voltou a ser derrotado nesta sexta-feira (23), em sua oitava partida pelo Paulistão, desta feita para o Novorizontino, no interior de São Paulo pelo placar de 1 a 0. Em razão da derrota do Guarani, em Campinas, diante do Palmeiras, o resultado na partida do estádio Brinco de Ouro manteve o alvinegro na segunda colocação e consequentemente um ponto a frente do Bugre (9 e 8 pontos, respectivamente) na zona de classificação do grupo com quatro rodadas par o fim da fase de classificação.

O técnico Ariel Holán mandou grande parte dos titulares a campo. Com exceção de João Paulo que foi resolver problemas particulares em sua cidade natal e Alison, Marinho e Soteldo, poupados, o argentino que dirige o Peixe mandou o que tinha de melhor no estádio Jorge Ismael de Biasi. Jhon; Balieiro; Ângelo e Lucas Braga substituíram os ausentes.

Com muitos erros de fundamento, principalmente de passe e uma lentidão inconcebível para quem deseja propor o jogo, o Santos voltou a ficar mais um tempo, ou seja, 45 minutos, sem uma finalização concreta ao gol. Teve duas, mas sem perigo contra a meta do goleiro do Novorizontino.

Após o intervalo, o treinador sacou Ângelo e promoveu o retorno de Renyer pelo lado esquerdo. Porém, o time tomou o gol logo no inicio da etapa complementar.

Os donos da casa recuaram, para chamar o alvinegro para uma armadilha e tentar o contra-ataque. A posse de bola era do Santos, mas a falta de ousadia e a pouca velocidade empregada facilitaram a situação para o time mandante que colecionou sua quinta vitória seguida na competição e ameaça tirar uma das vagas do grupo do atual campeão Palmeiras.

Preocupante a falta de imaginação, principalmente no meio-campo santista para os cinco jogos difíceis que tem pela frente, sendo dois pela Libertadores: Corinthians no clássico deste domingo (25) na Vila; Boca Juniors em La Bombonera dois dias depois; o Bragantino na sexta-feira (1), The Strongest novamente pela competição continental e um novo clássico diante do Palmeiras como visitante no dia 6 de Maio.

FICHA TÉCNICA

NOVORIZONTINO 1 X 0 SANTOS

Estádio Jorge Ismael de Biasi

Árbitro: Thiago Luis Scarascati

GOL:  Jenison, aos 3' do 2ºT

Cartões amarelos: Felipe Jonatan, Luan Peres e Renyer (Santos)

NOVORIZONTINO: Giovanni; Felipe Rodrigues, Robson, Bruno Aguiar e Paulinho; Barba (Ricardo Luiz, aos 39' do 2ºT), Léo Baiano (Adilson Goiano, aos 30' do 2ºT) e Murilo Rangel (William Lepo, aos 39' do 2ºT); Danielzinho, Jenison (Guilherme Queiroz, aos 30' do 2ºT) e Cléo Silva (Douglas Baggio, aos 13' do 2ºT). Técnico: Léo Condé

SANTOS: John, Pará, Kaiky Fernandes, Luan Peres e Felipe Jonatan; Vinícius Balieiro, Jean Mota (Lucas Lourenço, aos 36' do 2ºT e Gabriel Pirani (Kaio Jorge, aos 21' do 2ºT); Ângelo (Renyer, no intervalo), Marcos Leonardo e Lucas Braga. Técnico: Ariel Holan

Renyer entrou na vaga de Ângelo no intervalo.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

John: Sem culpa alguma no gol que sofreu. - 5,5

Pará: Limitou-se a marcação. Errou alguns passes no começo da partida. Não apoiou. - 5,0

Kaiky Fernandes: No gol que o Santos sofreu não conseguiu dividir a bola com o centroavante adversário. Foi quem menos errou passes na defesa alvinegra. - 5,0

Luan Peres: Foi tentar fazer a cobertura do lado esquerdo no lance do gol adversário, mas também não conseguiu interceptar. A exemplo de Kayke tava armando o time. - 5,0

Felipe Jonatan: No segundo tempo, teve trabalho na marcação. O time do interior escolheu o seu lado para explorar. - 5,0

Vinícius Balieiro: Limitou-se a cabeça de área e passes laterais. Em muitos momentos, atual como líbero. - 5,0

Jean Mota: Melhorou um pouco somente após o gol do Novorizontino. - 5,0

(Lucas Lourenço): Jogou pouco. - SEM NOTA

Gabriel Pirani: Passes curtos e laterais. Tentou imprimir velocidade, mas não obteve êxito. - 5,0

(Kaio Jorge): Sua entrada foi responsável pela leve melhora no setor de meio-campo. Jogou como meia. - 5,5

Ângelo: Bem marcado, inclusive com sobra, não esteve em uma grande jornada. Substituído no intervalo. - 4,5

(Renyer): Tentou em alguns lances usar a individualidade. - 5,5

Marcos Leonardo: Se esforçou, lutou, desloucou-se. Muito entrega. Mas a bola não chegou para ele finalizar. - 5,5

Lucas Braga: Vontade de sobra, mas apenas discreto nesta noite. - 5,0

Técnico: Ariel Holan: O time estacionou após a boa partida do San Lorenzo, no Nuevo Gasômetro. Com dificuldades para repor em algumas posições talvez seja o momento de se adaptar com o material humano que tem. Coletivamente o time novamente não funcionou. - 4,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by