FOTO CAPA

EMPATE E CLASSIFICAÇÃO A PRÓXIMA FASE

Publicado às 08h45 desta quarta-feira, 17 de Março de 2021.

Poderia ter sido menos sofrido, entretanto, o Santos avançou para a última fase preliminar da Libertadores da América, ao empatar com o Deportivo Lara (VEN) em 1 a 1, na cidade de Caracas. Como havia vencido o duelo de ida, a igualdade foi o suficiente para a classificação, nesta terça-feira (16).  O gol do Peixe foi de Soteldo.

Na terceira fase classificatória da competição sul-americana, o Peixe enfrentará Universidad de Chile ou San Lorenzo, que decidem nesta quarta-feira (17) quem fica com a vaga, na Argentina. No primeiro jogo o duelo entre as equipes ficou no 1 a 1, em Santiago do Chile.

Sem Marinho e Kaio Jorge, ainda em recuperação física, o alvinegro foi com Jean Mota no meio-campo e Marcos Leonardo na frente. Lucas Braga e Balieiro ficaram no banco de reservas.

Desde o começo do jogo, o time de Holán foi para cima do Deportivo Lara, apesar da possibilidade de avançar com um empate. O Glorioso praiano sem poder contratar, apostou na velocidade dos jovens jogadores revelados na casa. 

Porém, foi Soteldo quem mostrou serviço. Sentindo-se "em casa", o venezuelano comandou as ações em um primeiro tempo em que o time brasileiro alugou o meio-campo e chegou a ter  74% de posse de bola.

Em uma movimentação rápida do ataque santista, o camisa 10 da Vila foi derrubado quase em cima da linha da área. Ele mesmo cobrou a falta e mostrou precisão, acertando o ângulo superior direito do gol defendido por Curiel e abriu o marcador aos 37 minutos.

Para não dizer que não falei das flores, o Santos apesar de um jogo controlado, também voltou a incorrer em erros antigos. Como nos piores momentos da temporada 2020, o time voltou a ter problemas com as bolas aéreas na defesa. E foi assim que o Lara buscou o empate, aos 16 minutos da etapa final. Anzola, que também balançara as redes no jogo de ida, voltou a marcar e igualou o marcador da partida, após uma troca de passes de cabeça dentro da grande área.

O empate deixava o Deportivo Lara a apenas um gol de igualar o confronto e levar a disputa para as penalidades máximas. 

Com o gol, o time venezuelano se empolgou e passou a pressionar a defesa santista, que recuou ainda mais. De um lado, havia a inexperiência dos garotos da equipe brasileira. Mas, do outro, a falta de precisão e de qualidade técnica do Lara. 

Assim, o Santos aguentou o sufoco relativo dos venezuelanos, mesmo sem João Paulo ter feito uma grande defesa nos 30 minutos finais de partida e confirmou seu favoritismo, carimbando passaporte a próxima fase. 

O técnico argentino do Santos, Ariel Holán, revelou um outro adversário que o time enfrentou durante o dia em Caracas. Vários jogadores tiveram problemas digestivos, antes da partida.

"Muitos com problemas estomacais generalizados, que surgiram hoje. Por isso tudo valorizo muito a classificação, claro que anotando o que temos a melhorar."

Com a classificação, o Peixe abocanhou 550 mil dólares (R$ 3 milhões), além de no mínimo ter mais R$ 5 milhões garantidos por já estar na Sul-Americana, se não passar do próximo confronto preliminar da Libertadores.

Santos x San Lorenzo(ARG) ou Universidad de Chile, jogarão nos dias 7 e 14 de abril, valendo vaga na fase de grupos da Libertadores 2021.

Soteldo marcou de falta e se aproxima dos líderes dos artilheiros estrangeiros da história do clube

FICHA TÉCNICA

DEPORTIVO LARA 1 x 1 SANTOS

Estádio Olímpico de Caracas (Venezuela)

Árbitro: Víctor Carrillo (Fifa/Peru)

GOLS: Soteldo, aos 37min do 1ºT; Anzola, aos 16min do 2ºT

Cartões amarelos: Meleán, Anzola, Jean Mota, Sandry

DEPORTIVO LARACuriel; Anzola, España, Cristopher Rodríguez e Sifontes; Segovia, Bueno, Melean (Jean Castillo), Castellanos (Castillo) e Darwin Gómez; Angel Sánchez (Salazar); Técnico: Martín Brignani

SANTOSJoão Paulo; Pará, Kaiky, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Jean Mota (Vinícius Balieiro), Sandry (Gabriel Pirani) e Soteldo; Marcos Leonardo (Bruno Marques) e Angelo (Lucas Braga); Técnico: Ariel Holan


NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

João Paulo: Bem debaixo dos três paus. Ficou na dúvida em uma saída do gol. - 6,0

Pará: Teve a chance de marcar o segundo gol do Santos em chute de perna esquerda. Foi envolvido no lance do gol dos venezuelanos, na troca de passes pelo alto. - 5,5

Kaiky: Muita qualidade e precisão nos passes. Necessita ganhar entrosamento com Luan Peres, principalmente no jogo aéreo defensivo. - 5,5

Luan Peres: Bem no chão na saída de bola e antecipações. Deixou a desejar na bola área defensiva. - 5,5

Felipe Jonatan: Boas tabelas com meias e atacantes no primeiro tempo. Bem na marcação. No segundo tempo, mais guardou posição. - 6,0

Alison: Bem posicionado, colaborou na defesa em várias roubadas de bola. Voltou a errar passes ao tentar a bola longa na segunda etapa. - 5,5

Jean Mota: Começou bem, na transição da segunda para a terceira linha, mas caiu de rendimento junto com o time. - 5,5

(Vinícius Balieiro): Ia entrar, com o Santos ainda a frente do placar, mas só foi autorizado a estar no gramado quando os venezuelanos empataram. Sendo assim, limitou-se a destruir as jogadas dos donos da casa. - 5,5

Sandry: Bem na distribuição de jogo. Foi substituído. - 6,0

(Gabriel Pirani): Sua entrada fez com que o meio-campo santista acelerasse um pouco mais o jogo, já que estava em ritmo cadenciado. - 6,0

Soteldo: O melhor do jogo, não só pelo gol. Apanhou bastante, deu dribles, procurou assistir os companheiros e levou perigo o tempo todo ao adversário. - 7,0

Marcos Leonardo: Teve duas oportunidades, mas não conseguiu concluir com precisão. - 5,0

(Bruno Marques): Pouco tempo em campo. Tentou se antecipar em um cruzamento, mas não chegou há tempo. - SEM NOTA

Ângelo: Holán foi feliz no comentário. Faltou profundidade. O camisa 27 corta mais para dentro. A hora que ele conseguir ter a mesma desenvoltura para os dois lados, vai ser o terror das zagas adversárias. Oscilou no jogo. - 5,5

(Lucas Braga): Deu mais velocidade e vida nova de folego do lado direito, colaborando com Pará na marcação. Não produziu ofensivamente. - 5,5

Técnico: Ariel Holan: As substituições dessa vez foram certas. Talvez, tenha demorado uma ou outra para realizar. Com a paralisação do torneio estadual, se confirmada, terá tempo de ajustar o time e melhorar a bola aérea defensiva e a compactação da primeira para  a segunda linha, ainda distantes. O momento é de apoio total ao novo comandante, que aos poucos emprega a nova filosofia de jogo somente com jovens. - 5,5


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by