FOTO CAPA

APAGÃO NO SEGUNDO TEMPO

Publicado às 11h10 deste domingo, 7 de Março de 2021.

O Santos segue sem vencer no Paulistão 2021. Após dois jogos com um time alternativo, o alvinegro colocou a equipe principal no clássico deste sábado (6), válido pela terceira rodada, no Estádio do Morumbi, diante do São Paulo, mas os donos da casa precisaram apenas do segundo tempo e emplacaram uma goleada de 4 a 0. A partida marcou a estreia do técnico Ariel Holán, no alvinegro.  

Com um forte temporal que caiu antes do jogo e encharcou demais o gramado, frustrou quem esperava ver um duelo tático entre os técnicos argentinos Crespo e Holan. Com o campo pesado e diversas poças d’água, comprometeu a qualidade técnica da partida. A bola não rolava e os times viviam de 'chutões'.

A única alternativa eram as bolas altas - e por isso Holán trocou o jovem Pirani que iniciaria o jogo por Bruno Marques no ataque santista, momentos antes de a bola rolar. 
"A gente subiu para aquecer e viu que estava ruim ele (Holan disse que eu ia entrar", revelou o atacante de 1,93 m.
O primeiro tempo foi bem limitado técnicamente e o Santos apesar de ficar a maior parte do tempo no campo do São Paulo, não levou perigo a meta do goleiro Volpi. Os principais lances ficaram por conta de Soteldo, que mesmo com o péssimo campo dava trabalho com suas arrancadas, mas não conseguia fazer a assistência para a finalização dos demais atacantes.

No retorno do intervalo, com o gramado já em melhores condições, o técnico são paulino Crespo mudou o time e o esquema de jogo. Sacou um dos três zagueiros, Arboleda, e colocou um jogador de velocidade, o equatoriano Rojas, aberto pela direita.

Mas não foi a alteração que levou o São Paulo abrir o placar aos quatro minutos. Após cobrança de um escanteio por Daniel Alves, a marcação mista santista deu mole na grande área e Gabriel Sara cabeceou para marcar.

Após sofrer o gol, o Peixe tentou avançar as linhas e deu o contra-ataque ao São Paulo que cresceu bastante. O Santos, porém, nada conseguia criar, nem com a alterações feitas por Holan, na segunda etapa com as entradas de Pirani e Marcos Leonardo.

O domínio do adversário se confirmou, quando aos 27 minutos, Luciano passou fácil por dois defensores e chutou para o meio da área, a bola desviou em Luan Peres e entrou.

Mal o time praiano deu a saída de bola aos 30 e Pablo viu o goleiro John adiantado e mandou por cobertura para ampliar para 3 a 0.

E quando o jogo se aproximava do final, mais um gol por cobertura. Aos 41 minutos, Tchê Tchê, que substituíra Luciano, arriscou de fora da área e colocou no ângulo de John. A jogada começou de um arremesso lateral e a marcação santista assistiu passivamente o camisa 8 concluir.

Na próxima terça-feira (9), o Glorioso da Vila estreia na fase preliminar da Libertadores diante do Deportivo Lara, na Vila Belmiro, com transmissão da ENERGIA 97 FM


FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 4X0 SANTOS
Estádio do Morumbi
ÁRBITRO - Luiz Flávio de Oliveira.
GOLS - Gabriel Sara, aos 4, Luan Peres (contra), aos 27, Pablo, aos 30, e Tchê Tchê, aos 41 minutos do segundo tempo.
cartão amarelo- Pablo.
SÃO PAULO - Volpi; Arboleda (Rojas), Bruno Alves e Léo: Igor Vinicius; Rodrigo Nestor (Luan), Dani Alves, Sara (Bruno Rodrigues) e Reinaldo; Luciano (Tchê Tchê) e Pablo (Toró). Técnico: Hernán Crespo.
SANTOS - John; Sandro, Luiz Felipe, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Sandry e Jean Mota (Pirani); Lucas Braga, Bruno Marques (Marcos Leonardo) e Soteldo. Técnico: Ariel Holan.

O clássico marcou a estreia do argentino Holán como técnico do Santos

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
John: Falhou no terceiro gol ao sair para interceptar a bola e no meio do caminho, desistir e tentar voltar a meta e levar o gol por cobertura. - 4,0
Sandro: Fez um primeiro tempo seguro, entretanto, no segundo gol não conseguiu evitar o bloqueio no cruzamento do atacante Luciano. É jovem, tem muito para crescer. - 4,5
Luiz Felipe: No terceiro gol tricolor deu muito espaço a Luciano e não conseguiu conter o arranque para a esquerda do adversário. - 4,0
Luan Peres: Não contou com a sorte na tentativa de interceptar o segundo gol são paulino. - 4,5
Felipe Jonatan: O melhor da defesa. Não comprometeu, mesmo com Rojas dando trabalho no seu setor na segunda etapa. - 6,0
Alison: O melhor do meio-campo na primeira etapa. Caiu com o time nos 45 minutos finais. - 5,5
Sandry: Não reeditou os bons jogos do ano passado. - 5,0
Jean Mota: Até tentou armar o time, mas foi parado com muitas faltas. Gramado encharcado ajudou o adversário a pará-lo com muitas faltas. Foi substituído. - 5,0
(Pirani): Buscou movimentação, mas não conseguiu incendiar o time em busca de reação. - 5,0
Lucas Braga: Com o gramado impraticável durante o primeiro tempo, não conseguiu imprimir velocidade, sua melhor característica. Não fez bom jogo. - 4,5
Bruno Marques: Batalhador, fez bem o pivô na primeira etapa. Entretanto, não recebeu uma bola sequer para finalizar ao gol de cabeça, seu ponto forte. - 5,5
(Marcos Leonardo): Quando foi o campo, o emocional do Peixe já tinha ido para o vinagre e o camisa 36 não recebeu uma bola sequer em condições de finalização. - 5,0
Soteldo: Fez bom primeiro tempo. Um dos poucos que escaparam - 6,0
Técnico: Ariel Holan: Acertou ao sacar Pirani e colocar Bruno Marques em razão das condições do gramado. Viu seu time se postar melhor que o adversário nos 45 minutos iniciais. Após o gol sofrido e a alteração de seu conterrâneo, não conseguiu fazer o Santos reagir, mesmo com as condições do gramado melhor. Podia ter queimado as três alterações que tinha por fazer. Ainda assim, o menos culpado pela goleada sofrida, até porque treinou a equipe apenas quatro vezes. - 5,0

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by