FOTO CAPA

RESERVAS TROPEÇAM E PEIXE PERDE A TERCEIRA SEGUIDA NO BR

Publicado às 02h20 desta quarta-feira, 27 de janeiro de 2020.

O Santos sofreu a terceira derrota seguida no Brasileiro, na noite desta terça-feira (26), no Estádio do Mineirão. O Galo não teve dificuldades para vencer os reservas do Peixe, por 2 a 0, em duelo adiado da 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. O nome do jogo foi o atacante venezuelano Savarino, autor dos dois gols.

Com dois minutos de partida, após lançamento, o defensor Luiz Felipe rebateu a bola em cima do volante Guilherme Nunes, e a bola sobrou para Savarino que bateu na saída de John, após tabelar com Nathan para finalizar de perna esquerda e abrir o placar: 1 a 0.

Aos 18, ainda do primeiro tempo, após lançamento longo, a zaga paulista afastou mal, novamente. A sobra ficou com Nathan, que ajeitou de cabeça para Keno, fora da área. O velocista atacante carregou e deu uma ‘cavada’ por cima da defesa do Peixe para encontrar Savarino livre. O venezuelano ajeitou o corpo e finalizou de primeira, no ângulo, para marcar o seu segundo gol no jogo: 2 a 0.

Após os gols em pouco mais de 15 minutos, o Galo diminuiu o impeto e o Santos que não havia até então conseguido realizar uma única jogada, tentou timidamente 'aparecer' para o jogo.

Na reta final da primeira etapa, o alvinegro da Vila assustou em duas oportunidades com Marcos Leonardo. Na primeira, completou cruzamento de primeira para grande defesa de Everson. No segundo, acertou lindo voleio que pegou na trave.

Na segunda etapa, o Galo satisfeito com o resultado, não impunha velocidade mais e o Santos pouco incomodava. Quando apareceu numa rara escapada, Everson apareceu bem mais uma vez e evitou o gol de Arthur Gomes.

A derrota serviu para ver quem o Cuca pode aproveitar como opção na finalíssima de sábado.  Poucos aproveitaram a chance. O time começou muito desconcentrado e não foi adversário capaz de trazer problemas ao time de Sampaoli.


FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 2 X 0 SANTOS

Estádio do Mineirão - Belo Horizonte

Árbitro: Paulo Roberto Alves Júnior (PR)

GOLS: Savarino (2/1°T e 18/1°T)

Cartões amarelos: Arthur Gomes (41/1°T); Jair (51/2°T)

ATLÉTICO-MGEverson; Guga, Réver, Junior Alonso e Guilherme Arana (Igor Rabello, 38/2°T(; Jair, Nathan (Eduardo Vargas, 26/2°T) e Hyoran (Allan, 19/2°T); Savarino, Keno (Sávio, 26/2°T) e Eduardo Sasha (Calebe, 38/2°T) Técnico: Jorge Sampaoli

SANTOSJohn; Madson, Laércio, Luiz Felipe e Wagner Palha (Wellington Tim, no intervalo); Balieiro, Guilherme Nunes e Jean Mota (Lucas Lourenço, 40/2°T); Arthur Gomes (Bruno Marques, 35/2°T), Marcos Leonardo (Renyer, 12/2°T) e Taílson (Ivonei, 35/2°T) Técnico: Cuca.

O jovem Tim, zagueiro, estreou pelo profissional atuando pela ala esquerda, improvisado.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS

John: Sem culpa nos gols. Não foi bem na saída de bola. - 5,5

Madson: Tem qualidade, mas ainda não fez um bom jogo após se recuperar de covid.- 5,0

Laércio: Bem no alto, não teve a mesma performance com a bola no chão. Tem dificuldade no um contra um. - 5,0

Luiz Felipe: Não contou com a sorte no lance do primeiro gol, quando rebateu e a bola explodiu no volante Guilherme Nunes e o Atlético-MG se aproveitou para tabelar e abrir o marcador. - 4,5

Wagner Palha: Parece se ressentir ainda da recuperação total do Covid-19. Fez a apresentação mais baixa , após voltar do vírus. Foi substituído. - 4,5

(Wellington Tim): Estreou no profissional improvisado pela ala esquerda. Se impôs pela sua força física e acabou com a 'farra' no setor. - 5,5

Balieiro: Não se encontrou nos primeiros 30 minutos, depois conseguiu encaixar a marcação. - 5,0

Guilherme Nunes: Cometeu muitas faltas. Melhorou na segunda etapa. - 5,0

Jean Mota: Não conseguiu armar o time. Com o time recuado, teve muita dificuldade. - 5,0

(Lucas Lourenço): Poucos minutos em campo. - SEM NOTA

Arthur Gomes: O melhor jogador do Peixe na partida. Levou perigo a meta de Everson e travou bom duelo com a ala Guga, ex-Avaí. - 6,0

(Bruno Marques): Teve uma chance de finalização e quase marcou de cabeça, sua maior qualidade. Jogou poucos minutos. - SEM NOTA

Marcos Leonardo: Um pecado uma de suas duas finalizações não ter entrado. - 5,5

(Renyer): Entrou com vontade. Não atuava no time profissional há 10 meses. Começou improvisado como centroavante. - 5,0

Taílson: Alternou bons e momentos não tão interessantes no jogo. - 4,5

(Ivonei): Pegou pouco na bola, entrou no fim da partida. - SEM NOTA.

Técnico: Cuca: A proposta de contra-ataque, caiu por terra com dois minutos. No segundo tempo, deu minutagem para alguns jovens que não entram há um bom tempo. - 5,0


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by