FOTO CAPA

♪ CHORA, NÃO VOU LIGAR... ♪

Publicado, às 10h08 desta quinta-feira, 10 de setembro de 2020.
No reencontro com Sampaoli, o Santos conquistou uma importante vitória diante do Atlético-MG por 3 a 1, na Vila Belmiro, na noite desta quarta-feira (9), em partida válida pela nona rodada do Campeonato Brasileiro.  Com o resultado, o alvinegro praiano pulou para a sexta colocação com 14 pontos. Os gols do Peixe foram de Arthur Gomes e dois de Marinho.

Sem os defensores Lucas Veríssimo e Luan Peres suspensos e a improvisação imediata de Alison expulso diante do Ceará na última rodada, Cuca colocou Jobson improvisado no setor pelo lado direito ao lado do jovem Alex. 

Na frente, sem Raniel e Kaio Jorge, ambos com covid-19, o treinador deu a vaga de titular a Lucas Braga, porém, o jogador que disputou o estadual pela Inter de Limeira não ficou 'espetado' no setor e recompunha com o Arthur Gomes para ajudar na marcação, desobrigando Soteldo e Marinho de acompanhar os laterais adversários quando o Peixe estava sem a bola.

Como já era esperado, o Galo marcou pressão no começo da partida e em menos de 20 minutos de jogo já tinha criado 11 situações de gols. Destaque novamente para o goleiro João Paulo. Em um dos lances, o camisa 34 fez duas defesas seguidas, em jogadas de puro reflexo. O novo titular do 'gol alvinegro' estava com 'sangue nos olhos'. Durante parte do Brasileiro do ano passado, mesmo sem Wladimir que estava emprestado ao Avaí, o arqueiro deixou de ficar na reserva durante um período, por escolha do argentino.

A jogada chave que mudou o destino da partida aconteceu aos 19 minutos da primeira etapa. Passe errado para trás do lateral do time  e Marinho deixa o goleiro Rafael para trás. O camisa 1 atleticano era o último homem e corretamente foi expulso. Sampaoli teve que tirar o eficiente atacante Marrony para a entrada do veterano goleiro Victor. 

Mesmo com um jogador a menos, o Galo tinha a maior posse de bola e tentava agredir, mas numericamente inferiorizado começava dar espaços para o Santos atacar, algo que ainda não tinha acontecido no jogo e na primeira finalização a gol, o Glorioso da Vila abriu o placar. Arthur Gomes pedalou e chutou de canhota. O goleiro Victor ainda frio, aceitou e a bola passou por debaixo do seu corpo - 1 a 0.

Ainda no primeiro tempo, o Atlético empataria a partida. Jobson deu passe errado na entrada da área. Sasha ficou com a bola e desacelerou para a chegada de Franco que recebeu e chutou. Caprichosamente, a bola tocou no pé de Alex e matou João do lance. - 1 a 1 aos 34 minutos.

Quando os times iam para o vestiário com a igualdade, Sánchez deu ótimo passe para Madson que entrou como uma 'flecha' em direção a linha do fundo, o ala que substituiu Pará tocou para dentro da pequena área encontrou Marinho que desempataria a partida. - 2 a 1.

Na segunda etapa, mesmo com um jogador a mais, o Santos se postava no contra-ataque e os visitantes alugando o meio-campo e insistindo na propositura ofensiva em busca do gol do empate. O Peixe com 10 e o Galo com 11 e os mineiros com maior posse de bola - 58%.

Cuca perdeu alguns jogadores com câimbras durante o jogo. Madson e Alex tiveram que sair para as entradas de Wagner Palha e Dérick. Este último, estreou entre os profissionais. O zagueiro destro com passagens pela Seleção Brasileira de base tem 1,95 m. O comandante técnico também substituiu o uruguaio Sánchez que saiu com o semblante de 'poucos amigos' para a entrada do jovem Ivonei.

Nos acréscimos, Marinho sofreu pênalti, marcado pela arbitragem com o auxílio do V.A.R. O artilheiro do Brasileiro, ao lado de Thiago Galhardo do Internacional, ambos com seis gols, bateu com estilo e ampliou o placar. - 3 a 1.

Quando o árbitro apitou o final do jogo, o sistema de som da Vila Belmiro colocou a música interpretada por Beth Carvalho - 'Vou festejar'. Na letra da canção em determinado trecho diz - "...Você pagou com traição, a quem sempre, lhe deu a mão..". Sampaoli visivelmente irritado, balançava a cabeça.

O argentino que não olhava e sequer cumprimentava os funcionários do Santos com quem encontrava pelos corredores do CT Rei Pelé, em 2019, fez questão de abraçar um por um dos que teve oportunidade de rever na Vila, antes da partida. No final do jogo, seguiu desolado para o vestiário dos visitantes para a alegria dos poucos dirigentes e colaboradores santistas que se encontravam em Urbano Caldeira.

O alvinegro volta a campo, no sábado (12), diante do São Paulo, na Vila Belmiro às 19h. Cuca terá Luan Peres, Alison e Lucas Veríssimo à disposição. Em compensação, Felipe Jonatan está fora. O ala canhoto recebeu o terceiro amarelo e cumpre suspensão automática.


FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 X 1 ATLÉTICO-MG
Estádio da Vila Belmiro, Santos (SP)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Cartões amarelos: Felipe Jonatan; (SFC) Jair e Keno (ATL-MG)
​Cartões vermelho: Rafael (Atlético-MG)
GOLS: 1-0 Arthur Gomes (22'/1T); 1-1 Alan Franco (34'/1T); 2-1 Marinho (39'/1T); 3-1 Marinho (52'/2T)
SANTOS: João Paulo; Madson (Derick, 43'/2T), Jobson, Alex Nascimento (Wagner Leonardo, 23'/2T) e Felipe Jonatan; Diego Pituca, Carlos Sánchez (Ivonei, 30'/2T) e Arthur Gomes; Lucas Braga, Marinho e Soteldo. Técnico: Cuca.
ATLÉTICO-MG: Rafael; Mariano, Igor Rabello, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan (Hyoran, 30'/2T), Jair (Marquinhos, 12'/2T), Alan Franco, Marrony (Victor, 19'/'1T) e Savarino (Keno, intervalo); Eduardo Sasha. Técnico: Jorge Sampaoli.

João Paulo novamente foi um dos destaques do time.

NOTAS DOS JOGADORES DO SANTOS
João Paulo: O 'Papa do gol' fez três defesas maravilhosas. Duas delas de puro reflexo. Um dos meninos que estava com Sampaoli entalado na garganta. Vive ótimo momento. Sem culpa alguma no gol, após o desvio. - 7,5
Madson: Bem demais no apoio. Muita velocidade. Bem posicionado. Sensacional assistência no gol de Marinho. - 7,0
(Derick): Estreou entre os profissionais nos acréscimos da partida. Ainda assim fez duas boias intervenções. Futuro promissor. - SEM NOTA
Jobson: Errou alguns passes. Em um deles proporcionou a jogada do gol atleticano. Melhorou quando foi para o meio-campo, na sua posição. - 5,0
Alex Nascimento: Não comprometeu. Faltou sorte quando tentou travar Alan Franco e a bola caprichosamente tocou na sua chuteira e tirou João da jogada. - 6,0
(Wagner Leonardo): Demonstrou personalidade. Outro também que estava louco para demonstrar a Sampaoli que podia ser mais utilizado, o ano passado. Rápido, desarmou várias jogadas. - 6,5
Felipe Jonatan: Amadurece na marcação. Bem no apoio. Boa partida do ala que tem bons números no Brasileiro. - 6,5
Pituca: Melhorou a qualidade na saída de bola. Se doou bastante na marcação. - 6,0
Sánchez: O uruguaio com Copa do Mundo no curriculum, finalmente apareceu na temporada. Iniciou a jogada do segundo gol com maestria ao dar um lançamento milimétrico para Madson, no ponto futuro. Cansou na segunda etapa. - 6,5
(Ivonei): Jogou pouco mais de 15 minutos, apenas. - SEM NOTA
Arthur: A exemplo de Lucas Braga se doou na colaboração de fechar os espaços na marcação. Teve personalidade para balançar na frente do zagueiro e mesmo com o pé que não é o melhor finalizou. Victor errou ao aceitar? Sim. Mas só faz gol quem chuta. - 6,5
Lucas Braga: Ajudou bastante na marcação. Tecnicamente não fez uma grande apresentação, mas teve espírito de grupo para voltar e colaborar na recomposição. - 5,5
Marinho: Jogador com ótimo drible e poder de definição. Bem posicionado, esteve nos lances capitais que decidiram a partida. A expulsão do goleiro Rafael e os dois gols, além do pênalti sofrido. Um dos melhores do país na atualidade. - 8,0
Soteldo: Tem capacidade para jogar mais. Não aproveitou as chances que teve de puxar bons contra-ataques. - 5,5
Técnico- Cuca: Acertou ao fazer com que Lucas Braga e Arthur ajudassem na marcação e fizesse com que Soteldo e Marinho, não tivessem que correr atrás de lateral quando o Santos estava sem a bola. - 6,5


 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by