FOTO CAPA

SANTOS JÁ TEM CINCO PRÉ-CANDIDATOS A PRESIDENTE

Publicado as 17h desta segunda-feira, 13 de julho de 2020.
O Santos tem mais um pré-candidato oficializado. Fernando Silva, ex-consultor de futebol do Clube nos anos de 2010 e 2011, quando ajudou a montar o time que conquistou quatro títulos - entre eles a Libertadores -, revelou a este blog, com exclusividade, que decidiu colocar seu nome como opção para as eleições de dezembro deste ano.  Ele se junta a Rodrigo Marino, Esmeraldo Tarquinio, Milton Teixeira Filho e Vagner Lombardi que anunciaram a pretensão de serem candidatos. Além dos supra-citados, Andres Rueda, Celso Jatene e José Renato Quaresma - um deles, representará o “Chapao” em outra informação exclusiva do Blog na última quinta-feira (9).
Nunca deixei de estar presente na vida política do Clube, mas não considerava mais a hipótese de ser candidato. Especialmente porque vivo hoje meu melhor momento profissional. Mas passei a receber muitas mensagens, ligações e apoios este ano, e eles vêm se acentuando nos últimos dias”, explica Fernando. “Quando notei, já havia um grupo formado em torno desta ideia. Um grupo maior, inclusive, do que o necessário para montar uma chapa. Isso me motivou a entrar no debate com mais profundidade”. 
O ex-consultor santista entende que a pandemia ‘acelerou’ o debate eleitoral no Clube. “
Por mais que eu preferisse amadurecer a ideia e oficializar uma eventual candidatura em setembro, a quarentena acabou precipitando esta discussão. Estamos há quatro meses sem bola rolando. E, de fato, a situação do Santos é dramática fora de campo”, opina. 
Fernando entende que a experiência bem-sucedida ao lado do ex-presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, o Laor, lhe favorece. 
“Foram dois anos de muito sucesso. Até por isso a gestão implodiu", avalia. E por que, tendo sido bem-sucedido, não trabalhou em outros clubes? “Tive oportunidades e sondagens, mas sempre tive minha imagem muito ligada ao Clube. Fui candidato em 2001 e um dos articuladores do grupo Resgate até a vitória do Laor. Depois fui candidato novamente. Isso inviabilizou meu trabalho como executivo em outro clube grande”. 

PACIFICAÇÃO OU ALIANÇA? 

Sobre a notícia da semana passada, do grupo que estaria tentando a ‘pacificação’ da política do Clube, Fernando entende que se trata de uma simples ‘aliança’. 
“Você não pode dizer que quer PAZ no Clube falando em impeachment mais uma vez. O sócio já disse não. E eu fico à vontade para comentar isso porque fui a favor do impeachment naquela oportunidade. Mas se você não respeita a vontade do sócio, você começa mal qualquer tentativa de unir o Clube”, diz Fernando. “Sem contar que os últimos três presidentes foram eleitos com os apoios das mesmas pessoas que anunciaram a aliança. Ou seja, não dá pra acreditar nem em paz e nem em mudança profunda, que é o que o Clube precisa”. 
Fernando sugere que os pré-candidatos formem um COMITÊ ‘suprapartidário’ à disposição do Clube até o final do ano. 
Garantimos governabilidade ao Peres para finalizar sua gestão, até porque ele já avisou que não tentará a reeleição. Acompanhamos cada passo como um órgão consultivo, o que é legítimo, pois nele estará o futuro presidente do Clube. Quem vencer a eleição, terá uma visão bem mais clara sobre a situação real do Clube e já terá iniciado o diálogo com as outras correntes políticas. Aí está, para mim, a pacificação, não uma aliança anunciada na quinta que já se desmonta na sexta”, conclui Fernando. 

 

Copyright © Ademir Quintino All Rights Reserved • Design by